Copa do Mundo

Shevchenko: “Messi é um dos melhores de todos os tempos, junto a Maradona e Pelé. Merece uma Copa do Mundo”

Ex-atacante, Shevchenko comentou sobre a trajetória de Messi e que o considera um dos melhores da história, mas ressaltou também o quanto Mbappé está se tornando a nova estrela

Andriy Shevchenko foi um dos grandes atacantes da sua geração. Nasceu ainda na época da União Soviética, mas se tornaria uma lenda da Ucrânia e, especialmente, do Dynamo Kiev e do Milan. Fez história por esses dois clubes e ganhou seu espaço no panteão dos craques na memória dos torcedores. Se tornou técnico e dirigiu a seleção ucraniana de 2016 a 2021. Dirigiu o time na Eurocopa de 2020 e agora assiste à Copa do Mundo, enquanto se preocupa com o seu país, em guerra com a Rússia. Ele comentou do badalado duelo entre Lionel Messi e Kylian Mbappé.

“Messi é o símbolo da Argentina. Uma lenda, um dos melhores de todos os tempos. Está junto a [Diego] Maradona e Pelé. Um jogador como ele merece uma Copa do Mundo”, disse Shevchenko em entrevista à Sky Sports. “Será uma grande história, não apenas o que ele fez na sua carreira, mas como ele está jogando agora. Ele é um grande líder, jogando grandes partidas, fazendo grandes gols, dando passes aos seus companheiros. É um verdadeiro líder e capitão”.

“Por outro lado, há um time da França muito forte e equilibrado. [Kylian] Mbappé é um jogador muito forte. Messi, seu time está acabando, mas Mbappé é uma nova estrela. Kylian já ganhou uma Copa do Mundo. Será um jogo muito empolgante e interessante”, afirmou o ex-atacante. Shevchenko foi perguntado se considera que Messi seja o melhor de todos os tempos. “Para mim, sim. É um tempo diferente de Pelé e Maradona, mas sim, Messi é tudo isso”.

“Kane voltará mais forte”

Shevchenko também foi perguntado sobre Harry Kane, capitão e estrela da seleção inglesa, que perdeu um pênalti na partida contra a França, nas quartas de final, quando os franceses terminaram com a vitória. “Para mim, é um dos atacantes mais fortes da história da Inglaterra. Ele voltará mais forte”, afirmou.

“É muita responsabilidade. Primeiro de tudo, ele jogou uma grande Copa do Mundo. Ele se mostrou um líder, marcou o primeiro pênalti, assumiu a responsabilidade”, continuou. “Ele perdeu o segundo, mas é parte do jogo. Ele assumiu muito para si. É um jogador incrível, todos seus números e o seu desempenho. Vou dar a ele todo meu apoio porque já estive nessa situação e sei o que significa”.

Para o ucraniano, os torcedores ingleses devem ficar orgulhosos do desempenho da seleção inglesa no Catar. Mais do que isso, acredita que não demorará muito para que a seleção dos Three Lions conquiste um grande torneio – o time foi semifinalista da Copa 2018, finalista na Euro 2020 e caiu nas quartas de final da Copa 2022. “Vocês precisam continuar acreditando. Os resultados virão”.

“Acho que há uma força na Ucrânia, uma mente inquebrável”

Shevchenko está no Catar para acompanhar a Copa do Mundo e mesmo lá tem feito reuniões com políticos e pessoas influentes para angariar mais apoio à Ucrânia em meio à guerra com a Rússia. O ex-jogador e ex-técnico da seleção ucraniana esteve em Kiev há duas semanas, onde se encontrou com o presidente do país, Volodymyr Zelensky, e pediu ajuda a agências internacionais e governos do ocidente para terem mais geradores e diminuir o número de apagões no país.

“O espírito é incrível, mesmo em uma situação tão difícil. As pessoas colaboram. Acho que há uma força na Ucrânia, uma mente inquebrável. Não temos escolha”, afirmou. “Para nós, a última opção é desistir, porque aí tudo acabou para a Ucrânia. Temos um objetivo muito claro: estamos lutando pela nossa terra, pelo nosso futuro, e são realmente pessoas unidas”.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo