Copa do MundoEliminatórias da Copa

San Marino bateu com classe em carta de resposta a Thomas Müller

A Alemanha nem precisou fazer força para vencer San Marino por 8 a 0 em jogo pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, na sexta-feira. O jogo entre a campeã do mundo e uma das seleções mais fracas que existem, com jogadores praticamente só amadores, gerou críticas de uma das estrelas da Alemanha, Thomas Müller. O jogador do Bayern disse que não via sentido em fazer estes jogos tão desequilibrados.

LEIA TAMBÉM: Cristiano Ronaldo torna-se 4ª maior artilheiro europeu e mira chegar em Puskás na liderança

“Eu entendo que para eles é especial jogar contra a campeã do mundo, eu entendo também que eles só podem se defender com jogadas duras. Por este motivo, então, eu pondero se estes jogos não trazem riscos desnecessários”, afirmou Thomas Müller. O presidente do Bayern de Munique reforçou esta mensagem. “San Marino não tem nada a ver com futebol profissional”, criticou o dirigente.

A seleção de San Marino, então, resolveu responder. Com classe, mas também com provocação, a resposta foi escrita pelo diretor de comunicação da seleção, Alan Gasperoni. Ele publicou, em italiano, no seu Facebook. Veja:

Caro Thomas Müller,

Você está certo. Os jogos como este de sexta à noite, eles não são nada. Para você. Por outro lado, caro Thomas, você não precisa vir para San Marino para quase nada no fim de semana que, sem Bundesliga, você pode passar com a sua esposa ou no sofá da sua casa luxuosa ou, quem sabe, você poderia fazer parte de eventos organizados pelos patrocinadores que te pagam muitos milhões de euros. Eu acredito em você, mas deixe-me dar 10 boas razões que penso que o jogo entre San Marino e Alemanha foi muito útil e que você possa pensar sobre isso e me dizer o que acha.

1. Isso serviu para mostrar que você que nem contra times fracos como o nosso você não consegue marcar um gol – e não diga que você não ficou bravo quando Simoncini te impediu de marcar…

2. Serviu para deixar claro aos seus técnicos (e até a Beckenbauer e Rummenigge) que o futebol não pertence a eles, mas a todos que o amam, entre os quais, gostem ou não, NÓS estamos incluídos.

3. Serviu para lembrar centenas de jornalistas de toda a Europa ainda há caras que seguem seus sonhos, não as suas regras.

4. Serviu para confirmar que vocês alemães nunca irão mudar e que a história ensinou que fazer bullying não garante a vitória.

5. Serviu para confirmar que os 200 caras em San Marino que jogam por qualquer razão pelas quais seus técnicos peçam a eles sempre trabalham da forma mais dura possível. Quem sabe – talvez um dia o sacrifício deles não será pago com um jogo contra os campeões do mundo.

6. Serviu para a nossa Federação (e também a sua) receber o dinheiro de direitos de transmissão com o qual, além de pagar a vocês pelo incômodo, eles podem construir campos para as crianças no nosso próprio país, escolas, e tornar os estádios de futebol mais seguros… Nossa Federação, deixe-me te contar um segredo, está construindo um novo campo de futebol em uma cidade remota chamada Acquaviva. Você poderia construi-lo com seis meses do seu salário, nós faremos isso com os idreitos de transmissão de 90 minutos do jogo. Não é ruim, certo?

7. Serviu para um país tão grande quanto seu campo em Munique ir para os registros históricos por uma boa razão, porque um jogo de futebol é sempre uma boa razão.

8. Serviu para o seu amigo Gnabry começar na seleção e marcar três gols.

9. Fez algumas pessoas samarinesas um pouco felizes para lembrar que nós temos uma verdadeira seleção nacional.

10. Serviu para me fazer perceber que mesmo se você usar os mais bonitos uniformes da Adidas, por baixo delas vocês sempre serão aqueles que usam meias com suas sandálias.

Com amor, Alan.

A dica foi do leitor @LucasSeinen

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo