Copa do Mundo

Ochoa defende pênalti de Lewandowski em empate sem gols e sem graça entre México e Polônia

Em jogo que nenhum dos dois times conseguiu mostrar grande coisa, a grande história foi a defesa de Ochoa em pênalti de Lewandowski, que segue sem marcar em Copas

A Copa do Mundo 2022 viu o seu segundo empate sem gols consecutivo nesta terça-feira, a primeira com quatro jogos. Logo depois de Dinamarca 0x0 Tunísia, México e Polônia também empataram por 0 a 0, desta vez até com um pênalti defendido pelo goleiro mexicano Guillermo Ochoa, cobrado por Robert Lewandowski. O veterano, em sua quinta Copa do Mundo, foi o destaque de um jogo bem pouco interessante.

Escalações

O México começou o jogo com Luis Chavez no time titular, com Carlos Rodríguez, um jogador importante no ciclo, no banco, assim como Andrés Guardado, um dos mais experientes do time. No ataque, onde o técnico Gerardo Martino tinha mais problemas, ele escolheu colocar Hirving Lozano pela direita, Henry Martin como centroavante e Alexis Vega pela esquerda.

Na Polônia, o time foi escalado em um 4-2-3-1, com Nicola Zalewski atuando como ponta, e não como ala. Bartosz Bereszynski fez a lateral esquerda, de forma mais defensiva.

Primeiro tempo: pouco ou nada

Com dois minutos de jogo, a torcida mexicana já gritava olé, mostrando o tamanho da empolgação. O México era quem tomava a iniciativa no jogo, mas foram poucas chances criadas. Basicamente, o time forçava o jogo pela direita com Hirving Lozano, o jogador mais acionado dos mexicanos em toda primeira etapa.

O que se via em campo era uma tentativa de acelerar, especialmente pela parte dos mexicanos. Pouco era feito, porém. Nenhum dos dois times conseguia fazer grandes coisas. Os mexicanos se jogavam mais ao ataque, mas causavam pouco risco. O primeiro tempo deu a sensação que mal teve o que se destacar.

Segundo tempo: pênalti e Ochoa

O técnico Czeslaw Michniewicz fez uma substituição no segundo tempo: tirou Nicola Zalewski e colocou Krystian Bielik, em uma tentativa para fechar mais o seu lado esquerdo defensivo, onde o México mais atacava.

Logo no começo do segundo tempo, um lance decisivo. Lançamento para Lewandowski, que girou sobre a marcação e viu Héctor Moreno puxar a sua camisa e derrubá-lo. O árbitro Chris Beath, da Austrália, não marcou, mas foi chamado pelo VAR, reviu o lance e marcou um pênalti que aconteceu mesmo.

Robert Lewandowski pegou a bola. Em três jogos na Copa do Mundo passada, ele não conseguiu marcar. Desta vez, uma chance para marcar de pênalti. Uma chance única, que o atacante cobrou forte, no canto esquerdo baixo, mas Guillermo Ochoa, acostumado a milagres a cada quatro anos, defendeu. O placar seguiria 0 a 0.

O México ficou animado e conseguiu um lance de muito perigo. Edson Álvarez chutou de longe e Henry Martin desviou de cabeça, de leve, e obrigou Szczesnyh fez uma boa defesa. Para tentar a vitória, o México apostou em mudanças: Carlos Rodríguez no lugar de Hector Herrera e Raúl Jiménez no lugar de Henry Martin.

Apesar das boas tentativas de Lozano e Vega pelas pontas, o México não conseguia criar situações de gol para ameaçar mesmo o a meta polonesa. A Polônia tentou algo, mas nem na bola parada, um ponto fraco mexicano e que é forte nos poloneses, conseguiu ameaçar.

Depois da empolgação do México, a Polônia voltou a equilibrar o jogo. A partida era fraca, sem qualquer um dos dois times conseguir criar chances. No fim, o empate em 0 a 0 acaba sendo justo de acordo com o que os dois times apresentaram. Melhor para a Arábia Saudita, que termina a primeira rodada desta Copa como líder do Grupo C.

Ficha técnica

México 0x0 Polônia

Local: Estádio 974, Ras Abu Aboud
Árbitro: Chris Beath (Austrália)
Gols:
Cartões amarelos:
Jorge Sánchez, Héctor Moreno (México), Przemysław Frankowski (Polônia)

México: Guillermo Ochoa; Jorge Sánchez, César Montes, Héctor Moreno e Jesús Gallardo; Édson Álvarez, Héctor Herrera (Carlos Rodriguez) e Luis Chavez; Hirving Lozano, Henry Martin (Raúl Jiménez) e Alexis Veja (Uriel Antuna). Técnico: Gerardo Martino

Polônia: Wojciech Szczesny; Matty Cash, Jakub Kiwor, Kamil Glik e Bartosz Bereszynski; Sebastian Szymanski (Przemyslaw Frankowiski) e Gregorz Krychowiak; Jakub Kaminski, Piotr Zielinski (Arkadiusz Milik) e Nicola Zalewski (Krystian Bielik); Robert Lewandowski. Técnico: Czeslaw Michniewicz

https://www.youtube.com/watch?v=j_lM4KdTH04
Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo