Copa do Mundo
Tendência

O título não veio, mas Mbappé teve uma das maiores atuações em finais da história da Copa do Mundo

Mbappé é apenas o segundo a marcar três gols em uma final de Copa depois de Geoffrey Hurst, mas não leva o título. Mesmo assim, teve uma atuação que será lembrada para sempre

Fazer três gols em um jogo é sempre um feito – não por acaso, os ingleses chamam de hat-trick, o truque do chapéu. Fazer isso em uma Copa do Mundo é algo ainda mais difícil. Em uma final de Copa do Mundo é algo tão impactante que só dois jogadores conseguiram na história: Geoffrey Hurst, pela Inglaterra, em 1966, e Kylian Mbappé na final de 2022, pela França. O francês não levou a taça depois da derrota nos pênaltis para a Argentina, mas a atuação que teve é das melhores da história das Copas do Mundo. Aos 23 anos, prestes a completar 24, Mbappé já conquistou um lugar de destaque no maior torneio do mundo do futebol.

Campeão em 2018, Mbappé vivia uma dureza em 2022. O primeiro tempo foi dominado completamente pela Argentina, que abriu 2 a 0 e parecia destinado a ser conquistado pelos argentinos. Mesmo depois do intervalo, a França não conseguia ameaçar o adversário. Até que veio o pênalti. Mbappé diminuiu o placar e, logo em seguida, aproveitou uma excelente bola de Marcus Thuram para marcar um golaço. O placar, que parecia muito distante, agora era 2 a 2.

Dois gols em menos de três minutos. Já seria o bastante para o tornar ainda mais marcante na história das Copas. Vale lembrar que Mbappé já tinha brilhado em 2018, em uma Copa do Mundo que fez quatro gols, sendo um deles na final. Mas a história não estava terminada. Havia mais para este dia 18 de dezembro.

Na prorrogação, a Argentina marcou 3 a 2 com Messi e parecia que levaria a taça. Só que a quatro minutos do fim do tempo regulamentar da prorrogação, veio então um novo pênalti e Mbappé de novo marcou. Três gols em uma final de Copa do Mundo. Parece difícil fazer mais do que isso.

Além dos gols, desde o primeiro gol da França, Mbappé parecia ter renascido os Bleus. Perigoso, ainda continuou criando chances e os franceses poderiam ter virado o jogo. Ficaram muito perto disso. Depois, ainda foi para a sua cobrança de pênalti na disputa da marca da cal e guardou o seu. O que é bastante difícil, depois de cobrar dois pênaltis no jogo. Mais impressionante ainda: ele bateu todos no mesmo canto e todos com enorme eficiência. Tanto que Dibu Martínez chegou a tocar na bola em dois deles e não pegou.

Mbappé termina a Copa do Mundo como artilheiro, com oito gols. É algo gigantesco. É só a segunda vez na história que um francês termina como artilheiro e o primeiro foi uma verdadeira lenda do futebol, Just Fontaine, que fez incríveis 13 gols em 1958. É também o segundo francês a fazer um hat-trick em uma Copa do Mundo, depois do próprio Just Fontaine, que fez isso contra Paraguai e Alemanha na Copa do Mundo de 1958.

Os recordes continuam. Mbappé é o primeiro jogador da história a marcar quatro gols em finais de Copas do Mundo, após marcar um contra a Croácia e três contra a Argentina. Mbappé também se iguala a outros cinco jogadores que marcaram em duas finais de Copas do Mundo, junto a Vavá e Pelé, do Brasil, Paul Breitner, da Alemanha, e Zinedine Zidane, da França.

É a primeira vez desde Ronaldo, em 2002, que um jogador marca oito gols em uma mesma edição de Copa do Mundo. Nas últimas 12 Copas do Mundo, só Mbappé e Ronaldo fizeram mais de seis gols em uma só edição. Mbappé se envolveu diretamente em 10 gols nesta Copa, com oito gols e duas assistências, mesmo número de Lionel Messi, com sete gols e três assistências. Ninguém era tão decisivo quanto esses dois desde Diego Maradona, em 1986, que fez cinco gols e cinco assistências naquela Copa do Mundo, conquistada pela Argentina.

Mbappé ainda chegou a 12 gols marcados em Copas do Mundo, igualando a marca de Pelé. Só Miroslav Klose (15), Gerd Müller (14), Just Fontaine e Lionel Messi (13) têm mais. Como só tem 23 anos (completará 24 no dia 20), Mbappé tem tudo para pulverizar esses números nas próximas Copas e se tornar o maior artilheiro da história dos Mundiais.

Mbappé é um jogador gigantesco, que já conquistou muito na carreira, mas que tem tudo para conquistar muito, muito mais. É um jogador que tem tudo para herdar o posto de Lionel Messi como o grande jogador da sua geração. Com ele, além de muitos jogadores talentosos, a França será candidato ao título em todas as próximas edições de Copa do Mundo. O título desta vez não veio para Mbappé, como tinha vindo em 2018. É difícil imaginar que Mbappé não faça outras grandes Copas do Mundo.

Assim como Zidane chegou a duas finais de Copa e ganhou uma e perdeu outra, Mbappé também conseguiu, mas com uma diferença: Mbappé ainda tem potencialmente mais três Copas pela frente (com 27 anos em 2026, com 31 em 2030, com 35 em 2034).

Um dos grandes clichês que se ouve é que a história é contada pelos vencedores. Isso até pode ser verdade em alguns contextos, mas quando se trata de futebol, não é sempre assim. Os vencedores sem dúvida são muito lembrados, mas não são só eles que são lembrados. Como dizer que times como a Hungria de 1954 ou a Holanda de 1974 não são lembrados? Ou mesmo o Brasil de 1982? Isso sem falar em tantas histórias, como Portugal em 1966, a Croácia de 1998 (e agora de 2022) também e mesmo Marrocos em 2022. Mbappé fez uma Copa do Mundo para ser eternizado, mesmo que o título, desta vez, não tenha vindo.

Até onde pode ir Mbappé? É difícil saber. O que já sabemos, com o que aconteceu até aqui, é que Mbappé já é um dos grandes nomes da história da seleção francesa, da Copas do Mundo e do futebol.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo