Copa do Mundo

França nem precisou forçar e viu Mbappé desfilar para eliminar a Polônia e avançar às quartas

Em ritmo de treino, França superou uma Polônia que não conseguiu ser páreo para a França, que marcou um gol no primeiro tempo e dois na reta final do jogo, em um segundo tempo que teve ritmo de treino

A França está nas quartas de final, depois de vencer a Polônia por 3 a 1 neste domingo, no terceiro jogo das oitavas de final. Em um jogo que foram melhores o jogo todo, os franceses até correram riscos no primeiro tempo em alguns ataques poloneses, mas no geral o time que tem Robert Lewandowski como estrela mostrou muitas fragilidades. Permitiu muitas finalizações dos franceses, que criaram diversas oportunidades. No fim, o placar de 3 a 1 sai de bom tamanho para um jogo que os Bleus jogaram com um ritmo baixo, quase de treino, no segundo tempo. A França espera o vencedor de Senegal e Inglaterra para saber o adversário das quartas de final.

Escalações

O técnico francês, Didier Deschamps, voltou com o time que jogou contra a Dinamarca, depois de atuar com reservas diante da Tunísia, o que resultou em derrota. Jules Koundé foi escolhido como lateral direito, com Theo Hernández pela esquerda e o centro da defesa com Raphaël Varane e Dayot Upamecano. Adrien Rabiot e Aurélien Tchouaméni pelo meio, com Ousmane Dembélé pela direita, Antoine Griezmann pelo meio e Kylian Mbappé pela esquerda. Olivier Giroud à frente.

A Polônia trouxe mais mudanças. A defesa foi mantida, mas as mudanças no meio foram grandes: Grzegorz Krychowiak ficou à frente da defesa, com uma nova linha de quatro à sua frente. Przemsyslaw Frankowvski pela esquerda, Jakuk Kaminski pela direita e Piotr Zielinski e Sebastian Szymanski pelo meio. À frente deles, Robert Lewandowski.

Primeiro tempo: França marca, mas corre riscos

A França pressionava desde o começo. Em 12 minutos, o time chegou muito pela esquerda, com Mbappé, que conseguiu dois cruzamentos perigosos. Tchouaméni foi outro a levar perigo, mas em um chute de longe, exigindo defesa de Szczesny. Aos 16 minutos, os Bleus acharam espaço mais uma vez, agora pelo meio, quando o atacante Dembélé recebeu pela direita, cortou para o meio e finalizou de pé esquerdo, mas Szczesny fez uma defesa fácil.

A Polônia conseguiu assustar aos 19 minutos, quando Lewandowski recebeu com liberdade e, de fora da área, soltou uma bomba de pé esquerdo. A bola levou perigo, mas saiu à esquerda do goleiro Lloris. Os franceses também resolveram arriscar de fora da área aos 21 minutos, quando Koundé, atuando pela lateral direita, teve espaço e chutou firme, mas Szczesny defendeu com tranquilidade.

A França chegou com muito perigo pela direita, com Dembélé cruzando para Giroud, que precisou se jogar na bola e acabou tocando para fora, aos 28 minutos. Uma das melhores chances da França neste primeiro tempo.

Os poloneses tentaram novamente em um chute torto de Matty Cash de fora da área, respondido quase imediatamente em um ataque da França pela esquerda, depois de um perde-ganha no meio campo que acabou com Mbappé na ponta esquerda partindo para cima do marcador e chutando forte, mas a bola foi desviada pela defesa e foi para escanteio.

Uma nova chance apareceu para a França aos 37 minutos. Bereszynski chegou à linha de fundo pela esquerda e cruzou rasteiro para o meio e Zielinski apareceu livre para pegar de primeira, mas Lloris defendeu. No rebote, Zielinski finalizou de novo, mas a bola bateu em Theo Hernández e sobrou para Kaminski, que chutou cruzado e desta vez quem salvou foi o zagueiro Varane, quase em cima da linha. Uma grande chance polonesa.

No fim do primeiro tempo, a França conseguiu abrir o placar. Mbappé fez o passe pelo meio, encontrou Giroud, que puxou para a esquerda, deixando Kiwior para trás, e finalizou cruzado: 1 a 0, aos 43 minutos. O gol o torna o maior artilheiro da história da seleção francesa, com 52 gols, deixando Thierry Henry para trás.

A reação da Polônia veio rápido, em jogada pela direita que Kaminski, dentro da área, finalizou forte e exigiu defesa de Lloris para escanteio. Foi o último ataque do primeiro tempo. A França termina o primeiro tempo em vantagem, em que conseguiu ser melhor, mesmo sem jogar particularmente bem. Encontrou os espaços na defesa da Polônia, que tentou se defender, mas teve uma postura um pouco mais ofensiva do que foi contra a Argentina. Desta vez, ao menos o time conseguiu atacar e levar algum perigo à França e não ficou só tomando pressão.

Segundo tempo: ritmo de treino

Com a vantagem no placar, a França voltou em ritmo mais lento. Trocava passes e esperava achar um espaço. Tenta explorar a velocidade de Mbappé nos primeiros minutos no lado esquerdo.

A França criou duas boas chances Mbappé chutou de fora da área, a bola desviou e quase entrou. Depois, em uma disputa pelo alto com Varane, o goleiro Szczesny caiu, Giroud pegou a sobra com a bola pingando e deu uma bicicleta para colocar a bola na rede. Só que o árbitro já tinha parado o jogo marcando falta em Szczesny. Uma falta que não existiu.

Fisicamente, a Polônia já parecia muito desgastada. Não conseguia fazer pressão na bola, o que deixava a França bastante confortável no jogo. O placar ainda era perigoso, já que continuava 1 a 0. Os franceses pareciam no controle do jogo, mas tudo estava a um gol da Polônia do caos. 

Até que a França foi ao ataque aos 29 minutos, em um contra-ataque com paciência para definir. Griezmann deu um bico para frente, tirando a bola da área da França, Giroud dominou com classe, abriu para Dembélé na direita e o ponta avançou e teve calma para passar para Mbappé na esquerda. Ele dominou e bateu firme, no alto, e não deu defesa para Szczesny: 2 a 0.

O ritmo, que já era bem baixo, virou quase de treino. A França ficou tocando bola e a Polônia, fisicamente exausta, já nem conseguia acompanhar mais. Então, a França aproveitou para marcar mais um. Mbappé recebeu dentro da área, do lado esquerdo, e bateu forte, no alto, quase no ângulo. Szczesny ainda tocou na bola, mas não conseguiu impedir o gol.  Um golaço de Mbappé e 3 a 0 no placar. São 16 gols marcados nos últimos 14 jogos de Mbappé pela França.

Já nos acréscimos da partida, em um cruzamento para a área, Upamecano estava com o braço aberto e a bola toca ali. O árbitro não viu, mas o VAR recomendou a revisão do lance. Foi marcado o pênalti e Lewandowski partiu para a cobrança, com paradinha e bateu mal, Lloris defendeu. Lloris se adiantou na cobrança, além da invasão da área e o árbitro mandou voltar a cobrança. Na cobrança repetida, Lewandowski fez a paradinha de novo, mas mudou o canto e deslocou Lloris: 3 a 1. Foi o último lance do jogo.

Ficha técnica

França 3×1 Polônia

Local: Estádio Al-Thumana, em Al-Thumana
Árbitro: Jesus Velenzuela (Venezuela)
Gols: Olivier Giroud, Kylian Mbappé (duas vezes) (França)
Cartões amarelos:
Bartosz Bereszynski, Matty Cash (Polônia)
Cartões vermelhos:
nenhum

França: Hugo Lloris; Jules Koundé (Axel Disasi), Raphaël Varane, Dayot Upamecano e Theo Hernández; Aurélien Tchouaméni (Youssouf Fofana) e Adrien Rabiot; Ousmane Dembélé (Kingsley Coman), Antoine Griezmann e Kylian Mbappé; Olivier Giroud (Marcus Thuram). Técnico: Didier Deschamps

Polônia: Wojciech Szczesny; Matty Cash, Kamil Glik, Jakub Kiwior (Jan Bednarek) e Bartosz Bereszynski; Grzegorz Krychowiak (Krystian Bielik); Jakub Kaminski (Nicola Zalewski), Piotr Zielinski, Sebastian Szymanski (Arkadiusz Milik) e Przemyslav Frankowski (Kamil Grosicki); Robert Lewandowski. Técnico: Czeslaw Michniewicz

https://www.youtube.com/watch?v=e6HudVA10pQ
Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo