Eliminatórias da Copa

Titular depois de mais de dois anos, Dembélé marca, e França faz dever de casa contra o Cazaquistão

Sem brilho, mas com alguns bons momentos coletivos, a França fez seu dever de casa e se recuperou do empate na estreia das eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2022 com uma vitória por 2 a 0 sobre o Cazaquistão, fora de casa, neste domingo (28), pela segunda rodada. Titular pela primeira vez neste seu retorno à seleção, Ousmane Dembélé foi uma das boas notícias aos Bleus, marcando o primeiro gol para concluir uma bonita jogada coletiva.

Didier Deschamps promoveu nove mudanças em relação à equipe que havia enfrentado a Ucrânia na quarta-feira (24). Hugo Lloris e Antoine Griezmann foram os únicos remanescentes, com jogadores como Paul Pogba, Tanguy Ndombélé e Anthony Martial ganhando suas chances. Ousmane Dembélé, convocado pela primeira vez desde o fim de 2018, havia entrado como substituto diante dos ucranianos, mas desta vez foi titular. Sua última oportunidade no 11 inicial dos Bleus havia acontecido em outubro de 2018, em amistoso contra a Islândia.

Jogando em uma espécie de 4-3-1-2 no primeiro tempo, com Griezmann atrás de Martial e Dembélé, que iniciavam as jogadas nas pontas até fechar pelo meio, a França teve uma boa primeira etapa, apesar de finalizar apenas duas vezes a gol. Thomas Lemar jogava como terceiro homem de meio de campo e tinha liberdade para flutuar na transição para o terço final, participando bastante da movimentação ofensiva francesa.

O primeiro gol da partida veio aos 20 minutos da primeira etapa. Pogba acertou um bonito passe entre linhas para Martial, que dominou com estilo, girando para cima da marcação, e passou para Dembélé. Sem hesitação, o jogador do Barça, que vive temporada de reencontro com o bom futebol, bateu cruzado, de direita, para vencer o goleiro Aleksandr Mokin e fazer 1 a 0.

Aos 43 minutos, aproveitando erro na saída de bola da defesa do Cazaquistão, Griezmann abriu com Lemar, que cruzou para Martial. Com o goleiro já batido pelo passe de Lemar, bastava ao atacante do Manchester United atacar a bola com determinação para ampliar, mas Sergey Maliy apareceu na última hora para travar o camisa 9 e mandar para escanteio.

Na bola parada consequente do lance com Martial, Maliy apareceu novamente como protagonista, mas desta vez pelo motivo errado. Brigando pelo alto com Pogba, o zagueiro acabou cabeceando contra a própria meta, tirando do alcance de Mokin: 2 a 0.

Em parte pelo conforto do resultado e pela tripla alteração aos 14 minutos do segundo tempo, com as entradas de Mbappé, Ben Yedder e Rabiot nos lugares de Martial, Griezmann e Pogba, a França teve uma primeira metade de segunda etapa fraca, mesmo sonolenta, sem nada indicar um terceiro gol. Lentamente, no entanto, os substitutos começaram a entrar no ritmo da partida e a causar problemas aos cazaques.

Aos 24 minutos, Dubois cruzou, e Dembélé cabeceou à queima-roupa, para boa defesa de Mokin, que mandou para escanteio. Dois minutos mais tarde, em boa trama ofensiva pela esquerda, Ben Yedder ajeitou para chute de Mbappé, também espalmado pelo goleiro do Cazaquistão.

Aos 29, o atacante do PSG tirou um marcador para dançar e, prestes a finalizar, foi derrubado por um segundo defensor dentro da área. O pênalti foi marcado, e Mbappé assumiu a responsabilidade, mas parou em boa defesa de Mokin, que se atirou para a esquerda para espalmar a cobrança do parisiense. Em seu duelo pessoal com o arqueiro cazaque, Mbappé teve ainda uma última oportunidade aos 48 minutos, mas parou em outra boa defesa de Mokin.

Classements proposés par SofaScore LiveScore

Com o triunfo, a França foi a quatro pontos em dois jogos e assumiu provisoriamente a ponta do grupo D das eliminatórias europeias para a Copa do Mundo. Ucrânia e Finlândia, que jogam entre si ainda neste domingo, também começaram a campanha com empate, e quem sair com uma vitória no duelo de mais tarde igualará a pontuação dos franceses.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo