Eliminatórias da Copa

Peru (finalmente) acha futebol nas Eliminatórias, mas cede empate para a embalada Venezuela

Após primeiro tempo consistente do Peru, Venezuela cresce de produção na etapa complementar e amplia sequência invicta nas Eliminatórias

O Peru até conseguiu balançar as redes pela primeira vez nessas Eliminatórias Sul-Americanas para Copa do Mundo 2026, mas não foi dessa vez que a seleção de Paolo Guerrero venceu no torneio classificatório. Diante da Venezuela, no Estádio Nacional (Lima), os peruanos abriram o placar com Yotún, mas caíram de rendimento no segundo tempo e permitiram a reação da Vinho Tinto, que empatou com Savarino.

Com o empate em Lima, o Peru somou apenas seu segundo ponto e se manteve afundado na lanterna das Eliminatórias. A Venezuela, por sua vez, ampliou a sequência invicta de cinco partidas sem derrota e foi a nove pontos na quarta colocação.

Peru domina Venezuela e sai na frente com de Yotún

Pegado, picotado e intenso. Os primeiro minutos de Peru x Venezuela foram marcados por muito jogo físico, faltas em excesso e pouca fluidez. Até que aos 9′, Yotún ‘rasgou' a defesa venezuelana, recebeu passe na medida e saiu cara a cara com Romo. O camisa 19 deu um toque na saída do goleiro, que conseguiu desvio providencial para evitar o gol dos donos da casa. No rebote, Aquino finalizou e também parou no arqueiro.

Aos 17′, o Peru abriu o placar. Inspirado e muito a fim de jogo, Yotún marcou o primeiro gol dos peruanos nas Eliminatórias. Grimaldo passou a quinta marcha no lado direito e, mesmo marcado, descolou cruzamento perfeito, na cabeça do ex-Vasco, que testou forte, consciente, no ângulo de Romo.

Perdida em campo, a Venezuela não conseguiu encaixar a tradicional e forte marcação que chamou atenção nas primeiras rodadas das Eliminatórias. No setor ofensivo, a Vinho Tinto também mostrou desorganização, mas tentava chegar aos trancos e barrancos. Em bola alçada na área peruana, os visitantes por pouco não empataram. O bate e rebate resultou em bola na trave do goleiro Gallese, que pôde respirar aliviado após o árbitro marcar falta de ataque no lance.

Confortável na partida, o Peru buscava se aproveitar de uma Venezuela irregular e apática. Com 36′ no relógio, Wilker Ángel saiu jogando errado, Grimaldo roubou a bola e invadiu a área. De frente para Romo, o atacante encheu o pé, mas em cima do camisa 22, que efetuou a defesa.

Venezuela cresce no segundo tempo e empata com Savarino

A Venezuela voltou mais ligada do intervalo. Precisando correr atrás do prejuízo do primeiro tempo, a Vinho Tinto não demorou muito até conseguir o empate. Aos oito minutos, Machís fez bonita jogada individual pelo lado direito e cruzou para o meio da área. Lá estava Savarino, que chegou antes da marcação e não perdoou: 1 a 1.

A resposta dos peruanos saiu dos pés de Lapadula. O atacante aproveitou bobeada da Venezuela no meio-campo e tentou surpreender Romo com arremate dali mesmo. O goleiro teve de recuar alguns passos para impedir aquilo que seria um gol de placa no Estádio Nacional.

Aos 26′, Savarino descolou passe para Machís na entrada da área e quebrou as linhas de marcação do Peru. O camisa 11 optou pelo chute cruzado e parou em Gallesi. No rebote, Rondón, desequilibrado no lance, mandou por cima da meta. O jogo ficou aberto até o fim, com contra-ataques e chances para ambos os lados. Nenhuma seleção, no entanto, foi competente o suficiente para balançar as redes e sair de campo com a vitória.

No final das contas, o empate não foi bom nem para Venezuela, que perdeu a oportunidade de seguir na cola da Colômbia (terceira colocada), nem para o Peru, que passou mais uma Data Fifa na lanterna.

Estatísticas de Peru 1 x 1 Venezuela – Eliminatórias Sul-Americanas

  • Posse de bola: 47% x 53%
  • Faltas: 19 x 18
  • Chutes: 12 x 8
  • Chutes no gol: 5 x 3
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo