Eliminatórias da Copa

Numa segunda sem jogos decisivos nas Eliminatórias Africanas, Níger aproveitou para emplacar uma goleada por 7 a 2

Níger foi o destaque do dia, com Victorien Adebayor se tornando o maior artilheiro da equipe nacional

As Eliminatórias para a Copa do Mundo na África realizaram apenas quatro partidas nesta segunda-feira, todas para cumprir tabela. Todos os times em campo estavam eliminados em suas respectivas chaves. Mesmo assim, Níger teve o gosto de aplicar uma sonora goleada em seu compromisso. Pelo Grupo A, as Gazelas derrotaram Djibuti por 7 a 2, a um gol de estabelecer a maior goleada de sua história. O jogo serviu para o meia Victorien Adebayor anotar três tentos e assumir a artilharia histórica de sua seleção, com 15 gols totais aos 25 anos.

O primeiro tempo foi relativamente contido. Níger abriu o placar com Adebayor, Youssouf Ahmed empatou para Djibuti e Adebayor retomou a vantagem pouco depois. Já no segundo tempo, uma chuva de gols facilitada pela péssima (e suspeita) jornada do goleiro adversário. Issa Djibrilla balançou as redes duas vezes, enquanto Adebayor completou sua tripleta. Mohamed Wonkoye e Daniel Sosah marcaram os outros tentos das Gazelas. Já Yabe Isman assinalou o segundo gol djibutiano. O Grupo A será definido nesta terça, quando Argélia e Burkina Faso decidem o classificado no confronto direto, com a vantagem do empate aos argelinos diante de sua torcida em Blida.

Pelo Grupo E, Mali estava classificado e fechou sua participação neste domingo com vitória sobre Uganda. O Quênia, então, concluiu a chave na terceira colocação ao vencer Ruanda por 2 a 1 em Nairóbi. O artilheiro Michael Olunga abriu o placar aos dois minutos e Richard Odada ampliou de pênalti aos 15, antes que os ruandeses descontassem no segundo tempo com Olivier Niyonzima.

Já pelo Grupo H, Senegal também tinha confirmado a primeira posição com duas rodadas de antecedência e, neste domingo, só cumpriu tabela com a vitória por 2 a 0 sobre Congo. A segunda posição da chave ficou com Togo, que derrotou a Namíbia por 1 a 0 no campo neutro de Johannesburgo. Os namíbios perderam um pênalti no primeiro tempo, em cobrança de Peter Shalulile defendida pelo goleiro Wassiou Ouro-Gneni. Os togoleses marcaram seu gol aos 43 do segundo tempo, com Euloge Placca Fessou.

Por fim, o Grupo I contou com o fim da participação de Guiné-Bissau e Sudão, que empataram por 0 a 0 em Marrakesh. O destaque ficou por conta dos goleiros, com defesas importantes dos dois lados. Os bissau-guineense ocupam a segunda posição, enquanto os sudaneses são os lanternas. Os trabalhos na chave serão encerrados nesta terça, quando o classificado Marrocos mede forças com Guiné e tenta manter os 100% de aproveitamento.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo