Eliminatórias da Copa

Itália chutou longe a chance de antecipar classificação à Copa contra Suíça e fica tudo para última rodada

Jorginho perdeu pênalti nos minutos finais, perdendo a chance de praticamente se garantir no Catar; tudo dependerá da última rodada

A Itália poderia ter ficado muito perto da vaga no Catar, mas Jorginho desperdiçou um pênalti nos últimos minutos com Jorginho e ficou tudo para a última rodada. O empate por 1 a 1 com a Suíça, em jogo em Roma, manteve os dois times empatados na primeira posição, com a Azzurra à frente apenas pelo saldo de gols – o confronto direto entre ambos acabou empatado nos dois jogos e não há mais gol fora de casa como critério de desempate.

Os italianos entraram em campo com uma série de desfalques e o técnico Roberto Mancini precisou mudar muito o time. Nicolò Zaniolo, Lorenzo Pellegrini, Marco Verratti e Ciro Immobile estavam todos machucados e não foram para o jogo. Assim, Andrea Belotti ganhou um lugar no time titular no comando do ataque. Na defesa, Francesco Acerbi formou a dupla ao lado de Leonardo Bonucci.

Logo a 10 minutos, a Suíça conseguiu abrir o placar em um contra-ataque perfeito. Xerdan Shaqiri fez o lançamento na ponta esquerda para a velocidade de Noah Okafor, que avançou com velocidade, tocou para trás e o lateral direito Silvan Widmer, que encheu o pé e marcou um golaço, na gaveta: 1 a 0.

Como era de se esperar, a Itália aumentou a pressão. Incrivelmente, Sommer fez uma defesa espetacular aos 21 minutos. Depois de jogada de Insigne pela esquerda, Jorginho chutou, a bola bateu na defesa e sobrou para Barella, que tinha tudo para marcar o gol, mas Sommer fez um milagre e impediu. Uma defesa espetacular.

Apesar de ter menos a bola, a Suíça ameaçava também em contra-ataques e oferecia algum perigo. O time comandado por Murat Yakin sabia que a Itália partiria para cima e estava preparada para atacar. Por isso, o time conseguiu finalizar algumas vezes.

O empate italiano veio aos 35 minutos. Insigne cobrou falta do lado esquerdo na direção da área e o goleiro Sommer saiu mal. O lateral direito Giovanni Di Lorenzo se antecipou e tocou de cabeça para igualar o marcador: 1 a 1 em Roma.

Nos primeiros minutos do segundo tempo, Mancini mudou o time. Colocou em campo Sandro Tonali e Domenico Berardi, tirando Manuel Locatelli e Andrea Belotti. Os dois entraram bem em campo. A chance de virar o jogo veio com Insigne, que cortou para dentro, bem característico, vindo de um escanteio e finalizou, mas Sommer defendeu, mesmo com o desvio em Zakaria no meio do caminho.

O lance decisivo veio no final do jogo, aos 43 minutos. Ulisses Garcia puxou Berardi, que caiu. Mas o árbitro não marcou nada. O VAR chamou Anthony Taylor, que revisou o lance no vídeo e mudou de ideia: marcou o pênalti.

A bola ficou nas mãos de Jorginho para cobrar. O camisa 8, especialista nesse tipo de cobrança, tinha a responsabilidade. Ele já tinha marcado na decisão por pênaltis contra a Espanha, mas perdeu na decisão contra a Inglaterra. Ele cobrou, mas mandou um chute por cima do gol. Um chute longe, perdendo uma grande chance de vitória.

Os suíços quase conseguiram aproveitar para marcar logo em seguida com Andi Zeqiri. O jogo, então acabou de forma muito dramática. As duas seleções estão empatadas em pontos e estão separadas por dois gols de saldo em favor dos italianos.

Na última rodada, na próxima segunda-feira, dia 15, a Itália viaja até Belfast para enfrentar a Irlanda do Norte, enquanto a Suíça joga contra a Bulgária, em casa. Os suíços precisam vencer e torcer para que os italianos não vençam; caso os dois times vençam, a Suíça precisa fazer uma diferença de três gols a mais que os italianos.

 

Standings provided by SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo