Eliminatórias da Copa

Governo oferece €1 milhão à seleção sérvia pela classificação à Copa e jogadores doam o dinheiro a hospitais infantis

Diante da politicagem do governo, os jogadores da Sérvia resolveram praticar um gesto de solidariedade

O governo da Sérvia ofereceu um gordo prêmio para a seleção nacional, caso a equipe vencesse Portugal e conquistasse a classificação à Copa do Mundo: pagaria €1 milhão, para ser dividido entre jogadores e comissão técnica. Os sérvios cumpriram sua missão no Estádio da Luz, com a emocionante virada por 2 a 1, que confirmou o retorno das Águias ao Mundial. E a politicagem se transformou em solidariedade. Conforme noticiado por diferentes jornais locais, o elenco decidiu pegar o dinheiro e doar para hospitais infantis no país.

A oferta do governo sérvio surgiu às vésperas do duelo decisivo contra Portugal, na tentativa de motivar um pouco mais a equipe. Segundo a imprensa local, o dinheiro já foi depositado na conta da federação nesta segunda-feira. Todavia, o gesto dos jogadores seria bem maior. Além de provocarem a comemoração em todo país, resolveram apoiar crianças doentes. Ainda não está claro como o dinheiro será aplicado – se auxiliaria uma ou mais instituições locais. De qualquer maneira, fica a grandeza da postura dos atletas diante da oportunidade.

A Sérvia disputará sua segunda Copa do Mundo consecutiva e a terceira desde o desmembramento da federação de Montenegro, com a qual ainda disputou os Mundiais de 1998 e 2006. O desembarque do elenco causou uma grande mobilização no aeroporto de Belgrado, com uma recepção festiva após a histórica vitória sobre Portugal. Entre as figuras mais celebradas estava o técnico Dragan Stojkovic, considerado também um dos maiores jogadores da história da seleção local, com duas Copas no currículo como atleta.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo