Eliminatórias da Copa

Emerson Royal cita complexidade do estilo de Diniz para justificar mau momento da Seleção

Após derrota para Argentina, Emerson Royal destrincha mudança radical no Brasil e pede paciência da torcida canarinho

A Seleção Brasileira vive momento terrível dentro de campo. Na noite da última terça-feira (21), a Canarinho sucumbiu diante da Argentina, no Maracanã, e acumulou sua terceira derrota consecutiva nas Eliminatórias Sul-Americanas para Copa do Mundo de 2026. Dentre os personagens mais criticados da crise que atravessa a Amarelinha está Emerson Royal, que após o revés no Rio de Janeiro deu forte desabafo sobre o atual momento da pentacampeão do mundo.

Titular nas derrotas para Colômbia e Argentina, Emerson abriu o jogo sobre o estilo de jogo proposto pelo técnico Fernando Diniz. Nas palavras do lateral-direito do Tottenham, a Seleção Brasileira passa por uma grande reformulação e assimilar os desejos do novo treinador não é tarefa fácil. Durante a entrevista, o jogador de 24 anos mostrou sinceridade ao admitir a fase ruim da Amarelinha.

– Eu recebo muita crítica, vi a torcida falando isso e aquilo… que eu não sabia jogar bola. Eu não sou de dar ouvidos. É um processo. São muitos jogadores novos, mudou o time praticamente todo. A gente tem um outro estilo de jogo, não é o mesmo do Tite. A torcida tem que entender isso. Não é fácil jogar assim. Poucos times no mundo jogam assim. O que o Diniz vem fazendo com a Seleção é uma coisa muito difícil -, disse Emerson Royal na zona mista do Maracanã.

Diante da Argentina, Emerson Royal fez sua décima partida com a camisa do Brasil. Como citado pelo próprio, o lateral não vem agradando boa parte da torcida canarinho que, por sua vez, tem se mostrado bastante insatisfeita com o desempenho da equipe de Fernando Diniz nos últimos jogos. Questionado sobre tal descontentamento, o camisa 2 pontuou que o público deve ter paciência.

– A torcida tem que ter um pouco de paciência e entender este processo. A gente vai conseguir as vitórias, acertar estes detalhes mínimos que vêm fazendo a gente tomar gols. E nós somos brasileiros, com a bola a gente sempre vem bem -, concluiu o lateral.

Emerson Royal e Cristian Romero, companheiros de Tottenham, durante Brasil x Argentina (Foto: Icon Sport)

Momento de Emerson Royal no Tottenham também não é dos melhores

Mais do que as críticas sofridas na Seleção Brasileira, Emerson Royal também não vem fazendo boa temporada no Tottenham. Apesar do excelente começo de Premier League dos Spurs, o desempenho individual do lateral-direito não é satisfatório. Prova disso é a baixa minutagem em campo e a reação dos adeptos do time londrino, seja no estádio ou nas redes sociais.

“He can't defend. He can't attack. Emerson Royal is our wing back”. Na tradução para o português: “Ele não defende. Ele não ataca. Emerson Royal é o nosso lateral direito”. A canção de tom crítico e irônico é entoada por torcedores do Tottenham ao lateral brasileiro durante os jogos da equipe em casa.

Royal entrou em campo dez vezes pelo Tottenham na atual temporada. Só na Premier League, foram nove jogos, entretanto apenas dois completos. Ao todo, soma 413 minutos em 2023/24.

Má fase da Seleção reflete na classificação

A derrota do Brasil nesta última terça-feira, a primeira da história da seleção nas Eliminatórias atuando em casa, implicou diretamente na classificação. A Amarelinha, que amargou o terceiro revés no torneio classificatório, caiu para a sexta colocação do certame, última posição que garante vaga direta à Copa do Mundo de 2026.

Com sete pontos conquistados, o time de Fernando Diniz venceu apenas dois dos seis jogos realizados. Na próxima rodada, em setembro do ano que vem, a Canarinho recebe o Equador, atual quinto colocado.

Números do Brasil nas Eliminatórias

  • 6 jogos
  • 2 vitórias
  • 1 empate
  • 3 derrotas
  • 38,8% de aproveitamento
  • 8 gols marcados
  • 7 gols sofridos
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo