Eliminatórias da Copa

Com o duelo particular entre Messi e Bravo, Argentina e Chile ficaram num morno empate

Num jogo que demorou a engrenar, Bravo fez boas defesas contra Messi, mesmo tomando um gol de pênalti

O jogo de mais peso desta rodada das Eliminatórias rendeu uma partida sem tantas emoções em Santiago del Estero. Argentina e Chile empataram por 1 a 1, com a Albiceleste dominando as ações, mas sem fazer uma grande atuação. Nem mesmo a homenagem a Diego Maradona antes do compromisso, com a imagem da lenda na camisa usada durante o hino, não inspirou os argentinos. Houve um duelo particular entre Claudio Bravo e Lionel Messi, no qual o saldo terminou positivo ao chileno. O camisa 10 até abriu a contagem cobrando pênalti, mas o goleiro realizou três boas defesas e ainda viu o adversário carimbar a forquilha.

A Argentina entrou em campo com uma série de desfalques, que incluíam Sergio Agüero, mas tinha Lionel Messi, Ángel Di María e vários jogadores que vinham em alta da temporada europeia – como Emiliano Martínez, Rodrigo de Paul, Cristian Romero, Lucas Ocampos e Lautaro Martínez. Já o Chile estrearia o técnico Martín Lasarte, mas não contaria com Arturo Vidal, se recuperando da COVID-19. Medalhões como Claudio Bravo, Charles Aránguiz e Alexis Sánchez compunham a espinha dorsal.

Num jogo que não começou no ritmo mais forte, o primeiro susto foi de Eduardo Vargas, num chute cruzado de fora da área que passou perto da trave. A Argentina não criava tanto, mas ganhou a chance do gol pouco depois, num pênalti cometido por Guillermo Maripán sobre Lautaro. Messi cobrou e apenas deslocou Bravo aos 24. De Paul ainda bateu com perigo, mas o Chile não demoraria a empatar. Aos 36, uma cobrança de falta na intermediária permitiu o tento. Gary Medel escorou o cruzamento de carrinho no segundo pau e Alexis Sánchez apareceu sozinho na pequena área para cutucar.

No fim do primeiro tempo, a Argentina voltou a arriscar com De Paul, enquanto Bravo faria sua primeira grande defesa contra Messi, voando para espalmar uma cobrança de falta que ia no ângulo. Para o segundo tempo, Lionel Scaloni entrou com Ángel Correa e Lisandro Martínez, mas não que a Albiceleste tenha melhorado tanto assim. A pressão não era suficiente e Bravo mantinha a segurança quando exigido. Do outro lado, quando o Chile respondeu, Alexis e Vargas mandaram para fora.

Só no fim os argentinos apertaram um pouco mais, quase sempre dependendo de Messi. O camisa 10 mandou uma cobrança de falta no travessão e seria frustrado por Bravo um pouco mais. O goleiro realizaria duas boas defesas, ao rebater um arremate do craque no canto e depois ao buscar uma batida colocada no alto. O veterano acabou fazendo a diferença, num resultado valioso ao Chile dentro das Eliminatórias. Já a Argentina fica devendo outra vez nesta campanha, mesmo com boa pontuação.

A Argentina permanece invicta nestas Eliminatórias, mas sem apresentar um futebol condizente com a qualidade de seu elenco. A Albiceleste ocupa a segunda posição, com 11 pontos em cinco partidas. Já o Chile oscila bastante. A Roja aparece na sexta posição, com cinco pontos e somente uma vitória. Na sequência da Data Fifa, os chilenos recebem a Bolívia e os argentinos pegam a Colômbia em Barranquilla.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios? Aí é falta desleal =/

A Trivela é um site independente, que precisa das receitas dos anúncios. Desligue o seu bloqueador para podermos continuar oferecendo conteúdo de qualidade de graça e mantendo nossas receitas. Considere também nos apoiar pelo link "Apoie" no menu superior. Muito obrigado!