Eliminatórias da Copa

Confusão com torcedores, guardas e polícia suspende início de Brasil x Argentina no Maracanã

Antes mesmo do apito inicial de Brasil x Argentina, pelas Eliminatórias, uma enorme briga se formou no setor sul do Maracanã

Antes mesmo do apito inicial de Brasil x Argentina, pelas Eliminatórias, uma enorme briga se formou no setor sul do Maracanã. Tudo começou com reclamações por conta da superlotação no local, e terminou em pancadaria, depredação e atraso do jogo.

Ao fim do hino nacional brasileiro, um clarão se abriu no setor sul inferior. Argentinos enfurecidos puxaram o chapéu de um torcedor brasileiro e atiraram encostos das arquibancadas contra a torcida dos donos da casa, em um setor que era misto.

Posicionados atrás do gol, os argentinos entraram em forte confronto com a segurança privada do estádio, e a Polícia Militar subiu às arquibancadas para reprimir as agressões. Uma confusão foi formada no gramado, e a seleção argentina correu para trás do gol para tentar parar a briga.

Mais policiais foram chamados ao local e subiram já com cassetetes para dispersar a confusão. Boa parte da segurança privada do Maracanã correu em direção ao setor sul.

Passados oito minutos de confusão, com algumas invasões ao gramado, a Argentina voltou ao campo. A Polícia Militar executou prisões.

Os atletas da seleção brasileira permaneceram no campo de jogo, enquanto a delegação da Argentina retirou seus pertences do banco de reservas e se dirigiu para o vestiário. Lionel Messi foi quem puxou a fila.

De acordo com a TV Globo, oito pessoas foram presas durante a confusão e dois torcedores estão sendo atendidos no estádio.

Visitantes não tinham setor dedicado

Diferentemente de jogos entre clubes que acontecem no Maracanã, os torcedores visitantes não tinham um setor dedicado a eles. Durante a reunião de preparação na última semana, a decisão foi de que os argentinos seriam colocados no Setor Sul do estádio, mas sem uma área dedicada, trabalhando mais próximo do esquema de segurança da final da Libertadores do que das partidas do dia-a-dia no estádio.

Uma barreira em volta dos argentinos só foi montada depois de toda a confusão, com seguranças particulares contratados pelo Maracanã se postando em volta dos torcedores visitantes.

Messi ‘tirou' jogadores da Argentina de campo durante confusão

Em meio à confusão generalizada nas arquibancadas do setor sul do Maracanã, Lionel Messi decidiu tirar o time argentino de campo. Com um gesto sério e contundente, o camisa 10 deixou claro que os hermanos não enfrentariam o Brasil naquelas condições.

Como citado, Messi havia se aproximado da confusão com o restante do plantel argentino na tentativa de acalmar os torcedores e policiais envolvidos na pancadaria. Mas os incidentes persistiram. Desse modo, o craque ‘ordenou' aos companheiros para que retornassem ao vestiário.

Segundo membros da comissão técnica argentina, os jogadores argentinos se preocuparam bastante com a situação porque familiares estariam naquele setor junto da maioria dos torcedores visitantes. Cristián Romero e Lautaro Martínez chegaram a escalar o muro para tentar apaziguar a situação.

Minutos depois, quando o clima finalmente esfriou e as forças de segurança contiveram os ânimos, os atletas argentinos retornaram ao gramado e o jogo foi iniciado. Durante o regresso dos hermanos, Messi e De Paul discutiram com Rodrygo. A partida começou às 21h57 (horário de Brasília), com 27 minutos de atraso.

Marquinhos é o único brasileiro a aparecer

Capitão da seleção brasileira, Marquinhos foi o único jogador brasileiro a tentar ajudar os jogadores argentinos durante a situação.

– Cadê o chefe da segurança? Eles [jogadores da Argentina] têm família ali, pô… Fala para acalmar os caras – afirmou o zagueiro aos jornalistas presentes no setor mais próximo da confusão.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo