Eliminatórias da Copa

10 jogadores que ganham uma chance na Data Fifa pelas seleções já garantidas na Copa

Muitas seleções aproveitarão os próximos jogos para testes e novos nomes cavam sua vaguinha no Mundial

A Data Fifa será importante a dezenas de seleções, mas não tanto às 15 equipes já classificadas para a Copa do Mundo. Os europeus farão amistosos, enquanto sul-americanos e asiáticos só cumprirão tabela sem muito interesse nos desdobramentos. De qualquer maneira, as novas partidas abrem portas a testes. E, num momento de definição dos elencos, a maioria dos treinadores observará novos nomes. Abaixo, separamos uma lista de dez jogadores que poderão estrear por suas equipes nacionais nos próximos dias. Muitos nem são tão badalados, mas vêm em crescente e talvez descolem uma vaguinha no Catar.

Gabriel Martinelli (Brasil)

Gabriel Martinelli apresenta potencial o suficiente para despontar como um futuro nome da seleção brasileira, algo que já valeu sua convocação aos Jogos Olímpicos. Talvez não estivesse tão bem colocado na fila de Tite se não tivesse também cidadania italiana, o que tornava sua perda um risco palpável. Porém, também não dá para dizer que o jovem de 20 anos não merece uma chance, pelo ótimo momento no Arsenal. Atuando principalmente aberto na esquerda, o prodígio tem sido um dos motivos da guinada dos Gunners na Premier League. Se um dos problemas de Tite costuma ser a falta de testes, uma oportunidade ao garoto é bem-vinda. Pode ser um dos nomes extras para os 26 chamados rumo a 2022, embora a ideia principal seja mirar para 2026.

Christopher Nkunku (França)

A concorrência por um lugar no ataque da França é enorme. Ainda assim, Christopher Nkunku merece a observação. O meia vem jogando uma bola sensacional pelo RB Leipzig, consolidando a ascensão apresentada em outras temporadas. É um dos principais jogadores da Bundesliga e também faz estrago nas copas europeias. Nada mais justo, então, que os Bleus abrissem portas ao jovem de 24 anos – que atuou pelas seleções de base. A sua produtividade de gols e assistências é altíssima. Pesa também a polivalência, jogando mais centralizado ou aberto pelos lados com os Touros Vermelhos. Outro possível estreante da França é o lateral direito Jonathan Clauss, que vem em ótima fase com o Lens e ganha a primeira convocação aos 29 anos.

Anton Stach (Alemanha)

A Alemanha por vezes carece de um volante de mais pegada. Hansi Flick realizará testes nesse sentido e, por isso, Anton Stach ganha o primeiro chamado. O cabeça de área de 23 anos é um dos principais jogadores do Mainz 05 na boa campanha na Bundesliga. Antes disso, foi destaque no acesso do Greuther Fürth e participou da conquista do Europeu Sub-21 em 2021. É um jogador de presença física e bom posicionamento, que também dá sua contribuição na construção. Pode oferecer um pouco mais estabilidade ao time numa função que carece de alternativas. Não à toa, outro jogador do setor chamado para essa Data Fifa é Julian Weigl, que passou cinco anos longe das listas da Mannschaft. O volante vem em boa fase com o Benfica e, por sua experiência, tende a estar um passo à frente para se restabelecer na equipe nacional. Já convocado anteriormente, Nico Schlotterbeck pode estrear na zaga como prêmio ao estupendo momento com o Freiburg.

Casper Nielsen (Dinamarca)

A Union St. Gilloise é uma das surpresas da temporada, ao subir da segundona na Bélgica após 49 anos ausente na elite e já brigar pelo título que não conquista desde 1935. Um dos trunfos é o meio-campista Casper Nielsen. O dinamarquês chegou ao clube há três temporadas e é um dos motivos dessa guinada. Jogando como volante ou meia central, o camisa 6 ofereceu seis gols e seis assistências na campanha até o momento. Usou a braçadeira de capitão em alguns compromissos e só não disputou uma partida da equipe como titular, quando estava suspenso. Tal destaque permite que seja incluído no elenco da Dinamarca e possa se provar.

Orel Mangala (Bélgica)

O Stuttgart não faz temporada tão boa assim na Bundesliga, mas tem em Orel Mangala um dos seus principais jogadores. O volante é cria do Anderlecht, mas passou pela base do Borussia Dortmund e teve um empréstimo ao Hamburgo. Ainda assim, foi com os suábios que o futebol do meio-campista de 24 anos realmente desabrochou, desde a recente conquista do acesso. Jogador das seleções de base, pode ser um nome interessante dentro do processo de renovação dos Diabos Vermelhos. Axel Witsel, por exemplo, ganhou um descanso nesse Data Fifa.

Nikola Moro (Croácia)

O meio-campo da Croácia é exatamente o setor mais bem servido, mas uma renovação não deixa de ser pertinente na equipe. Nikola Moro pode ser uma alternativa interessante, aos 24 anos. O volante é cria das prolíficas categorias de base do Dinamo Zagreb, mas mudou-se para a Rússia há duas temporadas. Neste momento, é um dos principais jogadores do Dynamo Moscou que persegue o Zenit em busca do troféu nacional. Vem evoluindo na mão do técnico Sandro Schwarz e vira opção para a seleção croata. Já foi convocado anteriormente, mas sem estrear. Embora não seja tão técnico quanto outros companheiros, pode garantir proteção no setor.

David Raya (Espanha)

Unai Simón é o titular da seleção da Espanha e David de Gea é um dos melhores goleiros da temporada. Assim, fica uma abertura ao posto de terceiro goleiro da Roja, por enquanto nas mãos de Robert Sánchez. No entanto, por seu trabalho no Brentford, David Raya merecia uma convocação. O arqueiro de 26 anos chegou ao Blackburn na base, mas viveu o grande sucesso com as Abelhas, fundamental no acesso à elite. Também teve grandes atuações na Premier League, embora uma lesão tenha atrapalhado sua sequência. Mesmo de volta apenas em fevereiro, acabou chamado por Luis Enrique.

Marc Guéhi (Inglaterra)

O Crystal Palace faz uma temporada bastante satisfatória e um dos principais jogadores da equipe é Marc Guéhi. O zagueiro de 21 anos está entre as revelações de sua posição na Premier League. Formado na base do Chelsea, ganhou mais sequência em seus empréstimos ao Swansea. Agradou na Championship, a ponto de ser comprado pelo Palace em agosto de 2021 e, desde então, se estabeleceu como um homem de confiança de Patrick Vieira. Seu potencial é claro, vide as convocações que acumula nas seleções de base da Inglaterra. Disputa posição com uma vasta concorrência, mas com mais abertura pelo sistema de jogo. O lateral esquerdo Tyrick Mitchell é outra novidade do Palace pinçada nessa lista.

Jordan Teze (Holanda)

A Holanda tem bons defensores à disposição, mas isso não impede Louis van Gaal de abrir as portas para os mais novos. Jordan Teze ganha uma oportunidade nesta Data Fifa, reconhecido pelo trabalho com o PSV. O jovem de 22 anos tem como vantagem a sua versatilidade, entrando muitas vezes como zagueiro, mas atuando com mais frequência na lateral direita. É uma opção mais defensiva a Denzel Dumfries e que oferece uma variação tática dentro da Oranje. Pode ser bem aproveitado por um treinador que sabe lapidar jovens. A Data Fifa também pode ser útil para os holandeses testarem um novo goleiro. Mark Flekken (Freiburg) e Joël Drommel acumulam convocações, mas não estrearam. Como Tim Krul é o outro listado, é bem capaz que algum deles ganhe vez.

Lucas Boyé (Elche)

Lionel Scaloni aproveita as últimas convocações da Argentina para incluir vários jovens do país que atuam na Europa, inclusive na base dos grandes clubes. Os garotos não entram em campo, mas são observados nos treinamentos e também criam um vínculo com a Albiceleste, quando muitos têm dupla nacionalidade. Dentre os muitos estreantes, o único que foge a esta regra é Lucas Boyé. O centroavante de 26 anos surgiu na base do River Plate e rodou bastante, com experiência em quatro ligas diferentes na Europa. Levado pelo Elche em 2020, virou um dos principais jogadores do time e ajuda os valencianos a fugirem do rebaixamento. Não parece ter nível de seleção, mas é um jogador esforçado e que acaba recompensado.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo