Copa do Mundo

Deu tudo certo para a Argentina, que sobe um degrau como finalista de Copa do Mundo

Por Paulo Junior

A Argentina é a mais nova seleção a entrar para o seleto grupo de finalistas da Copa do Mundo de Futsal. Num jogo em que abriu três gols de diferença ainda no meio do primeiro tempo, a equipe sul-americana venceu Portugal, do eleito melhor jogador do mundo Ricardinho, por 5 a 2, e agora enfrenta a Rússia na grande decisão do Mundial no sábado, às 16h30, em Cali – na preliminar, às 14h, Irã e Portugal disputam o terceiro lugar.

LEIA TAMBÉM: Precisamos conversar sobre a entrada do futsal nos Jogos Olímpicos

Se esta edição já é a das novidades, com debutantes em final e uma surpreendente ausência de Brasil, Espanha e Itália nas primeiras posições, a Argentina, em tese, era quem corria por fora nessa semifinal. Enquanto a Liga Portuguesa de Futsal começou no início dos anos 1990, a competição no território argentino ainda é menos estruturada, e a primeira divisão se resume aos clubes da província de Buenos Aires. E se em 2010 Ricardinho já era eleito melhor do mundo atuando pelo Benfica, só agora que clubes como o Boca Juniors entraram num momento de maior atenção profissional à modalidade, como explicou o técnico da seleção Diego Giustozzi em entrevista à ESPN Brasil antes da semifinal.

“A evolução começou com seriedade de muitos clubes, como Kimberley, Boca Juniors e River Plate. Agora temos a Copa Argentina, teremos playoff esse ano. Estamos começando. Trabalhando forte para que a Argentina seja uma potência mundial daqui a 8, 10 anos”.

Nos últimos anos, a seleção foi campeã da América e venceu o Brasil pela primeira vez em solo brasileiro. Mesmo assim, ainda que não seja uma absoluta surpresa como poderia ser o Egito ao vencer a Itália, por exemplo, a Argentina era considerada antes da competição uma equipe num degrau abaixo de Portugal e Irã, os semifinalistas que ficaram pelo caminho. Está na final.

O jogo

Em quadra, o jogo se desenrolou sempre favorável ao lado albiceleste. Borruto abriu o placar aos 4, e Ré empatou aos 8, mas a Argentina marcou três vezes em menos de dois minutos: Stazzone aos 10, Vaporaki aos 11, e Brandi aos 12 do primeiro tempo.

O segundo tempo, como era de se esperar, foi de posse de bola portuguesa, que já colocou o goleiro-linha em quadra ainda na metade da etapa final. Mas Cuzzolino fez o quinto da argentina, e quando Tiago Brito descontou faltavam apenas três minutos, para desespero português.

Argentina e Rússia chegam à decisão com três vitórias no mata-mata. Os sul-americanos sofreram nas oitavas de final, ganhando pelo placar mínimo na prorrogação contra a Ucrânia, mas depois passaram bem por Egito e Portugal. Já os europeus tiveram uma trajetória oposta: a arrancada começou com fácil goleada sobre o Vietnam, mas vieram os jogos pesadíssimos contra Espanha, apesar do placar largo de 6 a 2, e Irã, que buscou o empate até o último lance de jogo.

Frustrado em não chegar à finalíssima, Portugal deve sair com o artilheiro do torneio, Ricardinho, que tem 12 gols e ainda joga contra o Irã. Eder Lima, mais próximo dele dos que ainda jogarão no sábado, tem apenas 6. Falcão, na despedida em Copas do Mundo, fez 10 gols em quatro jogos pelo Brasil.

Chamada Trivela FC 640X63

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo