Copa do Mundo

Deschamps descarta Benzema na final: “Essas perguntas são constrangedoras”

Se especulou que Benzema poderia ser relacionado para a final, já que está recuperado e ainda inscrito, mas Deschamps disse que conta com os 24 jogadores que estão no Catar

A conversa sobre Karim Benzema estar no Catar para a final da Copa incendiou os últimos dias de cobertura da Copa do Mundo. Quando se machucou, ainda antes da estreia da França, causou estranhamento o fato de Didier Deschamps escolher não cortar o jogador e convocar outro para o seu lugar. Com a sua recuperação, a ponto até de jogar um amistoso pelo Real Madrid, se especulou que ele poderia voltar à Copa e até estar à disposição do técnico.

Em parte, a culpa disso é de Deschamps. Ele sempre se recusou a dar uma resposta definitiva. Poderia ter dito que Benzema não voltaria, mas ele não fez isso. Disse apenas que não responderia a perguntas sobre isso, alimentando as especulações.

“Tive jogadores que se machucaram antes. Karim é um deles. O último a se machucar foi Lucas Hernández. Desde então, eu tenho 24 jogadores para gerir. Fazer perguntas em relação a esses jogadores, é constrangedor para dizer o mínimo, se não mais. O grupo está aqui”, respondeu Deschamps.

“Não me importo com convites para jogadores, ex-jogadores ou jogadores machucados. Não sei quem estará lá. Tivemos um grupo no começo e que, do que aconteceu, perdemos três, com Nkunku no começo. Eles foram parte do começo da aventura. Haverá 24 jogadores importantes para a França amanhã”, afirmou Deschamps, indicando que Benzema não volta para a final deste domingo.

O que se sabe é que N’Golo Kanté, Paul Pogba e Presnel Kimpembé são esperados para estarem junto com o presidente da França, Emmanuel Macron, no voo para Doha para assistirem à final da Copa do Mundo. Christopher Nkunku também recebeu autorização do RB Leipzig para viajar e pode estar presente no estádio junto com os demais. Karim Benzema foi liberado pelo Real Madrid, mas ao que tudo indica, não deve estar no Catar. 

“Este time da Argentina tem um apoio popular muito importante. Espero uma atmosfera festiva, os argentinos são apaixonados. Isso dá uma vibração positiva, eles são muito expressivos. É uma coisa boa porque é uma final de Copa do Mundo. Mas nossos adversários não estão nas arquibancadas”, disse Deschamps. “Temos uma equipe jovem, que pode ter menos referências. É importante gerir as emoções”.

Vírus afeta a França

Um dos problemas que a França tem enfrentado nos últimos dias é um surto de gripe. Kingsley Coman, Dayot Upamecano e Adrien Rabiot ficaram fora da semifinal contra Marrocos por isso e há outros jogadores afetados, o que os torna dúvidas para a final. Ibrahima Konaté e Raphaël Varane foram os últimos afetados, que não treinaram com o resto do grupo por isso.

“Temos que gerenciar essa situação da melhor forma possível. Os jogadores estavam dormindo quando saí, não sei as últimas informações. Estamos fazendo o melhor para gerenciar calmamente, haverá informações hoje. Terei alguma informação nesta noite para garantir que estamos prontos para este grande jogo”, disse ainda Deschamps.

Há a suspeita que os jogadores franceses estão com o “vírus do camelo”, o MERS-CoV, um tipo de coronavírus já conhecido do Oriente Médio. A França, porém, não confirmou se esse é o diagnóstico dos jogadores dos Bleus. É uma doença grave, mais grave que uma gripe e com índice de mortalidade maior do que o Sars-CoV-2, que gera a Covid-19. Como esses jogadores voltarão à Europa e se espalharão por alguns países, seria importante que essa questão seja esclarecida para evitar um novo surto.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo