Copa do Mundo

Além de Cristiano Ronaldo, pouca coisa se salvou na vitória de Portugal sobre Marrocos

Cristiano Ronaldo decidiu fazer a Copa do Mundo da sua vida. Chegou à Rússia em ótima forma e já soma quatro gols pela competição. O último deles saiu nesta quarta-feira, na vitória por 1 a 0 sobre Marrocos, na segunda rodada da fase de grupos. Uma ótima cabeçada, aos quatro minutos do primeiro tempo. Além disso, pouca coisa se salvou na atuação portuguesa: não conseguiu defender muito bem, perdeu a briga no meio-campo e falhou em matar a partida nas poucas chances que criou na sequência – com destaque para outro jogo ruim de Gonçalo Guedes. Rui Patrício fez um grande jogo e uma grande defesa em especial. A sorte de Portugal é que no outro lado havia uma equipe muito bem organizada e com talentos, mas que não sabe colocar a bola na casinha. Como na estreia diante do Irã, foi um time dominante, mas muito descalibrado nas finalizações. Pagou com a eliminação. 

A Copa da bola parada

Mais uma vez, a bola parada foi a chave para tirar o zero do placar, como vem acontecendo com frequência nesta Copa do Mundo. João Moutinho recebeu o escanteio curto e cruzou para o meio da área. Cristiano Ronaldo, muito empenhado em finalmente ter uma grande Copa do Mundo, se jogou para fazer 1 a 0, de cabeça. O craque também deu um lindo passe de perna esquerda para deixar Gonçalo Guedes na cara do goleiro, mas Munir fez linda defesa. Com exceção desses lances, Portugal fez muito pouco. Não apenas no primeiro tempo: na partida.

Marrocos joga direitinho

Depois de sofrer o gol, Marrocos tomou conta da bola e tentou envolver o adversário para empatar. A parceria entre Nabil Dirar e Nordin Amrabat pela direita deu trabalho. Da esquerda para o centro, Ziyech tentou surpreender de fora da área. Mas, no fim das contas, Rui Patrício precisou fazer apenas duas defesas. E nenhuma muito difícil. O que sobra de qualidade no meio-campo falta em poder de definição na equipe marroquina. 

Muito desperdício

Depois do intervalo, a pressão marroquina se intensificou. Rui Patrício precisou fazer uma linda defesa em cabeçada de Belhanda, após cobrança de falta. Portugal teve apenas uma chance, estragada por Gonçalo Guedes, ainda desajustado na Rússia. Houve momentos em que os campeões europeus não conseguiam sair do próprio campo de defesa. Marrocos encurralava. Mas a pontaria estava muito fraca. Foram 14 finalizações africanas, mas apenas quatro no alvo, e a única mais perigosa foi a cabeçada de Belhanda. Boa parte do resto foi para cima, mesmo com a bola pingando dentro da área. Um finalizador meramente competente na equipe e a sorte de Marrocos poderia ter sido outra. 

Ficha técnica

Portugal 1 x 0 Marrocos

Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (RUS)
Árbitro: Mark Geiger (EUA)
Gols: Cristiano Ronaldo (POR)
Cartões amarelos: Adrien Silva (POR); Medhi Benatia (MAR)
Cartões vermelhos:

Portugal: Rui Patrício; Cédric, Pepe, José Fonte e Raphaël Guerreiro; William Carvalho, João Moutinho (Adrien Silva), Bernardo Silva (Gelson Martins) e João Mário (Bruno Fernandes); Gonçalo Guedes e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos

Marrocos: Munir; Nabil Dirar, Medhi Benatia, Manuel da Costa e Achraf Hakimi; Mbark Boussoufa, Karim El Ahmadi (Faycal Fajr), Nordin Amrabat, Younes Belhanda (Mehdi Carcela-Gonzalez) e Hakim Ziyech; Khalid Boutaib (Ayoub Kaabi). Técnico: Hervé Renard

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo