Brasil

Drama contra o Água Santa liga o alerta e deixa lições no Vasco para semifinal do Carioca

Neste domingo, o Vasco encara o Nova Iguaçu, às 18h30, no Maracanã, pelo primeiro jogo da semifinal do Campeonato Carioca

Depois do sufoco para passar pelo Água Santa, no meio de semana, pela Copa do Brasil, o Vasco deve entrar com o alerta ligado nas semifinais do Campeonato Carioca. Neste domingo (10), às 18h30 (horário de Brasília), o Cruz-Maltino encara o Nova Iguaçu, no Maracanã, e inicia a disputa por uma vaga na final do Estadual. E a atenção redobrada também vale pelo próprio adversário. Afinal, o time da Baixada Fluminense foi o responsável pela única derrota do Vasco até aqui na temporada.

Na última quinta-feira, o Vasco precisou dos pênaltis para passar eliminar o Água Santa na segunda fase da Copa do Brasil. Após abrir 2 a 0 ainda no primeiro tempo, o Cruz-Maltino levou a virada aos 43′ do segundo tempo, mas conseguiu buscar o empate cinco minutos depois e levar a decisão para as penalidades. E, é claro, a partida com o time paulista ligou um alerta e deixou lições no clube para a sequência da temporada.

E próxima desafio é mais um duelo decisivo contra um time de menor expressão e menos investimento. No entanto, dessa vez, na semifinal do Carioca, o confronto será decidido em duas partidas. Mas isso também mostra a força do Nova Iguaçu. Segundo colocado na Taça Guanabara, apenas três pontos atrás do campeão Flamengo, o time da Baixada será o mandante do jogo da volta e tem a vantagem de se classificar com dois resultados iguais.

Contra o Nova Iguaçu, o Vasco precisa, principalmente, corrigir os erros defensivos cometidos no empate em 3 a 3 com o Água Santa. Mesmo com a vantagem no placar, o Cruz-Maltino foi facilmente envolvido pelo time paulista, principalmente no segundo tempo. Segundo o auxiliar técnico Emiliano Diaz, o Vasco entrou no “jogo de contragolpes” do Água Santa. Assim, o time acabou ficando exposto defensivamente. Não à toa, foi a primeira vez que o time principal, sob o comando de Ramón Diaz, levou três gols em uma mesma partida em 2023. E foi apenas a quarta vez em que o clube levou três ou mais gols desde a chegada do técnico argentino, no meio do último ano. Vale ressaltar que o Nova Iguaçu tem o vice-artilheiro do Carioca: o atacante Carlinhos, com oito gols.

Para Emiliano Diaz, a missão do Vasco, agora, é manter o nível de atuação do primeiro tempo da partia contra o Água Santa. O próprio auxiliar técnico admitiu a queda de rendimento na etapa final e ressaltou a importância de manter a mesma intensidade nos 90 minutos.

— Fizemos nossos melhores 45 minutos desde que chegamos ao Vasco. No segundo tempo, entramos num jogo que não tínhamos que entrar, de contragolpes. No segundo tempo, não gostei de nada. Temos que seguir melhorando. Continuar com o primeiro tempo e melhorar — afirmou Emiliano Diaz.

— O time está trabalhando há sete meses e chega a um nível que gostamos e trabalhamos para isso, mas depois fazemos um segundo tempo totalmente diferente. Não gostamos. Temos que fazer aquela primeira parte durante os 90 minutos — completou o auxiliar em outra resposta.

Medel foi um dos jogadores que teve problemas quando isso aconteceu (Foto: Icon Sport)

Defesa ficou exposta contra o Água Santa

Na última quinta-feira, um dos principais erros do Vasco foi cometido justamente pelo experiente Ramón Diaz. Durante a etapa final, a saída de João Victor desfez o esquema com três zagueiros quando o time ainda vencia a partida por 2 a 1. O treinador colocou o time para frente, expondo o sistema defensivo. O Água Santa passou a ter ainda mais liberdade para chegar na área do Vasco com transições rápidas. Foi assim que o time paulista chegou no seu terceiro gol — e já tinha conseguido o primeiro gol também dessa forma, em contra-ataque que encontrou a defesa vascaína desarrumada. Além disso, o volante Zé Gabriel, um dos responsáveis pela contenção no meio, não viveu uma grande noite em campo.

Agora, no entanto, o Vasco teve pouco tempo para se preparar para o primeiro jogo contra o Nova Iguaçu. Para Emiliano Diaz, a prioridade era recuperar os atletas fisicamente e analisar o que pode ser feito para o duelo pelo Carioca.

— Temos que tratar de recuperar os atletas e depois é mais análise, mais vídeo, porque não tem tempo para trabalhar tático. Sábado podemos fazer algo tático, mas muito leve. Mas o time está trabalhando junto há sete meses. Já nos conhecemos, quando um está chateado, quando tem que cobrar um pouco mais, quando tem que fazer mudança. Estamos em harmonia, fechados, o time já se conhece há sete meses. Isso resulta mais fácil o trabalho do dia a dia. Tentamos trabalhar mais a recuperação e depois as análise, vídeos e jogar. Temos outra final. Colocamos na cabeça que vamos jogar todos os jogos como uma final, até que acabe a temporada. Vamos jogar mais uma final – decretou Emiliano Diaz.

Nova Iguaçu derrotou o Vasco na Taça Guanabara

Adversário na semifinal do Campeonato Carioca, o Nova Iguaçu é o responsável pela única derrota do Vasco até aqui nesta temporada. Na quinta rodada da Taça Guanabara, o time da Baixada fez 2 a 0 no Cruz-Maltino, em uma partida polêmica no Parque dos Sábias, em Uberlândia, Minas Gerais. O Cruz-Maltino não fez uma boa partida, mas o clube ficou na bronca com uma possível expulsão de um jogador do Nova Iguaçu, que foi mantido em campo.

O Nova Iguaçu, por outro lado, fez boa partida, tanto ofensivamente quanto na defesa. Com boas trocas de passes, como no golaço de Lucas Campos, o time da Baixada teve mais intensidade e efetividade em campo.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo