Brasil

Por fim do transfer ban, Santos promete quitar dívida com parcelas em 2024, mas Bustos segue irredutível

Fabián Bustos ganhou uma ação do Santos na Fifa e não aceita parcelar a dívida de R$ 4 milhões

O técnico Fabián Bustos segue decidido a não fazer acordo com o Santos para receber o que o clube lhe deve e assim colocar fim no transfer ban aplicado pela Fifa ao time da Vila Belmiro. Sob a justificativa de ter desgastado muito com a gestão do ex-presidente Andres Rueda, o treinador não aceitou o pagamento do processo parceladamente, como a atual diretoria alvinegra deseja. Segundo o apurado pela Trivela, a proposta do Peixe foi de quitar a pendência por meio de dez parcelas.

Demitido do Santos em julho de 2022 após a vexatória eliminação nas oitavas de final da Copa Sul-Americana, Bustos, atualmente no comando do Universitário, do Peru, recorreu à entidade máxima do futebol, em março do ano passado, cobrando a ruptura do vínculo mais direitos de imagem. Ao todo, o argentino pede cerca de US$ 1,2 milhões (pouco menos de R$ 6 milhões).

No julgamento da ação, a FIFA e o CAS decidiram por reduzir o valor da indenização ao técnico para cerca de R$ 4 milhões. Irritado com o clube, Bustos está decidido a manter a queixa até receber o montante à vista. Ocorre que o Santos não dispõe desse valor no momento.

Marcelo Teixeira assumiu conversas com Bustos

Ainda conforme as informações obtidas pelo site, o presidente Marcelo Teixeira entrou em contato com o treinador para conversar sobre o parcelamento da dívida. Nos primeiros contatos, Bustos manteve a sua decisão. Mesmo ciente das dificuldades, o mandatário alvinegro segue na tentativa.

Em recente entrevista ao site, Teixeira admitiu que Bustos estava dificultando o acordo.

– O Bustos está dificultando. Existe todo um desgaste da parte dele com o Santos, devido a antiga gestão, mas estamos conversando. Acho que vai dar para entrar num entendimento – disse o mandatário alvinegro, sem especificar um prazo para a solucionar o problema.

– Não tenho como prever (quando haverá esse entendimento) por conta do valor envolvido. Ele segue pedindo a quitação da dívida à vista. Mas é uma negociação. Vamos ver como a gente consegue resolver – acrescentou.

“Evitar prejuízos à imagem do Santos”

Assim que foi notificado pela Fifa, o Santos, por meio de um comunicado oficial, informou que, “visando evitar prejuízos à imagem do clube”, começou a negociar com o treinador argentino.

– No instante em que foi notificado, por intermédio do Departamento Jurídico, visando também evitar mais prejuízos à imagem do clube, o Santos iniciou negociação para um acordo com o ex-treinador. Os entendimentos estão evoluindo satisfatoriamente, indicando uma rápida solução para o problema ocorrido na gestão do ex-presidente Andres Rueda – escreveu o Peixe.

Enquanto isso, Gabriel Brazão só treina

Diante da punição, o Alvinegro não pode registrar o goleiro Gabriel Brazão, contratado da Internazionale após o pagamento de um valor simbólico para a sua liberação.

O atleta chegou ao clube no início do mês, já treina com o elenco no CT Rei Pelé, mas segue indisponível para o técnico Fábio Carille, que pediu a sua contratação. A ideia do treinador é ter alguém em boas condições para fazer sombra ao titular João Paulo.

Santos será julgado na Fifa por Carille

Além da pendência envolvendo o técnico Bustos, o Santos se prepara para uma outra disputa na Fifa. Mas essa tendo Fábio Carille como personagem.

Incomodado com a saída do treinador sem o pagamento de multa rescisória, no final do ano passado, o V-Varen Nagasaki, do Japão, recorreu à entidade cobrando o pagamento por parte do Peixe.

– De 20 de dezembro de 2023 (quarta-feira) até o presente, solicitamos repetidamente ao Santos que atenda aos procedimentos formais de contratação do técnico Fábio Carille e os seus assistentes visando uma resolução amigável. Mesmo após a liberação do nosso clube, no sábado, 13 de janeiro, temos solicitado ao Santos uma resposta sincera e uma resolução amigável, mas ainda não recebemos uma resposta clara e nenhuma carta oficial foi recebida. Portanto, determinamos que não será possível para as partes resolver o assunto, mesmo que as discussões continuem – publicou o V-Varen em seu site oficial no último dia 19.

– Portanto, para o bem do futuro do V-Varen Nagasaki e do futebol japonês, decidimos apresentar formalmente uma queixa à Federação Internacional das Associações de Futebol (FIFA). Apresentaremos relatórios sobre desenvolvimentos futuros à medida que ocorrerem – acrescentou o clube japonês.

O time da Vila Belmiro, por sua vez, alega que efetuou a contratação de Carille quando o treinador se encontrava sem vínculo com o seu ex-clube.

– Eventuais demandas serão avaliadas e debatidas no momento oportuno e nos foros competentes – respondeu o alvinegro.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna
Botão Voltar ao topo