Brasil

Por semifinal do Paulista, Santos terá que superar o truculento estilo de jogo da Portuguesa

Duelo entre Santos e Portuguesa teve local, data e horário confirmados pela Federação Paulista de Futebol nesta segunda-feira (11)

Com a data, o horário e o local do confronto com a Portuguesa definidos, o Santos segue, na manhã desta terça-feira (12), a sua preparação no CT Rei Pelé sonhando com a classificação às semifinais do Campeonato Paulista. Nesta atividade o técnico Fábio Carille, que viu o elenco se reapresentar nesta segunda-feira (11) e comandou um treinamento leve, começará a trabalhar os seus comandados para explorar as fragilidades e conter os pontos fortes da Lusa.

Dona da pior campanha entre os oito times das quartas de final, a equipe do técnico Pintado tem por característica adotar um jogo mais duro, de forte marcação. E o Peixe terá que superar isso para se manter na briga pelo título.

Data, horário e local confirmados

O duelo entre Santos e Portuguesa será disputado no próximo domingo (17), às 20h15 (horário de Brasília), na Vila Belmiro. O Alvinegro cogitou mandar o jogo na Neo Química Arena, mas, nesta segunda-feira (11), durante o Congresso Técnico na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF), optou por fazer uso da sua casa.

A decisão frustrou o presidente da Portuguesa, Antonio Carlos Castanheira, que queria jogar no estádio corintiano para atender uma maior quantidade de torcedores rubro-verdes.

— Eu não vejo ganho técnico para o Santos mandar o jogo na Vila Belmiro. O Santos tem time para jogar contra a Portuguesa em qualquer estádio. O Santos com certeza vai ter mais torcida. Essa escolha só prejudica o espetáculo. Nas décadas de 70 e 80, os jogos sempre foram no Morumbi ou Pacaembu, nunca na Vila ou Canindé. Não entendi essa opção, mas temos que concordar – reclamou Castanheira.

Portuguesa é o time mais indisciplinado do Paulista

A Lusa entra nas quartas de final do Estadual com o ‘título' de equipe mais indisciplinada da primeira fase. As 168 faltas cometidas nas 12 partidas disputadas até o momento resultaram em 34 cartões amarelos e quatro vermelhos.

Logo, foram 38 cartões recebidos. Nenhuma equipe foi tão advertida de tal forma quanto a Portuguesa, que foi quem mais recebeu amarelos, junto com o Água Santa, e o segundo time mais punido com vermelhos, atrás apenas do Red Bull Bragantino, que levou 5.

Números fazem do Santos amplo favorito

As campanhas de Santos e Portuguesa na fase de grupos chamam a atenção pela sua distinção. Enquanto o Peixe se classificou com oito vitórias, um empate e três derrotas, a Lusa avançou com três vitórias, um empate e oito derrotas.

O time de Carille balançou as redes adversárias por 18 vezes – terceiro melhor ataque do Paulistão – e foi vazado em 11 oportunidades. Já o time de Pintado marcou apenas oito gols – segundo pior ataque – e sofreu 17 – pior defesa ao lado de Santo André e Mirassol.

Lusa não é de permitir muitos chutes aos adversários

Por mais que seja dona da pior defesa do Estadual, a Portuguesa é um dos times que menos permite finalizações aos seus adversários. Até o momento, a equipe do Canindé sofreu 107 chutes a gol.

Só São Paulo, com 76, Mirassol, com 104, e Palmeiras, com 105, sofreram menos finalizações.

O Santos, com 147 chutes sofridos, é o quinto que mais recebe chutes a gol dos adversários.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo