Brasil

Sim, o Campeonato Carioca tem um Sampaio Corrêa: conheça a história do time de Saquarema

Nome igual ao clube do Maranhão, mas nenhuma relação: Sampaio Corrêa participa pela primeira vez da elite carioca

O tradicional time do Maranhão no Campeonato Carioca? É o que questiona o desavisado fã de futebol que abrir hoje a tabela da competição e ver o Sampaio Corrêa ocupando a oitava colocação. Não se engane, trata-se de um clube de Saquarema, na Região dos Lagos, município conhecido pelas ondas gigantes na praia e por receber anualmente a Liga Mundial de Surfe. O modesto Galinho da Serra está pela primeira vez na elite carioca e, inclusive, já estreou: derrota por 2 a 1 para o Nova Iguaçu. Neste domingo (21), joga contra o gigante Vasco, no Estádio Elcyr Resende, e muita gente pergunta-se da onde saiu o time (e seu nome). A Trivela explica.

Fundado por deputado, Sampaio Corrêa tem ex-Botafogo como artilheiro

Para chegar na edição de 2024 do Carioca, o Sampaio Corrêa fez uma boa Série A2 sob comando de Silvestre dos Anjos, técnico contratado no ano passado como da Série B1 estadual com o CEAC/Araruama.

A escolha se mostrou acertada: na segundona, perdeu apenas três de 11 jogos na primeira fase e ficou em segundo dentre 12 times, avançando às semifinais. No mata-mata, sofreu um revés na primeira partida para o Artsul por 1 a 0, mas se recuperou e reverteu a vantagem na volta. Na final, teve pela frente o tradicional Olaria. Em Bariri, o placar ficou no zero, enquanto no estádio Lourival Gomes, o Lourivaldão, em Saquarema, os comandados por Silvestre venceram por 3 a 1. Quem marcou um dos gols da decisão foi Elias, ex-Botafogo, onde chegou a fazer dupla com Clarence Seedorf. Aos 36 anos, o atacante marcou sete vezes no total e terminou como artilheiro da A2.

– É um clube que eu amo, né, cara. É um clube que me ajudou bastante. Eu tenho um carinho enorme. Não é à toa que cheguei em 2009, fui campeão e agora em 2023 ganhamos novamente, deixando o time onde ele merece – declarou-se Elias, ao GE, em outubro do ano passado.

Elias Sampaio Correa-RJ
Elias, atacante do Sampaio Correa-RJ (Foto: Jhonatan Jeferson/SCFE)

O título citado pelo atacante é a Série C estadual de 2009, a primeira taça do clube fundado em 2006 por Lourival Gomes. Sim, isso mesmo, o estádio recebe o nome do fundador, que desde 2015 é deputado federal pelo Rio de Janeiro e hoje está no Partido Progressistas (PP). Presidente por muito tempo, passou o clube para o comando dos filhos, mas segue sendo o principal financiador, visto que também é dono de uma rede de supermercados que patrocina o Galinho.

– Nunca tivemos dinheiro público, é tudo da família Gomes. O Lourival é o patriarca, dono da rede de supermercados e presidente de honra do clube. Eles têm a verba própria para investir no clube e, graças a Deus, temos solidez em relação a isso – disse Kleber Murilo, diretor de futebol do Sampaio Corrêa, ao UOL, no ano passado.

Rômulo Gomes, um dos filhos de Lourival que preside o Sampaio Corrêa, chegou até a ser atacante do clube, antes de pendurar as chuteiras porque virou vice-prefeito de Saquarema e não conseguiu conciliar as duas carreiras.

Vale citar que nomear o clube de Sampaio Correa aconteceu porque há um distrito em Saquarema que possui o mesmo nome do time maranhense.

Galinho da Serra não pode atuar no Lourivaldão na elite carioca

Pequeno estádio, o Lourivaldão não pode receber jogos da elite estadual. Como a decisão da Série A2 foi em agosto, o clube iniciou as reformas ainda no ano passado, mas ainda não conseguiu terminá-las a tempo para poder atuar no Campeonato Carioca. O estádio, construído em 2010, recebe melhorias para ampliar a capacidade, que deve subir para 10 mil, segundo dirigentes do clube.

O centro de treinamento Ninho do Galo também passou por reformas para 2024. Já com boa estrutura, de dar inveja a clubes do mesmo orçamento, agora teve a ampliação de dois para quatro campos. Além disso, conta com um grande alojamento para o elenco e comissão e todo departamento de preparação física, com academia, área médica, piscina.

Sem poder mandar jogos em casa, atuará durante o Carioca no Elcyr Resende, casa do rival Boavista, que faz o clássico de Saquarema no fim de fevereiro, na penúltima rodada. Considerando que o Galinho acabou de subir e o alviverde não caiu para segunda divisão por dois pontos da última edição do campeonato estadual, pode ser um confronto decisivo na luta pelo rebaixamento.

Sampaio Correa-RJ
Sampaio Correa perdeu na abertura do Carioca para o Nova Iguaçu (Foto: Jhonatan Jeferson/SCFE)

A gestão do Sampaio Corrêa não busca dar um passo maior que a perna e crava o objetivo da equipe de apenas permanecer na elite carioca. Manteve o técnico, teve alguns meses para montar o elenco, por que não sonhar? Antes da competição, o atacante Elias falou da dificuldade da competição, mas exaltou o trabalho do técnico Silvestre.

– O trabalho comandado pelo Professor Silvestre vem sendo muito forte. Sabemos que vamos ter uma competição muito difícil pela frente, com grandes equipes e precisamos estar bem fisicamente para encarar os adversários – afirmou o experiente atacante, ao site da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj).

Nunca em uma competição nacional, pode alcançar isso em um cenário complexo, de terminar entre os primeiros colocados, indo à Série D ainda desse ano. Uma vaga para Copa do Brasil de 2025 viria se terminasse em sexto na classificação geral.

Todos os jogos do Galinho da Serra no Carioca 2024

  • Sampaio Corrêa-RJ x Vasco, 21/01, às 20h30 (horário de Brasília);
  • Portuguesa x Sampaio Corrêa-RJ, 24/01, 19h;
  • Botafogo x Sampaio Corrêa-RJ, 27/01, às 16h;
  • Sampaio Corrêa-RJ x Flamengo, 31/01, às 21h30;
  • Sampaio Corrêa-RJ x Volta Redonda, 04/02, às 15h30;
  • Fluminense x Sampaio Corrêa-RJ, 08/02, às 21h30;
  • Sampaio Corrêa-RJ x Madureira, 14/02, às 15h45;
  • Sampaio Corrêa-RJ x Bangu, 20/02, às 15h45;
  • Boavista x Sampaio Corrêa-RJ, 24 ou 25/02, horário a definir;
  • Audax Rio x Sampaio Corrêa-RJ, 02 ou 03/03, horário a definir.
Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de esports no The Clutch. Como assessor de imprensa, atuou no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo