Brasil

Rodrigo Caetano não se vê em outro clube sem ser o Atlético-MG, mas quando o assunto é Seleção Brasileira …

Diretor de futebol do Atlético, Rodrigo Caetano é um dos cotados para ser diretor da Seleção Brasileira, o que para ele seria uma convocação

Um dos principais nomes entre os executivos de futebol no Brasil, Rodrigo Caetano, hoje diretor de futebol do Atlético-MG, é sempre cogitado em alguns times, como aconteceu com o Corinthians no fim de 2023. No entanto, ele não se vê deixando o Galo neste momento. Mas, uma coisa pode mudar isso, que é um convite, ou melhor, convocação, da Seleção Brasileira.

No fim de 2023, Rodrigo Caetano teve seu nome muito ligado ao Corinthians, que mudou de gestão e queria tirá-lo do Atlético para iniciar com ele uma reformulação do elenco. As conversas aconteceram, como ele e o presidente Augusto Melo revelaram. No entanto, o diretor optou por ficar no Galo e não ter a sua primeira experiência em São Paulo.

– Já tive convites para trabalhar em São Paulo. Na grande maioria deles eu estava sob contrato, e tenho como princípio cumprir eles. Nunca pude fazer esse movimento. Foi mais de um clube e mais de um convite. Esse mais recente (Corinthians), não levamos adiante justamente pelo meu contrato com o Galo. Por mais que não tivesse multa, tenho um compromisso com os donos da SAF e o presidente Sérgio Coelho, que fizeram eu permanecer no Galo e no projeto do clube — afirmou Caetano ao CNN Esportes.

O convite do Corinthians seria realmente um grande movimento para Rodrigo Caetano, trabalhando no principal centro do país pela primeira vez e tendo muitos recursos para contratar e montar um time do jeito que achasse melhor. No entanto, após três anos à frente do Atlético, ele não se vê em outro clube no momento.

– Hoje é praticamente impossível isso acontecer (sair do Galo). Posso afirmar que, partindo da minha intenção, no momento é zero chance. Não me vejo hoje em outro clube neste momento que não seja o Galo — concluiu o diretor, que tem contrato com o clube até 2026.

Trabalhar no Galo é algo que eu nunca tinha vivido, de coração. A paixão e a fidelidade do torcedor, é um negócio que comove a gente – se declarou Caetano

Quando o convite vira convocação da Seleção …

Rodrigo Caetano deixou bem claro que não pretende aceitar nenhum convite de outro clube no Brasil. No entanto, quando o assunto deixa de ser um convite e passar uma convocação (como ele mesmo disse) para a Seleção Brasileira, a história é diferente. O diretor tem seu nome ligado à CBF, que precisa de um diretor de seleções e tem ele como principal, mas essa convocação ainda não aconteceu.

– Não posso negar que sempre tive uma boa relação com o presidente Ednaldo desde antes dele chegar na CBF. Posso te afirmar que não tive nenhum convite oficial, pelo menos até esse momento. Me sinto extremamente honrado, pois isso não partiu de mim, então em algum momento pessoas falaram dessa possibilidade. Mas só poderia responder se um dia eu tivesse esse convite, que não tenho — garantiu Rodrigo.

Todo profissional almeja estar servindo a Seleção Brasileira. Vai muito além de um convite, mas eu não recebi ainda – Rodrigo Caetano

O diretor pensa que essa especulação também se dá pelos trabalhos e a relação que tem com Dorival Júnior, novo técnico da Seleção Brasileira. No entanto, como citou, ainda não teve nenhum contato da CBF sobre essa possibilidade e, se tivesse, afirmou que não sabe como reagiria.

Apesar de ter citado que não pretende causar opiniões com suas falas, Rodrigo deu a entender que aceitaria sim se essa convocação fosse feita, alegando que é uma grande honra, desafio e um desejo de qualquer profissional chegar na Seleção Brasileira, e com ele não é diferente.

– É diferente de clube. Quando você está bem em um lugar, como estou no Galo, se eu abro negociação com algum clube, eu parto do princípio que estou disposto a sair. E eu não estou disposto a sair do Galo para nenhum outro clube, por isso não abri negociações. Agora, se um dia viesse uma situação dessa (da Seleção Brasileira), ela realmente é mais que um convite, é uma convocação para servir a pátria, servir o seu país, servir o futebol brasileiro em uma possível Copa do Mundo, tem algo gigante nisso tudo — concluiu o diretor (até então) atleticano.

O Atlético e o Rodrigo Caetano vivem a expectativa do convite (ou melhor, convocação) acontecer para saber qual será o futuro dos dois. Caso o diretor realmente vá para a Seleção, o Galo terá que achar um novo nome para tocar seu projeto, que agora tem a SAF por trás.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo