Brasil

Erros de finalização fizeram o Cruzeiro ter menos que merecia na Copa do Brasil de 2023

O Cruzeiro jogou melhor que seus adversários na Copa do Brasil de 2023, mas errar um caminhão de chances por jogo não ajudou na caminhada

A Copa do Brasil é um dos torneios preferidos pelo torcedor cruzeirense, que viu seu time se tornar o maior campeão da história da competição ao empilhar nada menos que seis taças. Isso, somado ao fato de ser o campeonato de mata-matas a nível nacional, faz como que muita expectativa seja criada em torno dela. Mas em 2023, o Cruzeiro teve uma rápida participação na copa, sendo eliminado pelo segundo adversário enfrentado.

Desde o início da temporada, a gestão do Cruzeiro deixou claro que o grande objetivo do clube em 2023 era não ser rebaixado no Campeonato Brasileiro. A Copa do Brasil, apesar de importante, até financeiramente, pelas altas premiações pagas a cada fase ultrapassada, era uma competição de segundo plano para a Raposa, que enxergava poucas chances reais de conquistá-la.

Ainda assim, como não podia ser diferente, o Cruzeiro entrou como tudo no campeonato, principalmente pelo fato de o time celeste ter ficado quase um mês sem atuar desde sua eliminação no Campeonato Mineiro, no dia 19 de março, até o primeiro jogo da Copa do Brasil, em 13 de abril.

O Cruzeiro estreou na Copa do Brasil já na terceira fase, quando restavam 32 equipes. Isso aconteceu pelo fato do clube estrelado ter sido o Campeão da Série B de 2022, o que garante a entrada num momento mais avançado do torneio.

Pepa estreia no Cruzeiro que estreia contra o Náutico

Curiosamente, a estreia do Cruzeiro na Copa do Brasil coincidiu com a estreia do português Pepa no comando do clube. Pode se dizer que se tratou de uma estreia em uma estreia, e infelizmente para a Raposa, todas essas estreias acabaram sendo com “o pé esquerdo”.

O adversário celeste na terceira fase da Copa do Brasil foi o Náutico, time da Série C do Campeonato Brasileiro. O primeiro jogo, disputado no Estádio dos Aflitos, teve amplo domínio cruzeirense, mas o time celeste pecou na finalização, como foi a tônica de toda a temporada, viu o goleiro Vágner operar milagres, e acabou derrotada por 1 a 0, com gol de Gabriel Santiago aos 42 minutos do segundo tempo.

Cruzeiro amassa no Independência e se classifica

No jogo de volta contra o Náutico, o Cruzeiro contou com uma grande festa da sua torcida no Independência e, mais uma vez, amassou o adversário pernambucano. Mas dessa vez, apesar do time ainda perder muitos gols, o Timbu não conseguiu aguentar a pressão e foi superada por 2 a 0.

Os gols do Cruzeiro foram marcados pelo lateral-direito William e pelo volante Richard, que protagonizou bonita cena quando se emocionou ao dedicar o gol ao seu irmão falecido. O jogador balançou a rede aos 45 do segundo tempo, quando a partida se encaminhava para os pênaltis.

Para se ter ideia da pressão do Cruzeiro neste jogo, foram 28 finalizações da Raposa, sendo oito delas no gol, contra sete do Náutico, duas na meta de Rafael Cabral. Só de grandes chances, o Cruzeiro teve seis.

Cruzeiro desperdiça chances na Arena e Grêmio se aproveita

Classificado para as oitavas de final, o Cruzeiro pegou o Grêmio e, novamente, mesmo jogando fora de casa na partida de ida, fez um jogo melhor que o adversário, criando boas chances de gol. A Raposa chegou até a abrir o placar, com um golaço de Bruno Rodrigues, que mandou de fora da área, na gaveta, no início do primeiro tempo.

Com 1 a 0 no placar, o time celeste teve a chance de ampliar, quando no finzinho da primeira etapa, Bruno Rodrigues recebeu belo lançamento e conseguiu passar do goleiro Gabriel Grando, ficando livre na grande área, já com o arqueiro batido. O camisa 9, porém, tentou aplicar mais um drible, dessa vez em Kannemann, mas foi desarmado, num lance que viria a custar caro.

No segundo tempo, quando o Grêmio não estava bem no jogo, o craque uruguaio Luis Suárez tirou um coelho da cartola e finalizou de três dedos, de muito longe, acertando o ângulo de Rafael Cabral, deixando o Imortal mais vivo do que nunca no confronto.

Lucas Oliveira erra e Grêmio se classifica no Mineirão

No jogo da volta, o Cruzeiro mais uma vez liderou as estatísticas de finalizações, tendo chutado 24 vezes, sete delas no gol, contra cinco conclusões do Grêmio, sendo três na meta. Apesar da quantidade discrepante de oportunidades, o time celeste não criou tantas chances claras como na ida.

O gol gremista saiu aos 26 do primeiro tempo, quando Lucas Oliveira errou feio e deixou a bola limpa para Luis Suárez. O decisivo uruguaio serviu Villasanti, que não perdoou. O resto da partida teve o Grêmio se defendendo e o Cruzeiro tentando marcar de todo jeito, mas dessa vez Gabriel Grando não vacilou e teve uma grande atuação, parando o já pouco confiável ataque celeste.

No fim, Cruzeiro eliminado e a sensação de que o time podia mais nesta Copa do Brasil. Para se ter ideia, o time celeste finalizou 83 vezes nos quatro confrontos pela competição, mas conseguiu marcar somente três gols.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo