Brasil

Em meio a reestruturação da base, Botafogo teve ano com pouco espaço para jogadores formados no clube

Mesmo com a disputa de quatro competições em 2023, o Botafogo pouco utilizou jogadores da base, que perderam ainda mais espaço depois da saída de Luís Castro

Como de costume, a temporada do Botafogo não foi de muito espaço para os jogadores da base. Desde a transformação do clube em SAF, no começo de 2022, as categorias inferiores do clube começaram a passar por um processo de profissionalização, que já tem dado sinais de melhora. No entanto, a base ainda não consegue suprir, com qualidade, as necessidades da equipe profissional do Botafogo. E o ano de 2023 foi mais um exemplo disso.

Mesmo em um ano em que o Botafogo disputou quatro competições e brigou pelo título do Campeonato Brasileiro, o clube pouco utilizou jogadores formados no próprio clube. Alguns dos atletas passaram pelo time sub-23 do Glorioso, mas não foram formados nas categorias inferiores do clube. O meio-campista Newton e o atacante Janderson, por exemplo, inclusive já haviam atuado profissionalmente por outros clubes antes de chegarem para o time de “aspirantes” do Botafogo e, depois, chegaram nos profissionais.

Os jogadores formados no Botafogo que mais tiveram espaço no time profissional foram o lateral-esquerdo Hugo e o atacante Matheus Nascimento. No entanto, ambos já estão no elenco principal há alguns anos. Ainda assim, apenas Hugo teve uma sequência maior e chegou a disputar a titularidade com Marçal.

Matheus Nascimento foi muito utilizado por Luís Castro no primeiro semestre, mas, depois, perdeu espaço com os outros treinadores. Com Bruno Lage, por exemplo, o garoto de 19 anos só entrou em campo uma vez, quando o português escalou um time quase completamente reserva para encarar o Defensa y Justicia, pela Copa Sul-Americana.

Outro cria da base do Botafogo que também teve oportunidades no começo do ano, mas perdeu espaço com outros treinadores foi o meio-campista Raí. O jogador de 21 anos atuou em 11 partidas sob o comando de Luís Castro, inclusive marcando um gol. No entanto, depois da saída de Castro, não entrou mais em campo. Ele chegou a ser relacionado por Bruno Lage, Lúcio Flávio e Tiago Nunes, mas não foi utilizado.

Quem foram os jogadores que o Botafogo buscou na base em 2023?

  • Raí (meia): apesar de ter disputado o Campeonato Carioca de 2022, Raí acabou voltando para o sub-20 durante o último ano. Em 2023, ele se firmou no elenco principal, mas perdeu espaço depois da saída de Luís Castro. No Campeonato Brasileiro, por exemplo, ele só entrou em campo uma vez.
Raí perdeu espaço no Botafogo depois da saída de Luís Castro (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Como o Botafogo pode usar a base em 2024?

Ainda em processo de reformular as categorias de base, o Botafogo deve iniciar mais uma ano com poucos atletas formados no clube dentro do elenco profissional. Com a chegada do técnico Tiago Nunes, existe a expectativa pela estruturação de um novo projeto de longo prazo, que inclui uma melhor transição entre a base e o profissional.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel RodriguesSetorista

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo