Brasil

‘Quem mais falhou fui eu’: Ramón Diaz assume responsabilidade e pede desculpas por eliminação do Vasco

Técnico do Vasco, Ramón Diaz chamou para si a derrota diante do Nova Iguaçu, que tirou o Cruz-Maltino da final do Carioca

O Vasco decepcionou e foi eliminado do Campeonato Carioca. Neste domingo, o Cruz-Maltino foi derrotado pelo Nova Iguaçu por 1 a 0, no segundo jogo da semifinal, em pleno Maracanã, e mais uma vez vai ficar fora da decisão do Estadual. Com o placar desta tarde, o Vasco terminou o Carioca sem conseguir vencer o Nova Iguaçu nas três partidas que fizeram contra o time da Baixada Fluminense.

Depois do jogo deste domingo, o técnico Ramón Diaz chamou a responsabilidade pela eliminação do Vasco. Ele reconheceu que o time esteve abaixo do esperado e citou especificamente o sistema ofensivo do clube, que pouco ameaçou o gol do Nova Iguaçu nas duas partidas no Maracanã, principalmente neste segundo jogo.

— O Vasco das últimas duas partidas não foi o Vasco que planejamos. Estamos todos decepcionados com tudo. O Vasco joga melhor que isso. Da metade do campo para frente, não fomos claros, isso nos custou. Estou decepcionado porque o objetivo era passar – disse Ramón Diaz, antes de completar.

— Quando alguém não cumpre o objetivo, é porque alguma coisa falhou. Seguramente, falhamos todos e principalmente o treinador. Sem dúvidas, quem mais falhou fui eu. São responsabilidades que temos que assumir. Temos que seguir crescendo e trabalhando. Sigo tendo confiança no clube e com os jogadores. Quero pedir desculpas aos torcedores porque todos queríamos jogar essa final – afirmou Ramón.

De fato, Ramón Diaz, que faz um bom trabalho no Vasco desde a última temporada, não foi bem nas últimas semanas. Além dos dois jogo sem conseguir vencer o Nova Iguaçu, o Cruz-Maltino também teve muita dificuldade contra o Água Santa, em São Januário, na segunda fase da Copa do Brasil, e precisou dos pênaltis para avançar na competição.

Contra o Nova Iguaçu, o Ramón Diaz buscou alternativas e, inclusive, fez mudanças táticas neste domingo, para tentar deixar o time mais ofensivo, mas não sou efetivo. O Vasco seguiu com problemas na criação de jogadas e a defesa seguiu exposta. O técnico tentou explicar esta mudança para o jogo deste domingo.

— Na primeira metade para termos um bom controle, para não deixar o contragolpe. Pensando que podíamos chegar. Dominamos bastante, mas não fomos claros. Isso nos custou bastante. Mas vamos seguir trabalhando e crescendo. Vamos encontrar equipes assim. Vamos ter que seguir trabalhando – afirmou Ramón Diaz.

Ramón Diaz defende o criticado Praxedes

Uma das mexidas promovidas por Ramón Diaz neste domingo foi a entrada de Praxedes, que vinha sendo pouco utilizado nesta temporada. O meia foi um dos que ficou abaixo do esperado, errando muitos passes no meio de campo. No segundo tempo, em um desses erros, Praxedes passou a ser vaiado e xingado pela torcida do Vasco. Depois do jogo, o técnico saiu em defesa do garoto.

— Vou dizer boas palavras sobre o Bruno (Praxedes). Nós o trouxemos e ele fez muito bem. As pessoas têm que ter confiança na equipe que temos. Não temos outra equipe, esta é a equipe que temos. Então, temos que ter confiança e obrigar que trabalhe, que melhore. A única forma de sair de situações difíceis. E o jogador sente a pressão, se sente insultado. Mas é seguir trabalhando, crescendo, é jovem, tem 21 anos, e tem que seguir crescendo. As competições que vão vir serão mais duras – disse Ramón.

Vasco vai ficar quase um mês sem jogar

Agora, o Vasco vai ficar quase um mês sem jogar. O time só volta a campo no meio de abril, na estreia pelo Campeonato Brasileiro, contra o Grêmio, em São Januário. A partida vai acontecer no fim de semana dos dias 13 e 14. Questionado sobre este futuro e o elenco do Vasco para o restante da temporada, Ramón Diaz projetou uma evolução da equipe.

— Sim, nós vamos crescendo. Chegamos e estávamos com muitas dificuldades. E vai crescendo. O time, o clube, a torcida. Queríamos jogar a final, queríamos jogar com o Flamengo. O futebol tem essas coisas. Eles estavam muito organizados. E não pudemos chegar nem pela esquerda e nem pela direita e isso nos custou. Temos que seguir trabalhando. O clube está bem encaminhado para seguir crescendo com todos juntos. Que sirva de experiência para seguirmos crescendo — disse Ramón.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo