Brasil

PL da reforma de São Januário é aprovado em plenário que mais parecia arquibancada

Após aprovação na Câmara, projeto segue para sanção do prefeito Eduardo Paes; obras devem começar no fim de 2024

O Vasco está cada vez mais perto de começar a reforma de São Januário. Nesta terça-feira (18), a Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou, em segundo turno, o projeto de lei que trata sobre o potencial construtivo de São Januário e que vai permitir a reforma do estádio.

E, se a situação do Vasco em campo não anda das melhores, ao menos na Câmara os vascaínos puderam comemorar. Isso porque a Câmara viveu uma tarde de arquibancada nesta terça.

Com muitos vascaínos presentes nas galerias do local, com direito a faixa, a aprovação do projeto de lei 142/2023 teve comemoração na Câmara. A cada fala favorável ao projeto, principalmente de vereadores vascaínos, os torcedores celebravam e comoravam.

A principal comemoração, é claro, aconteceu quando o projeto foi aprovado. Foram 44 votos a favor do projeto, sem abstenções ou votos contrários. O vereador e vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, que votou a favor do projeto no primeiro turno, não esteve presente nesta tarde.

O que é o potencial construtivo?

O potencial construtivo indica o quanto alguém pode construir em um determinado terreno da cidade, seguindo as regras do plano diretor do município para cada região.

São Januário, por exemplo, tem um enorme potencial construtivo, mas este potencial não é totalmente utilizado pela falta de demanda para um estádio. Aquele terreno, por exemplo, poderia abrigar empreendimentos maiores e mais altos.

Com o projeto de lei, o potencial construtivo de São Januário será repassado para um terreno na Barra da Tijuca. E o Vasco poderá vender este potencial para outra empresa. Mas só poderá utilizar os valores do negócio na reforma do seu estádio. É dessa forma que o Vasco pretende arrecadar os valores para a reforma da Colina.

Quais os próximos passos pela reforma de São Januário?

Após a aprovação do projeto em dois turnos na Câmara Municipal, que só aconteceram depois de três audiências públicas, o projeto de lei segue para a aprovação, ou não, de Eduardo Paes. O prefeito, vascaíno, apoia a reforma de São Januário, e foi quem encaminhou o projeto para a votação dos vereadores.

Após a provável sanção de Eduardo Paes, o Vasco poderá vender o potencial construtivo de São Januário. O clube já negocia o potencial com empresas interessadas. De acordo com o Estadão, o Vasco tem conversas com a construtora Cyrela, que deve pagar os R$ 500 milhões esperados pelo Cruz-Maltino.

O desejo do Vasco é iniciar as obras em São Januário após o fim do Campeonato Brasileiro, entre o fim de 2024 e o começo de 2025. A projeção do clube é terminar as obras e reinaugurar o estádio em 2027, quando São Januário completará 100 anos.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo