Brasil

Enquanto Palmeiras busca centroavante, Flaco López faz mais um e garante vitória sobre o Bragantino

Argentino Flaco López chega ao seu segundo gol no ano pelo Palmeiras e vai assegurando a titularidade enquanto clube busca jogador para o lugar

O Palmeiras se despede em alto estilo do Paulistão, antes de viajar para Belo Horizonte, onde vai encarar o São Paulo pela Supercopa do Brasil no domingo (4).

Flaco López, aos 43 do segundo tempo, fez o gol isolado da vitória do Palmeiras por 1 a 0, sobre o Red Bull Bragantino, nesta quarta-feira (31). A partida foi disputada no Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista. E, mesmo completo, o time da casa não conseguiu vencer o mistão do Alviverde.

Abel Ferreira optou por um time alternativo, pensando em descansar os jogadores para a disputa da Supercopa, no domingo (4). Mas se os titulares, a esta altura, estão se encaixando, os reservas estão em um estágio ainda anterior.

Mas foi possível fazer algumas observações individuais. Aníbal Moreno está pronto para ter um lugar no time titular. Flaco traz uma dinâmica mais inteligente para o ataque e também merece estar entre os 11. E Jhon Jhon é uma opção viável para o meio-campo, na ausência de Raphael Veiga.

No mais, se a ideia era ver se algum outro atleta poderia conseguir um lugar para domingo, ficou tudo do mesmo tamanho. O time que começou contra o Santos – talvez com Moreno – é o Palmeiras para a Supercopa.

Com o resultado, o Palmeiras chega a dez pontos e lidera o Grupo B do Paulista com sobras – a Ponte tem cinco. Já o Bragantino preocupa. Em três jogos, o time segue zerado no Paulistão e soma apenas quatro pontos no grupo C – o Corinthians tem três.

Palmeiras começou melhor, Bragantino cresceu

O 1º tempo foi movimentado. As duas equipes jogaram com linhas mais altas e houve muita movimentação e troca de posse de bola. O Palmeiras começou melhor, mas chutou muito pouco.

O Palmeiras concentrou a maior parte de suas ações pela esquerda, com Vanderlan e Caio Paulista. Atuando como meia centralizado, Jhon Jhon não se acanhou e chamou o jogo.

O chute mais perigoso do Palmeiras foi dele, aos 11 minutos. Um minuto depois foi a vez de Caio exigir intervenção de Cleiton.

O Bragantino atacava com Sasha, mas muitos vezes foi desarmado por Luan. Aníbal Moreno e Fabinho também faziam um bom trabalho de contenção.

O time da casa começou a ganhar volume na reta final da primeira etapa, com Helinho. Aos 41, foi a vez de Vitinho quase fazer, entrando de carrinho na segunda trave, após cruzamento de Capixaba.

Mais volume, poucos chutes

O Palmeiras começou melhor, mais uma vez. Com mais volume e velocidade, o time de Abel foi tomando conta da partida desde os minutos iniciais.

Aos 10, Caio Paulista aproveitou desvio de Jhon Jhon no meio-campo e saiu livre, frente a frente com Cleiton. Capixaba chegou e desarmou o atacante no último instante. O juiz apitaria impedimento. Mas a jogada foi bem construída.

Anibal Moreno durante partida contra o Bragantino pelo Paulista de 2024 (Photo: Anderson Lira/Fotoarena/Sipa USA) – Photo by Icon Sport

Abel mexeu no ataque antes dos 20. Com Flaco López no lugar de Breno, o time passou a reter a bola no ataque com mais frequência, mas seguia concluindo pouco. Estevão também foi para o jogo, atacando pela direita. Luis Guilherme não estava bem.

O Palmeiras ficava devendo, mas o Bragantino fazia ainda menos. Tinha mais a bola, rodava muito, mas sempre tentava a mesma jogada, com cruzamentos vindos de Hurtado na direção da segunda trave.

Até que, aos 43, o Palmeiras, que voltou a ser melhor após as mexidas do técnico, finalmente abriu o placar. Naves avançou pela direita e enfiou em profundidade para Garcia. O cruzamento saiu perfeito para Flaco López cabecear com estilo.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo