Brasil

O Palmeiras vai passar por uma renovação no elenco? O que sabemos

Elenco do Palmeiras deve mesmo passar por algumas mudanças até o fim desta temporada, mas movimento não terá ritmo intenso

Autor do gol que garantiu a conquista da Copa Libertadores de 2020 ao Palmeiras, Breno Lopes deixou o clube na última quinta-feira (18). O herói da primeira conquista da Era Abel Ferreira foi emprestado ao Fortaleza até o fim de seu contrato, em dezembro, e não vai retornar ao Verdão.

A saída de Breno tem sido lida por muitas pessoas como indício de um processo de renovação no elenco bicampeão brasileiro e tricampeão paulista.

Há duas informações reais nessa leitura, mas que não necessariamente se interligam. O Palmeiras de fato deve abrir mão de algumas peças em seu elenco. Mas o caso de Breno, especificamente, fala mais sobre uma situação individual dele e do setor em que atua.

Breno era o único atleta do elenco, além de Marcos Rocha e Marcelo Lomba, que tinha contrato apenas até o fim da temporada atual. Os veteranos preferem acertos ano a ano pela liberdade de movimentação que o vínculo curto proporciona. Algo que Breno e seus representantes decidiram adotar no ano passado diante da falta de espaço e do desgaste.

Embora tenha se apressado em pedir desculpas após enrosco com a torcida, e participado decisivamente da reta final da conquista do bicampeonato nacional, Breno, em sua quinta temporada no clube, acreditava ter futebol para minutagem maior e até mesmo titularidade em outras equipes. Algo cada vez mais distante dele no Palmeiras com as chegadas de Caio Paulista, Bruno Rodrigues e Lázaro, além da promoção de Estevão.

Quem pode sair?

O Palmeiras não pretende fazer uma substituição drástica de peças. Mas existe o entendimento de que alguns atletas que perderam espaço tem mercado e potencial para jogarem em outras equipes.

Atletas importantes como Gabriel Menino e Rony acabaram indo quase para o fim da fila em seus setores por conta de novas contratações e promoções. Caso haja propostas e interesse dos jogadores, negociações podem ser abertas.

Já Jhon Jhon, por exemplo, não conseguiu se firmar como opção para o meio-campo criativo. Situação que ficará mais complicada ainda com as chegadas de Rômulo e Felipe Anderson.

O Palmeiras, no entanto, não está em um processo de liquidação. Não existe pressa para se livrar de qualquer jogador. Mas, diante de conversas da diretoria com a comissão técnica de que existem planos de aumentar a qualificação do elenco, algumas liberações podem ser avaliadas com menos apego, com as avaliações sendo feitas sempre caso a caso.

Contratos longos

O Palmeiras vive uma situação muito tranquila em termos de planejamento de elenco para as próximas duas temporadas. O clube não tem com o que se preocupar neste tema até o fim de 2025.

Apenas Lomba e Rocha têm contratos vencendo antes disso. Mas, nos dois casos, os acertos mais curtos são frutos de acordos com os próprios atletas, por razões diferentes.

O goleiro reserva Marcelo Lomba, 37, já olha para o fim de sua carreira. Há muito longe de casa, no Rio de Janeiro, o atleta tem acordo com familiares de retornar para a sua cidade natal num futuro próximo.

É por isso que Lomba não tem interesse em estabelecer um vínculo mais longo com o clube alviverde. Se uma nova renovação vier ao fim deste ano, por exemplo, será também por no máximo mais uma temporada.

É o mesmo caso de Marcos Rocha. O atleta vem renovando contrato anualmente, sempre por no máximo 12 meses, desde 2022. Desse modo, ele se sente mais livre para avaliar seus próximos passos.

Homem de extrema confiança de Abel Ferreira, Rocha tem toda pinta de que pode seguir com algum cargo no clube quando decidir se aposentar do campo de jogo. Mas, no momento, ele tem contrato até o fim deste ano como atleta.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo