Brasil

Na descida todo santo ajuda. O Barueri está sentindo isso na C

O Grêmio Barueri parece estar pagando o preço de sua ascensão meteórica que começou em 2008. O clube-empresa foi criado em 1989 e demorou alguns anos para encontrar na cidade de Barueri uma sede que poderia dar frutos. Apenas poderia.

Algumas promoções e uma construção de estádio (a Arena Barueri foi inaugurada em 2007) depois, o clube da Grande São Paulo está prestes a cair para a Série D do Brasileirão. A partir do momento em que subiu para a Série A em 2008, não demorou muito a encontrar problemas com a Prefeitura de Barueri. Pouco antes de encerrar a temporada de 2009, começou a realizar seus jogos no Prudentão, em Presidente Prudente.

A desavença com a prefeitura fez com que a diretoria estudasse uma mudança para Presidente Prudente, o que foi consolidado em 2010, para desagrado de muita gente do ramo. Afinal, o Barueri mudou a sua razão social para Grêmio Prudente e causou revolta por continuar ocupando uma vaga na elite nacional. O movimento sempre arquitetado por empresários, porém, custou mais caro do que o previsto.

A polêmica não durou muito tempo e no fim daquele ano, a equipe caiu para a Série B. Em 2011, o descenso se repetiu no Paulistão, causando também a venda do Grêmio Prudente para empresários de onde? Sim, isso mesmo, Barueri. Voltando às origens, os baruerienses encaram uma nebulosa.

Sem paraquedas

Queda livre? Não há outra forma de definir a fase atual do time que já foi comparado ao São Caetano pelos seus seguidos acessos. A diferença é que o Azulão era um time novo e que sempre se manteve fiel às suas raízes. Diferentemente do Barueri, que se transmutou e está pagando seus pecados.

Em 2012, caiu da Série B do Brasileiro para a C. E se você pensa que o pesadelo já acabou, é só olhar para tabela do grupo B da competição: lanterna com 10 pontos, o Barueri está até perto do Crac, com 12. Recorremos então ao dito popular. “Na descida, todo santo ajuda”. O empurrão dessa ladeira foi dado em 2011, quando a diretoria começou a tomar uma série de decisões erradas.

As duas vitórias, os quatro empates e sete derrotas são sim um grande motivo de preocupação para o Barueri, que precisa se recuperar se não quiser encarar seu terceiro rebaixamento consecutivo. Bem ao contrário da fama que conquistou ao ser especialista em acessos.

Nessa queda, é bom que o time tenha use paraquedas, pois estar na D em 2014 (isso se não desistirem da vaga) pode ser letal para o projeto, que convenhamos, foi mal executado pelos grupos que gerenciam a agremiação.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo