Brasil

Provável venda de Luis Guilherme por 30 mi de euros impressiona mais que a de Endrick

Jogador formado no Palmeiras está próximo de acertar com o West Ham, da Premier League

O Palmeiras tem boas chances de negociar o meia Luis Guilherme por 30 milhões de euros (aproximadamente R$ 170 milhões pela conversão atual) com o West Ham, da Premier League.

Embora o valor seja 20 milhões de euros abaixo da multa contratual do jogador, a transação é vista com bons olhos no clube.

A Trivela apurou que a proposta já é de conhecimento do Palmeiras. As partes negociam detalhes, comissões e bonificações para bater o martelo.

Luis Guilherme jogou pouco

Comercialmente muito menor, a negociação de Luis é, de certo modo, mais impressionante que a de Endrick, que custará ao Real Madrid cerca de 80 milhões de euros, na totalidade, ao final da transação.

Endrick foi fenômeno por onde passou. Do sub-11 ao profissional, sempre cumpriu a expectativa que tinham sobre ele. Foi o grande ator da conquista do Campeonato Brasileiro do ano passado, por exemplo. Convocado para a Seleção Brasileira, anotou gols no Santiago Bernabéu e em Wembley.

Luis Guilherme, por outro lado, vem tendo uma evolução bem menos vistosa e rápida que a de seu colega de clube, de quem é companheiro, literalmente, desde o primeiro dia de Endrick no sub-11 alviverde.

Promovido por Abel Ferreira no ano passado, Luis tem apenas 44 jogos pelos profissionais, nos quais anotou um gol e uma assistência apenas.

Mais do que isso, meia de origem, Luis teve pouquíssimas chances de jogar na posição em que construiu toda sua carreira nas categorias de base. Com Abel, quase sempre entra como ponta-direita, onde rende menos.

Mesmo assim, um clube da Premier League está disposto a investir um montante considerável na sua contratação.

Se concretizada por esse valor, a venda será 10 milhões de euros maior que a venda de Danilo para o Nottingham Forest. Em que pese ser um volante, era titular absoluto e destaque do Palmeiras bicampeão da Copa Libertadores.

Movimento inexorável

A negociação de Luis Guilherme vem reafirmar alguns pontos sobre o mercado internacional de futebol.

O primeiro é o fato de o Palmeiras estar completamente estabelecido como um player confiável e respeitado no mercado internacional. Ninguém chega com uma proposta abaixo da realidade na Academia de Futebol. E todo clube gringo confia na formação das categorias de base alviverdes.

O segundo é que o fator idade é o mais preponderante para os europeus. Quanto mais jovem, mais o jogador vale. Se tivesse saído aos 17, mesmo tendo jogado menos no profissional, ele muito provavelmente custaria mais caro para os ingleses.

O terceiro fala com o segundo: o desempenho do jogador profissional pouco impacta o valor das negociações. Se bobear, aliás, pode até ser que deteriore os preços. Com a rede de observadores nas partidas das categorias de base, de clubes e seleções, desde o sub-11, importa pouco o que acontece no time profissional.

O quarto é o mais preocupante do ponto de vista de quem goste e vive de futebol no Brasil: jogadores de muito talento vão jogar cada vez menos por aqui. Por conta, principalmente, do exposto nos dois parágrafos acima. Aos 18, o jogador já é visto como velho para a Europa.

Em Palmeiras x Independiente del Valle da quinta rodada da fase de grupos da Libertadores, além de Kendry Paez, de 16 anos, adquirido pelo Chelsea no ano passado, esteve em campo Justin Lerma. Reserva no Del Valle, ele acabou de completar 16 e também já é jogador do futebol europeu — vai para o Borussia Dortmund.

Para ver fenômenos de perto, os torcedores dos clubes da América do Sul vão ter de se habituar a ver cada vez mais adolescentes em campo.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo