Brasil

Jadson, herói do Juventude, chora e dá depoimento emocionante sobre enchentes no Sul

Autor de gol de empate com o Fluminense no Maracanã, volante vê 'poder' no futebol de diminuir tristeza após desastre

O Juventude arrancou empate do Fluminense no Maracanã com direito a lei do ex. Mas não foi o meia Nenê, capitão do time, o responsável pelo gol. Jadson, que também teve passagem pelo Tricolor, balançou as redes pela primeira vez no Campeonato Brasileiro e deixou uma mensagem impactante após o jogo.

Emocionado pelas enchentes no Rio Grande do Sul, o volante não conseguiu conter as lágrimas à beira do campo. Ao responder a reportagem do sportv, Jadson afirmou ver “poder” no futebol neste momento difícil.

— A gente tem o poder, pelo menos por 90 minutos, de dar um pouco de alegria e tranquilidade às pessoas que estão sofrendo no Rio Grande do Sul — disse Jadson.

Ao falar sobre os últimos dias do Juventude, Jadson precisou de uma pausa. O jogador de 30 anos repetiu estar emocionado e citou casos no próprio elenco do clube de Caxias do Sul. Para o volante, os jogadores têm “responsabilidade” de representar seu povo no momento de tristeza.

— Fico emocionado, tem sido difícil para a gente. Até para treinar nos últimos dias. Vejo o que Grêmio e Inter tem passado. Mas temos como trabalhar, jogar, descansar, muitas pessoas perderam casas, familiares, até companheiros nossos. A gente tem uma responsabilidade até maior quando entra em campo, e estamos procurando colocar tudo isso dentro dos 90 minutos — afirmou.

Jadson aproveita falha de Fábio e ajuda Juventude

O retrospecto do Juventude contra o Fluminense no Rio de Janeiro não é nada bom. A equipe gaúcha só venceu uma vez, e este foi apenas o segundo empate dos gaúchos em 11 partidas como visitante contra o Tricolor pelo Campeonato Brasileiro. Esse parecia o roteiro da noite deste sábado (1), mas Jadson tratou de mudar isso.

O camisa 16 aproveitou falha de Fábio para interceptar a bola dentro da área e em mais um toque, balançar as redes e marcar o gol do empate que o Ju conquistou no Maracanã. Mais do que um importante ponto na tabela, a jogada marcou também um ponto crucial de retomada para os gaúchos.

Um mês parado por conta das enchentes no Rio Grande do Sul, o Juventude conseguiu um empate fora de casa contra o que hoje é um adversário direto na parte de baixo da tabela. Motivo de sobra para comemorar.

— Fico feliz pelo gol. Dentro das circunstâncias que estamos inseridos nas últimas semanas, principalmente, fico até emocionado. A gente sabe que é difícil jogar contra o Fluminense, que tem modo diferente de jogar, e é o atual campeão da Libertadores. Criamos muitas chances no primeiro tempo, não conseguimos aproveitar, e acabamos sendo penalizados. No segundo tempo tivemos mais frieza e apertamos com um pouco mais de inteligência para resolver. O resultado foi justo — opinou.

O Juventude é o 14º colocado do Campeonato Brasileiro neste momento. O time comandado por Roger Machado conquistou seis pontos na competição, com uma vitória, três empates e uma derrota em cinco partidas.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo