Brasil

Violência da torcida e lei do silêncio: Ituano completa 77 anos em meio a confusão

Rebaixado no Campeonato Paulista, equipe do interior é lanterna na Série B

Não bastasse o rebaixamento no Campeonato Paulista após 22 anos consecutivos na elite do futebol estadual, o Ituano começou mal o Campeonato Brasileiro da Série B. Em seis rodadas, o time de Itu venceu apenas um jogo, perdeu os outros cinco, e ao lado do Guarani amarga a lanterna da competição. Trocas constantes de jogadores culminaram em um elenco um pouco mais fraco nesta temporada, e a falta de um planejamento mais sólido pode fazer o clube cair para a Série C do Brasileirão neste ano. 

Para piorar ainda mais a situação, no último domingo (19), a sede do clube foi alvo de uma violenta invasão de torcedores, que terminou em agressão, e um atleta das categorias de base da equipe feridos. Em nota, o Ituano repudiou o ocorrido, dizendo que está trabalhando para identificar os invasores, e prestando apoio aos familiares e atletas agredidos.

Confira a nota publicada pelo Ituano na íntegra.

Na noite do último domingo, 19 de maio, a sede do Ituano F.C. foi invadida por dois indivíduos, que já estão em processo de identificação. Estes invasores se dirigiram até o refeitório, onde atletas da base e colaboradores jantavam. Os agressores quebraram janelas e depredaram o local.

Durante este ato violento, dois atletas da base, um deles menor de idade, sofreram lesões corporais. O Ituano F.C. está assegurando todo o suporte necessário aos atletas e colaboradores do clube, vítimas desta absurda agressão, sendo que o Departamento Jurídico
está adotando as medidas cabíveis.

Manifestamos nossa absoluta indignação e firme intenção de cooperar com as autoridades com o objetivo de esclarecer o ocorrido, identificar e responsabilizar os agressores.

GESTÃO DO ITUANO F.C.

Diretoria e atletas fazem silêncio após invasão

A reportagem da Trivela tentou contato com o Ituano na última semana, mas foi informada que a diretoria do clube, assim como seus jogadores, não iriam conceder entrevistas. O time enfrenta a Ponte Preta neste domingo (26), no Estádio Novelli Júnior, em Itu. Sem tempo para lamentar o que já passou, a equipe treinada por Alberto Valentim precisa da vitória em casa para começar a se recuperar na temporada e evitar ainda mais problemas com seu torcedor.

O clube de Itu completou 77 anos na última sexta-feira, mas não tem muito o que comemorar nesta altura da temporada. Em seis jogos na Série B, a equipe levou 12 gols, sendo a pior defesa, e marcou apenas três, o segundo pior ataque. Nos próximos dias, a diretoria deve se posicionar oficialmente sobre os fatos ocorridos em sua sede, e agora volta às suas atenções para tentar pontuar e sair da zona de rebaixamento da Série B.

Ituano errou no planejamento para 2024

Nos últimos anos, o Ituano deu trabalho aos times grandes no cenário estadual. Chegou ao seu segundo título do Paulistão em 2014, e quase conquistou o acesso para a Série A do Brasileirão em 2022. Contudo, ainda no ano passado, o clube dava sinais de que não estava bem – ficou próximo da zona de rebaixamento na Série B, encerrando a competição na 14ª colocação, ainda sob o comando de Márcio Freitas.

Na época, boa parte da imprensa local afirmava que o primeiro passo para o Ituano retomar seu caminho de progresso era o encerramento do contrato com o antigo treinador antes da disputa do Paulista deste ano. O tempo passou, Márcio Freitas permaneceu, e o time não deslanchou, começando muito mal o estadual.

O Ituano trocou 21 jogadores de seu elenco para esta temporada, se desfazendo de praticamente todo o time que chegou às semifinais do último Paulistão. Além disso, o clima com Marcinho não era dos melhores, já que o treinador não conseguiu extrair o melhor dos atletas até a sua demissão. A relação dos jogadores com o seu comandante parecia desgastada e os resultados em campo mostravam que algo deveria ter sido feito antes.

Em contato com a Trivela, o jornalista Renato Alves, especialista na cobertura do Ituano, afirmou que o primeiro passo para a derrocada do Ituano nesta temporada foi a permanência de Marcinho no cargo de treinador, além da troca de praticamente todo o elenco. O time não teve tempo de se entrosar, caiu no Paulistão e ainda não se encontrou na Série B.

— Ao todo, 21 jogadores foram dispensados e quem chegou não tinha a mesma qualidade. O departamento médico também estava um pouco cheio e penso que a insistência com o Marcinho, com os resultados que não vinham acontecendo, foram os pilares para esta queda do Ituano este ano. Apesar de nada oficial por parte do clube, percebíamos que algo estava estranho em campo por conta do comportamento dos jogadores. A quantidade de contratações erradas e a insistência no comando do Márcio Freitas fizeram com que o clube infelizmente caísse — disse.

Ituano e Ponte Preta entram em campo às 16h. A Macaca é 14ª colocada da Série B, e soma seis pontos. Já o time de Itu, que joga em casa, soma apenas três.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo