Brasil

Sem jogos, gramado de São Januário vira tapete para sequência do Vasco na temporada

Durante a transição para a grama de inverno, o Vasco vai ficar, no total, quase um mês sem jogos em São Januário

Se o clima no Vasco e o futebol apresentado não têm sido dos melhores, o mesmo não se pode dizer do gramado de São Januário. Beneficiado pela paralisação do Campeonato Brasileiro, o campo do estádio passou pela mudança para a “grama de inverno” sem precisar aguentar os jogos, que dificultariam o desenvolvimento do gramado. Com o fato de ainda não disputar competições internacionais, o Vasco vai ficar, no total, quase um mês sem jogos em São Januário. A Trivela teve acesso a imagens do gramado e conversou com um dos responsáveis para entender o processo da manutenção do campo da Colina.

O Vasco não joga em São Januário desde o dia 21 de maio, quando enfrentou o Fortaleza, pela Copa do Brasil. Com a pausa no Brasileiro, o Cruz-Maltino só volta a jogar na Colina no próximo domingo (16), contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. Serão, no total, 25 dias sem partidas em São Januário. Neste período, o clube até foi mandante no clássico com o Flamengo, mas, por acordo entre os clubes, o jogo foi realizado no Maracanã. Assim, este período sem jogos, raro no futebol brasileiro, permitiu a São Januário passar por um desenvolvimento ainda melhor da grama de inverno.

– O período ideal são 20 dias de descanso depois de ter aplicado a semente de inverno. Você faz o trabalho entre dois, três dias. Então, no trabalho ideal, seriam 25 dias. Hoje, em todos os estádios, a gente não consegue ter nem 18 dias. Geralmente tem 16 dias. Você faz um trabalho de dois, três dias, aí ela germina com quatro, cinco. Então, quando você tem o primeiro jogo, a grama não incorporou ainda, não amadureceu. Ela fica mais fina. Agora, em São Januário, com esse período ficou excelente, porque a gente consegue ter um período de manejo para ela amadurecer bem. São Januário hoje é um dos poucos estádios que conseguimos ter um tempo maior pra desenvolver esse consórcio de sementes – disse Lucas Pedrosa, diretor técnico da Greenleaf Gramados, à Trivela.

São Januário ficou quase um mês sem jogos (Foto: Imagem cedida à Trivela)

Como funciona a manutenção do gramado de São Januário?

No começo do segundo trimestre do ano, os clubes que têm campos de grama natural fazem essa adição das sementes de inverno. No entanto, como o Vasco fez poucos jogos em São Januário em 2024 e como o clima até pouco tempo seguia quente, o clube e a Greenleaf optaram por retardar o início do plantio das novas sementes, o que coincidiu com o período sem jogos do clube na Colina.

– No sul e no sudeste, a gente faz nesse período o chamado “overseeding”, que é o consórcio com a semente de inverno. O clima tropical perde um pouco a força, devido à temperatura mais baixa. Então a gente completa o consórcio com o semente de inverno. Todo ano a gente faz esse trabalho em São Januário e no CT do Vasco. Esse ano a gente segurou um pouquinho mais. Geralmente começa no final de abril, começo de maio. Devido ao clima ainda não tão ameno assim, esse ano a gente segurou um pouquinho a entrada. A gente fez no meio de maio. A nossa grama já estava boa também, porque também não tiveram muito jogos, e, pelo clima no Rio de Janeiro, a grama desenvolveu muito bem. Então, a grama estava boa, bem fortificada, vigorosa. E a gente adicionou então a semente de inverno. O visual hoje ficou muito bom em São Januário – disse Lucas Pedrosa.

Até o momento, o Vasco fez apenas oito jogos em São Januário em 2024. Foram três pelo Campeonato Carioca, dois pela Copa do Brasil e três pelo Campeonato Brasileiro. Além do Maracanã, o Cruz-Maltino já mandou partidas neste na Arena da Amazônia, em Manaus, e no Kleber Andrade, em Cariacica.

Vasco voltará atuar em São Januário no próximo domingo (16) – Foto: Imagem cedida à Trivela

Manutenção do gramado causou controversa com humorista

Em maio, durante a tragédia das enchentes no Rio Grande do Sul, que causaram a paralisação do Campeonato Brasileiro, o humorista Whinderson Nunes sugeriu ao Vasco, publicamente em uma rede social, a ideia de fazer um show em São Januário para arrecadar fundos para as vítimas das enchentes. O clube gostou da ideia, mas, como já passava pelo período de transição para a grama de inverno, ofereceu ao humorista quatro possibilidades de realizar o show sem que o gramado fosse totalmente afetado.

No entanto, Whindersson gostaria de fazer o show no gramado, com o público também presente no campo, e não aceitou as opções oferecidas pelo Vasco, que iam de fazer o palco atrás de um dos gols, com o público na arquibancada, ou fazer o show após a transição do gramado.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo