Brasil

‘Gelo no sangue’ dá resultado, e Flamengo viaja à Europa confiante por Viña

Flamengo vê Roma mais flexível com relação à primeira pedida de R$ 53 milhões, e dirigentes estão na Europa para fechar contratação

O Flamengo está cada vez mais próximo de fechar com mais um reforço para 2024. A negociação por Matías Viña está na reta final e, depois de se acertar com o jogador, Braz e Spindel viajaram à Europa para tentar chegar em um denominador comum com a Roma, clube detentor dos direitos econômicos do lateral uruguaio. Se antes os italianos estavam irredutíveis quanto aos valores, agora estão mais flexíveis.

A pedida inicial da Roma era de 10 milhões de euros, cerca de R$ 50 milhões na cotação atual, mas, depois de muito esperar, o Flamengo finalmente vê os italianos com boa possibilidade de baixar as cifras. Já na Europa, os dirigentes do Rubro-Negro mantém a confiança por um final feliz.

Ou vai ou racha

Flamengo e Roma estão perto de uma resolução na negociação por Matías Viña. Inicialmente, o Rubro-Negro ofereceu 6 milhões de euros (R$ 32 milhões), mas os valores ficaram longe dos R$ 53 milhões pretendidos pelos italianos. A flexibilização das cifras é fundamental para que o clube carioca feche com o lateral uruguaio, já que, dentro do planejamento, propostas não poderiam passar dos 8 milhões de euros (R$ 40 milhões).

Viña teve passagem de pouca excelência pela Roma, que quer recuperar parte do investimento (Foto: Massimo Insabato/Mondadori Portfolio/Sipa USA)

Segundo o jornalista italiano Gianluca Di Marzio, o Flamengo ofereceu 7 milhões de euros, com possibilidade de mais três em bonificações não divulgadas. Dessa forma, os valores agradariam ambas as partes e até mesmo o Sassuolo, clube ao qual a Roma emprestou Viña, seria contemplado.

Em contato com fontes ligadas à Roma, contudo, a Trivela ouviu que essa segunda proposta ainda não chegou de maneira oficial. Braz e Spindel estão em contato com os dirigentes do clube da capital italiana e, estando na Europa, podem avançar e até contratar Viña em definitivo.

Viña nunca escondeu vontade de ser jogador do Flamengo

O lateral-esquerdo e seus representantes jogam no mesmo time dos dirigentes do Flamengo desde o início da negociação. Sem espaço na Roma, Viña vê o retorno ao Brasil com bons olhos e prefere o Rubro-Negro por conta do projeto, que envolve uma estrutura de ponta e a possibilidade de conquistar títulos de peso na América do Sul.

O atleta também ficaria ainda mais perto da família, já que é natural do Uruguai, e seria observado com mais facilidade pelo técnico Marcelo Bielsa. “El Loco”, inclusive, tem utilizado Viña como titular em praticamente todas as partidas desde que assumiu a Celeste Olímpica.

Matías Viña é titular absoluto no Uruguai de Marcelo Bielsa (Foto: Bagu Blanco / Pressinphoto / Icon Sport)

Lateral é pedido de Tite

Com a aposentadoria em definitivo de Filipe Luís, o Flamengo deixou claro que a lateral-esquerda seria uma das principais prioridades para a janela de transferências. A negociação com Matías Viña passa muito pela escolha de Tite, que gosta bastante do futebol do uruguaio, especialmente pelo que foi apresentado no período em que estava no Palmeiras.

É importante frisar que, diante das dificuldades na negociação por Matías Viña, o Flamengo chegou a procurar a situação de Juninho Capixaba, tentando envolvê-lo na compra do zagueiro Léo Ortiz, outro alvo do Rubro-Negro. A reportagem ouviu que, se fechar com o uruguaio, o Rubro-Negro deve desistir da contratação do lateral-esquerdo do Red Bull Bragantino.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo