BrasilCampeonato Brasileiro

Galo derruba Cruzeiro, Ceni perde pênalti e Botafogo quebra tabu

Que o Cruzeiro será o campeão brasileiro, ninguém parece ter muita dúvida. Mas o Atlético Mineiro tratou de mostrar que continua sendo o time forte que ganhou a Libertadores, além de mostrar que na sua casa, não perde do rival – são três vitórias e um empate. Teve também o clássico entre São Paulo e Corinthians, mais um empate que teve o Rogério Ceni perdendo mais um pênalti, nos últimos minutos. No clássico carioca entre Botafogo e Flamengo, os alvinegros quebraram o tabu e venceram. Confira os jogos:

Segurem-se quem puder

Vitória 2×1 Coritiba

O confronto entre Vitória e Coritiba era de um time na boca da zona do rebaixamento contra um time na parte de cima da tabela, em sexto. Só que a diferença entre eles era só de três pontos. É o Brasileirão do cai-cai. O Vitória contou com uma boa atuação do seu ataque para vencer por 2 a 1, gols de Marquinhos e Dinei. O Coritiba vive a curiosa situação de ter liderado o campeonato no primeiro turno e estar a dois pontos da zona do rebaixamento após esta 28ª rodada – é o primeiro time fora da zona de descenso, 16º, com 34 pontos. O Vitória manteve-se em sexto, com 40 pontos.

O que mais apareceu foi o uniforme

Fluminense 1×1 Grêmio

Em um jogo sem destaques individuais, o que brilhou em campo foi o uniforme do Fluminense. O laranja chamativo foi mais uma vez usado pelo tricolor carioca como uniforme, mas o time fez pouco para chamar a atenção além disso. Destaque para Rafel Sóbis, o segundo jogador que mais chuta a gol no campeonato (3,7 por jogo, atrás apenas de Walter, que tem 4,3), que empatou no final. No Grêmio, a falta de criatividade foi mais uma vez imperativa e Alex Telles fez mais um jogo bom. O goleiro Marcelo Grohe também merece menção pela boa atuação. O Grêmio é o terceiro colocado com 49 pontos e o Fluminense é o 13º com 35 pontos.

A Cícero o que é de Cícero

Santos 2×1 Ponte Preta

Aniversário da Vila Belmiro, um dos estádios mais tradicionais do futebol brasileiro. Feriado de 12 de outubro, dia de Nossa Senhora. A diretoria do Santos, porém, marcou o jogo para o Pacaembu. E o sofrimento foi maior do que o esperado. Os 2 a 1 vieram graças a um golaço do Santos no segundo tempo, quando estava 1 a 0.

Cícero deu um belo chapéu no meio-campo, conduziu a bola até a área, tirou um defensor pelo caminho e rolou macia para Walter Montillo ainda tirar do goleiro e marcar. Um gol de Montillo, mas com as honras do camisa 8, Cícero, que fez uma jogadaça. O gol no final da Ponte ainda assustou, mas a Ponte não conseguiu ir além. O Santos é o nono colocado com 39 pontos, enquanto a Ponte segue em 19ª, com 26.

O ataque resolveu

Criciúma 3×2 Vasco

Em uma disputa de times na zona do rebaixamento, quem levou foi o Criciúma, que chega a duas vitórias seguidas, mas ainda não sai da zona do rebaixamento. Lins e Wellington Paulista, duas vezes, marcaram os gols do time na vitória por 3 a 2. Lins chegou a nova gols no Brasileiro, artilheiro do time no torneio. Wellington Paulista tem seis. O Vasco segue instável, mas é a sua realidade. O time é para sofrer mesmo. Os dois estão colados na tabela com 32 pontos, em 17º e 18º, mas o Criciúma está à frente com nove vitórias.

Golaço na casa do Galo

Atlético Mineiro 1×0 Cruzeiro

Já dizia o lendário Jardel que clássico é clássico e vice-versa. Por isso mesmo, o Atlético sabia que vencer, mesmo que isso não signifique nada em termos de classificação, era muito importante. E a intensidade do jogo do Atlético, mostrada tantas vezes durante a Libertadores, voltou a aparecer. Um time que sufoca o adversário e consegue complicar, e muito, a situação do adversário. Tanto que o Cruzeiro mal teve chances. Só uma, no segundo tempo.

O jogo foi do Galo, que se impôs jogando em casa e teve em Fernandinho a sua principal arma. O golaço do camisa 11 coroou uma boa atuação e deu ao Atlético mais uma vitória no clássico. Com 42 pontos, o Galo é quinto colocado. O Cruzeiro segue tranquilo com 59, dez à frente do vice-líder Botafogo.

Só bate quem erra

São Paulo 0x0 Corinthians

O resultado era previsível, convenhamos: um time que tem enormes dificuldades em se impor jogando em casa contra praticamente qualquer adversário. O outro não consegue fazer gol em quase situação nenhuma. Claro que o resultado poderia ser outro se um ou outro acertasse aqui ou ali, especialmente se Rogério Ceni fizesse o gol no pênalti no final do jogo.

O último gol de pênalti do goleiro foi contra o Atlético Mineiro, no último jogo da fase de grupos da Libertadores, quando ajudou o time a vencer por 2 a 1, no dia 17 de abril. Desde então, quatro pênaltis, quatro erros. No ano, são sete pênaltis batidos, com três acertos (Bolívar, Strongest, Atlético Mineiro, todos na Libertadores) e quatro erros (Bayern de Munique, Portuguesa, Criciúma, Corinthians). O São Paulo é o 15º colocado, 34 pontos, a dois pontos da zona do rebaixamento. O Corinthians é 11º, 37 pontos.

Clemer até o final

Internacional 4×1 Náutico

Ganhar do Náutico é uma obrigação para quase todos os times a Série A. Por isso mesmo, os gols de D’Alessandro, Otávio, Willians e Kléber não foram lá tão importantes quanto o anúncio depois da partida que o ex-assistente técnico Clemer, que também é ex-goleiro do Inter, ficará no comando do time até o fim do ano. Um dos melhores em campo foi Willians, que além de ter marcado um gol, fez quatro desarmes, se mantendo como o principal jogador no quesito, com média de 5,4 por partida.

Sasha, o homem do jogo

Goiás 3×1 Bahia

Mesmo com Hugo e Walter marcando gols, o destaque do Goiás foi outro. Eduardo Sasha fez uma grande partida e decidiu o jogo. Fez o passe para o primeiro gol, marcou o terceiro e levou o Goiás ao oitavo lugar no Campeonato Brasileiro, com 40 pontos. Mesma pontuação do Internacional e do Vitória, aliás, que estão nas posições imediatamente acima pelos critérios de desempate. O Bahia tem 36, a quatro da zona do rebaixamento, em 12º lugar.

É preciso saber viver

Botafogo 2×1 Flamengo

Para vencer, é preciso marcar gols. E para marcar gols, é preciso aproveitar as chances. O Flamengo teve uma boa atuação contra o Botafogo, criou jogadas e poderia ter vencido o rival. Poderia, sim, mas foi incompetente, perdeu chances, errou passes bobos. O Botafogo também jogou bem, até melhor, e foi mais eficiente no ataque. Conseguiu marcar dois gols, com Gegê e Rafael Marques, que deram a virada ao time da estrela solitária, que saiu atrás com um gol de Hernane. O Botafogo sobe para o segundo lugar com 49 pontos. O Flamengo é 10º, com 37.

“Fica Paulo Baier”

Atlético Paranaense 1×0 Portuguesa

A polêmica sobre a situação de Paulo Baier no Atlético permanece. O meia foi novamente decisivo em campo contra a Lusa, dando o passe para Marcelo marcar o gol da vitória logo a dois minutos de jogo. Depois, foi importante na partida e teve ao menos duas grandes chances de marcar, mas o goleiro e a defesa da Portuguesa impediram. A vitória por 1 a 0 foi bem sofrida, com a Portuguesa pressionando no final. O Furacão, por sua vez, teve chance para ampliar, mas também não conseguiu. A vitória mantém o Atlético em quarto, com 48 pontos. A Portuguesa é 14ª, com 34.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo