Brasil

Fluminense joga mal, mas gol de Cano garante vitória sobre o Sampaio Corrêa e liderança do Carioca

O Fluminense de Fernando Diniz fez um jogo sonolento, mas Germán Cano mais uma vez decidiu; Tricolor segue invicto e líder isolado do Carioca

Não foi a melhor das atuações, mas o Fluminense venceu o Sampaio Corrêa por 1 a 0, com gol de Germán Cano, e reina absoluto no Campeonato Carioca. Ainda invicto após sete rodadas, Tricolor é o líder isolado da Taça Guanabara com 17 pontos, três a mais do que o segundo colocado Nova Iguaçu.

A vitória é a segunda do time titular do Flu no Carioca, mas diferente da estreia, o onze inicial de Fernando Diniz não foi bem. Contra uma das piores equipes da competição, o Tricolor teve uma posse de bola estéril e, muito lento, pouco incomodou o adversário. Sinal de alerta para o Fluminense, que em duas semanas disputa a final da Recopa contra a LDU.

Em ritmo lento, Fluminense para na retranca do Sampaio Corrêa

Fluminense e Sampaio Corrêa se enfrentavam pela primeira vez na história e pareciam mesmo estar apenas se conhecendo. O início de jogo foi lento e sem muitas chances para os dois times.

Sem muita inspiração, apesar do estilo Diniz de sempre, o Flu não conseguia furar a retranca do time de Saquarema, que baixava suas linhas e marcava com nove jogadores atrás da linha da bola. Quando conseguiu, também, não foi efetivo como costuma ser o Tricolor.

A primeira chance veio com Cano, que em vez de invadir a área, deu um passe para trás para chutar de longe, com perigo ao goleiro Leandro. Depois da parada técnica, o Fluminense melhorou um pouco, mas pararia de novo no dono da meta do Sampaio Corrêa.

Fluminense faz blitz, mas Cano perde chances

O que segue estranho em 2024 é que Germán Cano está com baixo aproveitamento nas finalizações. Assim como na estreia dos titulares contra o Bangu, o argentino voltou a perder oportunidades claras de gol no primeiro tempo.

Cano parou três vezes em Leandro no primeiro tempo de Fluminense x Sampaio Corrêa - Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC
Cano parou três vezes em Leandro no primeiro tempo de Fluminense x Sampaio Corrêa – Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC

Depois do chute de fora da área, Cano teve outras chances de marcar, mas parou em Leandro. Primeiro aos 35, quando Arias roubou bola no ataque, passou pela área e rolou com carinho para o argentino, que chutou para defesaça do goleiro. Na jogada seguinte, novo cruzamento da direita e Cano consagrou Leandro com cabeçada em cima do goleiro do Sampaio Correia.

A blitz ainda seguiria no minuto seguinte, quando Ganso colocou na área e Thiago Santos, sozinho, não conseguiu dar direção à bola. A falta de eficiência fez o Tricolor ir para os vestiários empatando com um adversário que só fez Fábio trabalhar uma vez, aos 43, em chute cruzado fraquinho de Lucas Carvalho.

Fluminense segue lento, e nem estreia de Douglas Costa anima

A volta para a segunda etapa teve uma mudança: como de costume, Fernando Diniz trocou um zagueiro. Thiago Santos, por um meia, Renato Augusto. André foi recuado para a zaga, mas o Fluminense não mudou o que tinha de pior: a lentidão.

A saída de bola era confusa, com Marcelo fora da lateral, sem guardar posição, André trocando de posição com Martinelli pela esquerda, e Felipe Melo pouco utilizado pela direita. O ritmo parado do time seguia. Na área técnica, Diniz reclamava, mas a equipe não melhorava. Aos 15, o técnico tirou Keno e promoveu a estreia de Douglas Costa. Nem isso animou o Flu.

Cano marca gol da vitória, e líder Fluminense segue invicto

Quando a árbitra Rejane Caetano da Silva anunciou a parada técnica obrigatória no segundo tempo, Fernando Diniz fez das suas. Já que o Sampaio Corrêa não atacava, o técnico tirou o “zagueiro” que restava: Felipe Melo, que começou a carreira como camisa 10 no Flamengo. Entrou Lelê, o artilheiro do Fluminense em 2024. A agressividade rendeu frutos, e o Tricolor imprensou o adversário no campo de defesa. Saiu também Marcelo, mal fisicamente, para a entrada de Diogo Barbosa.

O que era um jogo do Campeonato Carioca virou um treino de ataque contra uma defesa em linha baixíssima. Com nove atrás da linha da bola em todo o jogo, o Sampaio Corrêa de Alfredo Sampaio teve o mérito da aplicação tática e de errar pouco quando tinha a bola. Até porque não tentava nada além de esticadas para a frente.

As mexidas tornaram o Flu mais veloz na troca de passes, e com Ganso mais próximo a Renato Augusto, o time melhorou. O camisa 20 achou Lelê, aos 29, e o atacante parou em Leandro em chute cruzado de canhota. Na sequência, o Sampaio Corrêa devolveu a bola e a combinação deu certo: de Renato para Lelê e do camisa 18 para German Cano, que desta vez não perdoou. O argentino matou esquisito de direita mas a bola caiu no jeito para a canhota, que fuzilou o teto da rede adversária.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo