Brasil

Fernando Diniz completa 50 anos: relembre momentos marcantes no Fluminense

Jogador, técnico e eterno na história do Fluminense, Fernando Diniz completa 50 anos em grande fase na carreira

Em 14 de agosto de 2000, uma segunda-feira, Fernando Diniz pisou pela primeira vez em Laranjeiras. Na sede social do Fluminense, o então meia foi apresentado à imprensa e aos torcedores como novo reforço do Tricolor após destaque no Paraná. Sem muito alarde. Vinte e quatro anos depois, ele completa 50 anos já eterno na história do clube.

Naquele ano, o Tricolor disputou o Módulo Azul da Copa João Havelange e fez grande campanha na primeira fase. Diniz fez parte do time que resgatou o orgulho dos tricolores após uma péssima década de 1990. O meia, então com 26 anos e apelidado de Pirulito, afirmou se inspirar em Michael Jordan, astro da NBA, em sua apresentação.

— O Jordan era um obstinado e eu tento ser assim, procurando crescer sempre — explicou Fernando Diniz.

 

Ao olhar para sua história no clube até aqui, Fernando Diniz certamente seguiu alguns passos de sua inspiração.

Diniz também foi campeão como jogador do Fluminense

O Fluminense ainda faria grandes campanhas no Campeonato Brasileiro em 2001 e 2002, quando parou nas semifinais. Também no ano de seu centenário, o Flu conquistou o Campeonato Carioca com participação direta de Fernando Diniz.

Diniz foi titular na decisão contra o Americano e deu duas assistências, uma para Roni e outra para Magno Alves. O Tricolor venceu o time de Campos por 3 a 1 e conquistou a competição pela primeira vez desde 1995.

Pelo Fluminense, Fernando Diniz marcou sete gols e deu nove assistências em 107 jogos. Mas a identificação que criou com o Tricolor durante os três anos que atuou nas Laranjeiras permaneceu em seus filhos, que torcem para o clube, e pela chance que teria como treinador.

Fluminense dá chance a Diniz, ainda jovem, como técnico

Dezoito anos depois da primeira vez que pisou em Laranjeiras, Fernando Diniz voltou como técnico. Ele foi anunciado pelo Fluminense no dia 20 de dezembro, mesma data em que o Conselho Deliberativo se reunia para votar o impeachment do então presidente Pedro Abad.

A gestão que contratou Diniz não duraria muito. Embora não tenha sido impedido pelo Conselho naquela noite — por falta de quórum, em manobra de seus apoiadores —, Abad decidiu pedir uma Assembleia Geral aos sócios para antecipar as eleições.

Fernando Diniz no Fluminense em 2019: com resultados ruins, treinador foi demitido - Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Fernando Diniz no Fluminense em 2019: com resultados ruins, treinador foi demitido – Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Mário Bittencourt, derrotado em 2016, venceu o pleito. Assumiu em junho de 2019 com o trabalho do treinador patinando, mas o manteve até agosto, quando o Fluminense foi derrotado em casa pelo lanterna CSA. O trabalho não foi bom em números, embora elogiado internamente. Mesmo com os resultados ruins, boa parte da torcida apoiava o técnico — o que ele nunca esqueceu.

O Flu, que jogava um futebol diferente para os padrões brasileiros, parou na semifinal do Campeonato Carioca para o campeão Flamengo. Na Copa do Brasil, foi até as oitavas de final e perdeu nos pênaltis para o Cruzeiro. Se chegou até as quartas de final da Copa Sul-Americana, o time estava na 18ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 12 pontos em 15 rodadas, e o treinador não resistiu.

Fernando Diniz deixou o Fluminense após resultados ruins no Campeonato Brasileiro de 2019 - Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC
Fernando Diniz deixou o Fluminense após resultados ruins no Campeonato Brasileiro de 2019 – Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

A demissão parecia marcar o fim da linha entre Fernando Diniz e Fluminense. Mas ainda haveria outra chance.

Fernando Diniz leva Fluminense ao título da Libertadores

Em 2022, após Abel Braga pedir demissão, o Fluminense de Mário Bittencourt contratou Fernando Diniz mais uma vez. Mais experiente após passagens por São Paulo, Santos e Vasco, o treinador enfim conseguiu sucesso com o clube que mais se identificou em sua carreira de jogador.

Com Fernando Diniz, Fluminense foi campeão da Libertadores em 2023 - Foto: Icon sport
Com Fernando Diniz, Fluminense foi campeão da Libertadores em 2023 – Foto: Icon sport

Em sua primeira temporada, o Tricolor jogava o futebol mais vistoso do país, mas não conquistou títulos. Já campeão carioca e eliminado de Libertadores e Copa Sul-Americana com Abel, Flu ficou em teceiro lugar no Campeonato Brasileiro e parou nas semifinais da Copa do Brasil. O melhor ainda estava por vir.

O ano de 2023 será lembrado para sempre pelos torcedores do Fluminense. E Fernando Diniz tem culpa disso. Com um futebol ofensivo e desbancando cinco campeões, o Tricolor deu fim à sua obsessão e conquistou a Libertadores. O ápice do treinador, que manteve suas convicções.

— O que eu falaria para o Diniz de ontem, de hoje e de amanhã, eu não considero uma pessoa que é um grande campeão só porque ganhou um título. Não é ganhar a Libertadores que vai fazer de mim melhor ou pior. Trabalho muito e amo o que faço — afirmou, na coletiva após o título.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Fernando Diniz (@timediniz)

Ele ainda conquistou o Campeonato Carioca, com virada épica na final, em 2023, e a Recopa Sul-Americana em 2024. São 171 jogos como treinador do Fluminense — o quinto com mais partidas no comando da equipe na história do clube em que já se tornou eterno.

Números de Fernando Diniz no Fluminense

  • Como jogador: 107 jogos, 1 título, 7 gols e 9 assistências
  • Como treinador: 171 jogos, 3 títulos, 85 vitórias, 36 empates e 50 derrotas
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo