Brasil

‘Não temos tantos para apresentar’: Felipão não consegue encontrar pontos positivos do Atlético-MG em 2024

Ao tentar não falar dos pontos negativos e citar os positivos do Atlético, Felipão não conseguiu encontrar algo de bom que o time dele fez

Pela quinta vez no ano o Atlético-MG entrou em campo e, mais uma vez, teve uma atuação muito ruim. Por sorte, e pelo brilho do jovem Alisson, o time não deixou a Arena MRV novamente derrotado e sim com um empate diante do Tombense. Na coletiva pós-jogo, Felipão se mostrou irritado e confuso com vários questionamentos, como os de porque o time dele não rende em campo.

O grande trunfo que o Atlético se gaba em 2024 é de ter mantido praticamente todo o elenco e a comissão de Felipão. Por conta disso, era esperado que o time começasse o ano melhor, já entrosado e sabendo do que fazer em campo. No entanto, não é nada disso que se vê em campo. Questionado se a manutenção do elenco serviria para o time iniciar melhor, Scolari respondeu sendo rígido:

– Trabalho e faço o que tenho de conhecimento e os jogadores o possível para dar o melhor. Se não estamos conseguindo, estamos devendo à torcida. Se a torcida acha que é simples manter o plantel para ser campeão de tudo, o que vamos fazer? — disse o treinador ao destacar que está contente com o que tem, mas que vê sim algumas dificuldades além do que esperava.

Mas Felipão não parou por aí. Quando questionado quais os pontos positivos e negativos do time dele, preferiu não falar sobre os negativos ao destacar que isso ele fala diretamente com os jogadores. Optando falar só sobre os pontos positivos, ele não conseguiu encontrá-los.

– Não vou dizer pra vocês quais os problemas ou as dificuldades, tenho que falar com os meus jogadores primeiro. Se eu disser sobre esse ou outro (jogador), estou totalmente errado. Os pontos positivos, não temos tantos para apresentar, pois isso não é uma situação que imaginávamos. Vamos ter que conviver e dar a volta por cima para superar essas deficiências — disse o treinador.

Por fim, questionado se ele tem alguma restrição sobre o jogo construído em posse de bola, já que o Atlético tem enorme dificuldade quando tem a bola e joga contra um adversário fechado, Felipão destacou que treina isso seis dias por semana, o que dá cerca de 10h, mas que nas partidas ele encontra adversário que não deixam o time jogar dessa forma. Ele só esqueceu de citar que precisa treinar o time também para essas situações, e o Galo claramente não sabe sair disso.

Não adianta acharem que não estou indignado com os resultados. Estou, mas tenho que ser mais frio. Vocês julguem e façam o que quiserem, o nosso treinamento é bem organizado, mas às vezes não acontece – disse o treinador sobre algumas críticas da torcida

Scarpa e Igor Gomes em lados opostos

Durante 2023, Igor Gomes atuou sempre pelo lado esquerdo do Atlético. Já Gustavo Scarpa sempre se destacou mais pelo lado direito. No entanto, nesse início de ano, com os dois no time, vemos mais Igor pela direita e Scarpa na esquerda. Questionado qual a intenção com essa inversão dos meias, Felipão respondeu:

– Eu não fixo um pela direita ou pela esquerda. Dou liberdade para todos os jogadores de meio e da frente para trocarem de posição. Tudo isso a gente treina durante a semana e dá oportunidades.

Apesar de falar que não prende os jogadores, é notório que eles estão atuando quase que 90% do tempo pelos lados citado – e isso não está dando certo. Scolari afirmou que, assim como nas nossas vidas, se estamos algo que não está bem feito, procuramos melhorar, e é isso que ele e os jogadores estão tentando: “Vamos esperar que, como no ano passado, a gente vá deslanchando aos poucos”.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo