Brasil

ESPECIAL ESTADUAIS: Um Rio-São Paulo de regulamentos

Pelo calendário oficial da CBF, há apenas 23 datas para os estaduais. Os clubes grandes acham muito, os pequenos acham pouco, e os dirigentes das federações locais tiveram de colocar a inventividade de lado. Já não é mais possível ver campeonatos em que as equipes se dividem em um grupo de quatro e outro de 14 equipes, ou então um regulamento em que um time pode enfrentar ele próprio mesmo na final, ou mesmo ser rebaixado e campeão ao mesmo tempo. Atualmente, os campeonatos se dividem em dois formatos dominantes, com pequenas variações: o Paulista, em que todos se enfrentam e os melhores decidem em mata-mata, e o Carioca, dividido em grupos com campeões do primeiro turno enfrentando o campeão do segundo na final.

Com formato usado desde 2004, o Campeonato Carioca geralmente é elogiado por ser mais ágil e emocionante, e seria, em tese, o modelo mais dominante. Não é. O estilo paulista tem seus adeptos. A divisão é quase igualitária: dos 27 estaduais, dez se assemelham mais ao modelo paulista, oito se inspiram no carioca e seis misturam elementos das duas fórmulas. Três estados (Amapá, Piauí e Roraima ainda não definiram o regulamento para 2012).

A fórmula de disputa de São Paulo foi criada para um campeonato com número grande de participantes (20), mas inspirou estaduais com número bem menor de participantes. A vantagem, nesse caso, é fazer pontos corridos em dois turnos na fase de classificação, fazendo que todos os times pequenos tenham um jogo em casa contra os grandes. Outra vantagem é assegurar que cada clássico será realizado ao menos duas vezes. É o caso de Bahia e Pernambuco.

Entre os campeonatos que seguem o formato carioca, o Gaúcho é de mais peso. Foi a única maneira que a FGF (conhecida por sua capacidade de sempre inovar com uma novidade inusitada no regulamento) acomodar 16 equipes na disputa em dois grupos de oito. Os quatro melhores de cada chave se classificam para jogar quartas de final, semifinal e final do primeiro e do segundo turno. Geralmente, a dupla Gre-Nal vence os turnos e faz a decisão, mas às vezes a derrota nos clássicos ou uma eliminação precoce decreta a queda de um treinador, como bem sabe Celso Roth, demitido do Grêmio em 2009 e do Internacional em 2011 com o Gauchão em andamento.

Nos outros estados, há casos de grupos únicos, como Pará, Mato Grosso, Amazonas, Rio Grande do Norte e Alagoas. No entanto, todos eles mantém o princípio de mata-mata para cada turno, permitindo que uma equipe que comece mal a temporada possa reagir no segundo turno e buscar o título.

No meio desse Rio-São Paulo de regulamentos, há estaduais que misturam conceitos de ambos. Em Paraná, Santa Catarina e Tocantins, os times jogam em todos contra todos em grupo único, como no Paulistão. Mas, como no Carioca, a decisão é realizada entre o campeão de um turno contra o campeão do outro. No Sul-Matogrossense, os times se dividem em grupos, mas a decisão é em mata-mata único, sem definição de campeões de turnos.

Veja qual o estilo básico do regulamento de cada estadual:

Acriano (modelo paulista)
8 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Alagoano (modelo carioca)
10 times. Todos se enfrentam em dois turnos. Em cada turno, os quatro primeiros vão para semifinais. O campeão de cada turno decide o título.

Amapaense
Ainda não tem regulamento definido.

Amazonense (carioca)
10 times. Todos se enfrentam em dois turnos. Em cada turno, os quatro primeiros vão para semifinais. O campeão de cada turno decide o título.

Baiano (paulista)
12 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Brasiliense (carioca)
12 times, em dois grupos de 6. No primeiro turno, os times se enfrentam dentro do grupo. No segundo, fora do grupo. Os dois primeiros de cada chave vão para as semifinais de turno. Os campeões de cada etapa fazem a decisão.

Capixaba (paulista)
10 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Carioca (carioca)
16 times, em dois grupos de 8. No primeiro turno, os times se enfrentam dentro do grupo. No segundo, fora do grupo. Os dois primeiros de cada chave vão para as semifinais de turno. Os campeões de cada etapa fazem a decisão.

Catarinense (misto)
10 times. Todos se enfrentam em dois turnos. O melhor de cada turno vai para a final.

Cearense (paulista)
12 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Gaúcho (carioca)
16 times, em dois grupos de 8. No primeiro turno, os times se enfrentam dentro do grupo. No segundo, fora do grupo. Os quatro primeiros de cada chave vão para as quartas de final de turno. Os campeões de cada etapa fazem a decisão.

Goiano (paulista)
10 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Maranhense (misto)
10 times. Todos se enfrentam em dois turnos. O melhor de cada turno vai para a final.

Matogrossense (misto)
10 times. Todos se enfrentam em dois turnos. Em cada turno, os quatro primeiros vão para semifinais. O campeão de cada turno decide o título.

Mineiro (paulista)
12 times. Todos contra todos em turno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Paraense (carioca)
8 times. Todos se enfrentam em dois turnos. Em cada turno, os quatro primeiros vão para semifinais. O campeão de cada turno decide o título.

Paranaense (misto)
12 times. Todos se enfrentam em dois turnos. O melhor de cada turno vai para a final.

Paraibano (paulista)
10 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Paulista (paulista)
20 times. Todos contra todos em turno. Os oito primeiros vão para o mata-mata.

Pernambucano (paulista)
12 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Piauiense
Ainda não tem regulamento definido.

Potiguar (carioca)
10 times. Todos se enfrentam em dois turnos. Em cada turno, os quatro primeiros vão para semifinais. O campeão de cada turno decide o título.

Rondoniense (paulista)
8 times. Todos contra todos em turno e returno. Os quatro primeiros vão para o mata-mata.

Roraimense
Ainda não tem regulamento definido.

Sergipano (carioca)
10 times, em dois grupos de 5. No primeiro turno, os times se enfrentam dentro do grupo. No segundo, fora do grupo. Os dois primeiros de cada chave vão para as semifinais de turno. Os campeões de cada etapa fazem a decisão.

Sul-matogrossense (misto)
14 times, em dois grupos de 7. As equipes se enfrentam em turno e returno dentro do grupo. Os quatro primeiros de cada chave vão para o mata-mata.

Tocantinense (misto)
8 times. Todos se enfrentam em dois turnos. O melhor de cada turno vai para a final.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo