Brasil

ESPECIAL ESTADUAIS: Ele ainda joga?

Na última semana, o Comercial de Ribeirão Preto anunciou sua grande contratação para o retorno ao Paulistão: o zagueiro Fabão, 35 anos. Pode nem ser mais o jogador que ajudou o São Paulo a conquistar o título brasileiro e da Libertadores, mas já fez o papel de chamar a atenção do público para o Bafo.

O zagueiro não está sozinho nessa. Os campeonatos estaduais sempre têm espaço para veteranos que sonham em voltar a brilhar. Ou, ao menos, sentir o gosto de ter uma torcida o empurrando. Um grupo que vai de Túlio Maravilha, que busca o “milésimo gol” pelo CSE, a Ramon, que ainda é importante no Joinville aos 39 anos, passando por Adriano Gabiru, autor do gol do título do Internacional.

Nesse início de temporada, a Trivela listou 15 desses nomes e relembra um pouco da carreira de cada um. Confira:

Adriano Gabiru (CSA-AL)
Autor do gol do título mundial do Internacional, Adriano Gabiru já está na fase final de uma carreira que, apesar de vitoriosa, deixou a desejar em relação ao que ele prometia quando apareceu no Atlético Paranaense em 1999. Depois de passar recentemente por Goiás, Guarani, Mixto-MT e Corinthians-PR, o meia de 34 anos acertou seu retorno ao CSA, clube que o revelou e no qual conquistou o Campeonato Alagoano de 1997.

Alex Dias (Aparecidense-GO)
Com boas passagens por Goiás, Saint-Étienne e Vasco, além de fracassos por São Paulo e Fluminense, o “Artilheiro Pantaneiro” segue na ativa. Aos 39 anos, Alex Dias procurou clube durante um tempinho até acertar com o Aparecidense em dezembro. Será o “jogador-bilheteria”, a grande atração do time nos jogos do Campeonato Goiano em 2012 e, dependendo do nível técnico da competição, poderá até fazer os seus golzinhos.

Allan Dellon (Fluminense-BA)
Maior artilheiro do Vitória em Campeonatos Brasileiros com 36 gols, Allan Dellon perambula pelo Brasil desde que deixou o clube, em 2003. Após passagem discreta pelo Vasco, ele defendeu Sport, Ceará, Brasiliense, Ceilândia-DF e América-RN. Seduzido por uma proposta do ex-presidente do Vitória, Paulo Carneiro, o meia acertou com o Fluminense, de Feira de Santana, para a disputa do Campeonato Baiano de 2012.

Aloísio Chulapa (CRB-AL)
Tricampeão brasileiro com o São Paulo entre 2006 e 2008 e autor do passe para Mineiro marcar contra o Liverpool o gol do título mundial do clube em 2005, Aloísio não conseguiu se firmar em clube nenhum desde que deixou o Morumbi. Passou sem sucesso por Vasco, Ceará, Brasiliense e Brusque-SC antes de se acertar com o CRB, time que o revelou para o futebol, em 2011, para realizar o sonho de encerrar a carreira em sua terra.

Clodoaldo (Juazeirense-BA)
Com apenas 1,61 metro e uma grande fama de boêmio, Clodoaldo ficou famoso no Brasil pelo grito que a torcida do Fortaleza criou em sua homenagem: “Uh, terror, Clodoaldo é matador!”. Artilheiro do Campeonato Cearense em 2001 e 2003, ele chegou a ter a chance de disputar a Série A do Campeonato Brasileiro, mas, prejudicado pela vida desregrada fora de campo, não emplacou.

Dutra (Santa Cruz-PE)
Um dos principais nomes do Sport campeão da Copa do Brasil em 2008, Dutra foi dispensado pelo rubro-negro pernambucano em 2011, mas não ficou sem clube por muito tempo: logo acertou com o Santa Cruz, onde disputou a Série D e contribuiu para o acesso. Prestigiado, o lateral que apareceu ao Brasil pelo Santos renovou o contrato para a disputa do Campeonato Pernambucano de 2011 e poderá ser importante na luta do Santa pelo bi.

Fabiano Eller (São José de Porto Alegre-RS)
Campeão mundial pelo Internacional em 2006, Fabiano Eller já era um zagueiro respeitado no mercado nacional e se valorizou bastante naquele período, sendo contratado pelo Atlético de Madrid, mas voltou pouco depois ao Santos, onde não deixou muitas saudades, assim como no regresso ao Inter. Aos 34 anos, acertou com o São José de Porto Alegre para a disputa do Gauchão em 2012.

Gian (Independente-PA)
Autor do gol do título brasileiro no Mundial Sub-20 em 1993, Gian não conseguiu se firmar no Vasco e rodou por diversos clubes do país até fincar raízes no Pará. Desde 2003, o meia já coleciona sete passagens por clubes do estado: três pelo Remo, duas pelo Castanhal, uma pelo Paysandu e a última pelo Independente, de Tucuruí. Campeão estadual em 2011, ele renovou seu contrato e, aos 38 anos, é um dos principais nomes na equipe que jogará contra o São Paulo na Copa do Brasil de 2012.

Jorginho Paulista (Marcílio Dias-SC)
Jorginho Paulista tem só 31 anos, mas parece ter muito mais de tanto que já rodou. O início promissor no Palmeiras fez com que muita gente acreditasse no potencial do então lateral-esquerdo, que foi campeão brasileiro pelo Vasco aos 20 anos marcando gol na final contra o São Caetano e defendeu o Boca Juniors. Poucos imaginariam que seria o auge de uma carreira que jamais decolou. Após passagens por Ceilândia e Lucko, da Croácia, ele acertou com o Marcílio Dias para a disputa do Campeonato Catarinense.

Lopes (Metropolitano-SC)
Artilheiro da Libertadores em 2001 com nove gols, Lopes viu a carreira declinar praticamente na mesma velocidade em que surgiu para o mundo, no Volta Redonda, em 2000. Meia que se caracterizava pela força e eficiência nas finalizações, já não teve o mesmo desempenho em 2002, quando participou da fatídica campanha do rebaixamento do Palmeiras. Daí em diante, foi só ladeira abaixo. E olha que ele teve um bocado de chances (Flamengo, Fluminense, Santos, Cruzeiro e Atlético Mineiro) na Série A, mas não aproveitou nenhuma. Para 2012, Lopes acertou contrato com o Metropolitano, de Blumenau.

Lúcio Bala (Catanduvense-SP)
Revelado no Goiás e com passagens por Flamengo, Santos e Fortaleza, Lúcio Bala passou a perambular por clubes de divisões inferiores desde que deixou o Atlético Mineiro, em 2007. Passou por Ceará, CRB, Bragantino, Paysandu, Caldense e em 2011 o Gurupi, de Tocantins, estado onde nasceu. Para 2012, o meia-atacante acertou com o Catanduvense e disputará o Campeonato Paulista. Aos 36 anos, ele chega à sua 19ª equipe na carreira.

Pedrinho (Olaria-RJ)
Marcado pelas lesões graves no joelho, Pedrinho chegou a anunciar a aposentadoria em 2009, quando defendia o Figueirense. O tempo passou, a saudade apertou, e no fim de 2011, após muita reflexão, o meia chegou à conclusão de que precisava acertar contas consigo mesmo e aceitou uma proposta do Olaria para voltar a jogar profissionalmente. Aos 34 anos, ele chegou para ser uma das referências no meio-campo do time no Campeonato Carioca.

Ramon (Joinville-SC)
Com boas passagens por Vitória, Atlético Mineiro e Vasco, Ramon foi peça importante para o Joinville durante todo o ano passado, brilhando no Campeonato Catarinense e principalmente na conquista da Série C. Eficiente nas bolas paradas, o meia de 39 anos se apresentou no elenco que faz a pré-temporada e tudo indica que jogará a Série B em 2012.

Sandro Sotilli (São Luiz-RS)
Famoso no Rio Grande do Sul, Sandro Sotilli assinou com o São Luíz, de Ijuí, e chega como esperança de gols da equipe para a disputa do Gauchão 2012. Aos 38 anos, o centroavante pode se orgulhar de ter no currículo passagens por 13 clubes do Rio Grande do Sul. Certamente, conhece bem todos os campos onde se joga profissionalmente no estado e poderá ser importante para que seu clube faça uma campanha digna.

Túlio Maravilha (CSE-AL)
O atacante mais folclórico do futebol brasileiro nos últimos 20 anos segue na ativa e quer chegar, em suas contas polêmicas (para dizer o mínimo) ao milésimo gol a qualquer custo. Depois da rápida passagem pelo Bonsucesso, da segunda divisão carioca, Túlio acertou com o CSE e disputará o Campeonato Alagoano com o número 975 na camisa (na medida em que os gols forem saindo, o número vai aumentando). Mais uma ação de marketing do atacante de 42 anos.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo