Brasil

Eliminação no Campeonato Paulista afeta diretamente cofres do Corinthians (e pode respingar na próxima temporada)

Corinthians recalculou a rota a tempo, senão o problema para 2025 seria bem maior

A queda precoce do Corinthians no Campeonato Paulista era muito esperada, já que apenas uma difícil soma de resultados do último final de semana daria ao time a vaga no mata-mata do estadual. E mesmo com o time fazendo a parte dele — um pouco tarde demais — vencendo o Santo André por 3 a 2, e de certa forma acendendo uma luz de esperança no torcedor, pouco tempo depois a Inter de Limeira acabou com tudo ao ganhar do Ituano.

E os cofres do Corinthians foram diretamente atingidos pela eliminação, o que para um time que tem uma folha salarial de quase R$ 20 milhões, mais uma enormidade de dívidas em aberto, é um prejuízo enorme. Isso porque o Timão perderá, só de bilheteria, pelo menos R$ 2 milhões, a média de renda arrecada em jogos decisivos. Além, claro, do valor da premiação pago pela Federação Paulista de Futebol caso chegassem às finais.

Público e renda da partida contra o Santo André pela 11ª rodada do Paulistão (Foto: Iconsport)

A reportagem da Trivela apurou que, mesmo com o time caindo antes do que o esperado, e apesar de acreditar na classificação “na raça”, o clube já contava com os valores a menos, mas que ainda segue confiante para o restante da temporada e das futuras rendas a serem arrecadadas.

Segundo o planejamento anual feito pelo Corinthians, a ideia era chegar pelos menos até as semifinais da competição, e agora o peso de ficar de fora atinge não apenas as finanças desta temporada, como também da próxima, já que o clube não conseguiria uma vaga na Copa do Brasil, através do estadual.

Corinthians está na Copa Brasil por conta do Paulistão, mas em 2025 a coisa pode complicar

Em 2023 a campanha do Corinthians no estadual foi ruim, com o time caindo nas quartas de final para o Ituano, o que o deixou com o sétimo lugar na tabela geral. A classificação para a edição da Copa do Brasil deste ano, graças a esse mau desempenho, foi sofrida e só veio graças a títulos dos rivais Palmeiras e São Paulo, que venceram o Campeonato Brasileiro e a própria Copa do Brasil, respectivamente. Ainda assim, o Timão, graças à péssima temporada passada, teve de iniciar a competição na primeira fase, e hoje já está classificado para a segunda, com a partida contra o São Bernardo marcada para o dia 14 de março.

A Copa do Brasil é a competição quem mais paga no país, com o campeão embolsando mais de R$ 73 milhões, podendo chegar ao total de R$ 90 milhões. O Corinthians, por exemplo, como conquistou a vaga na segunda fase, já garantiu R$ 1,47 milhão, valor deste começo de campeonato para os clubes da Série A que avançam de fase, ou seja, perder essa quantia, mais a bilheteira de um campeonato mata-mata, pode ser um grande problema para a temporada de 2025.

Confira os valores pagos pela Copa do Brasil:

  • Primeira fase: R$ 1,47 milhão
  • Segunda fase: R$ 1,785 milhão
  • Terceira fase: R$ 2,205 milhões
  • Oitavas de final: R$ 3,465 milhões
  • Quartas de final: R$ 4,515 milhões
  • Semifinais: R$ 9,45 milhões
  • Vice-campeão: R$ 31,5 milhões
  • Campeão: R$ 73,5 milhões

O problema poderia ser maior: Série A2 do Paulistão

Obviamente ser eliminado assim é péssimo para o clube em todos os sentidos, mas diante ao momento que o Corinthians viveu desde que a temporada começou, as coisas são um pouco menos pior do que poderiam ser, já que o time flertou com a zona de rebaixamento por várias rodadas, colocando até mesmo a pulga atrás da orelha sobre um possível rebaixamento a Série A2 do Campeonato Paulista, o que seria mesmo um desastre.

Se o alvinegro não tivesse recalculado a rota a tempo, a diretoria teria problemas bem maiores para 2025, além da vergonha, e de ficar de fora da Copa do Brasil, precisaria disputar a segunda divisão do estadual, significando menos dinheiro da cota da TV e uma premiação menor, a bilheteria estaria mais que garantida com a presença do torcedor.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo