Brasil

Cruzeiro na Copinha: veja as campanhas do time na competição de base

Com um título da Copinha conquistado em 2007, o Cruzeiro quer voltar a vencer o torneio mais importante da competição de base do Brasil

Antes da bola rolar nos estaduais, o futebol brasileiro inicia sua mais nova temporada com a Copa São Paulo de Futebol Júnior, cuja estreia está marcada para o dia 2 de janeiro, enquanto a final acontece no próximo dia 25, no aniversário da capital paulista. Entre os 128 clubes presentes na 54ª edição do torneio está o Cruzeiro, que quer encerrar o jejum de títulos na competição mais importante da base nacional.

A Raposa é um dos 22 clubes que já foram campeões da Copinha, mas isso já faz 17 anos. Por conta disso, o elenco celeste quer conquistar o campeonato em 2024 e, mais do que isso, os torcedores esperam ver novos talentos surgindo para ajudar o time de cima no novo ano. Às vésperas de Copa São Paulo, a Trivela conta a história da campanha vencedora do Cruzeiro no torneio.

2007, o ano que o Cruzeiro foi campeão da Copinha

Geralmente, quando se pensa em revelações na Copa São Paulo, a primeira coisa que vem à cabeça são os jogadores. Entretanto, em 2007, um dos grandes nomes que foi responsável pelo título inédito da competição de base mais importante do país foi o do técnico Enderson Moreira. O feito foi o grande trampolim na carreira do treinador, que já rodou por diversos clubes no Brasil – incluindo o Cruzeiro.

Até àquela Copinha, Enderson não tinha embalado nenhum grande trabalho na área técnica, mas tudo mudou após o título do torneio. Isso porque, além da conquista histórica para a base celeste, o título ainda foi levantado de forma invicta. E a campanha da Raposa naquela edição da competição foi irretocável, inclusive passando por rivais de prestígio.

Na fase de grupos, o Cruzeiro enfrentou Portuguesa, Náutico e Amparo. Respectivamente, venceu por 2 x 0, depois goleou por 6 x 0 e encerrou a primeira fase com um empate por 1 x 1, o único “tropeço” de Enderson Moreira e companhia na Copa São Paulo 2007. Na fase seguinte, uma pedreira: o Corinthians, maior campeão do torneio que, à época, já tinha levantado seis taças (atualmente já são 10).

O duelo aconteceu em Araras e reservou uma partida disputadíssima dentro de campo. A vitória por 3 x 2 sobre o Timão serviu para dar um gás a mais para a Raposa, que embalou de vez até à final. Na sequência, passou pelo Vitória com um triunfo por 2 x 1. Depois, com um placar elástico de 6 x 2, eliminou o São José-SP. Na semifinal, superou o São Bernardo-SP por 5 x 4.

Na grande decisão da Copinha daquele ano, o Cruzeiro encarou o São Paulo, também tradicional na competição. A final foi dura, tanto que o empate por 1 x 1 continuou até o fim do tempo regulamentar, e por isso, o título foi definido nos pênaltis. O resultado final foi um 6 x 5, com Bruno César (aquele ex-Corinthians, Palmeiras, Vasco, Benfica e Sporting) chutando para a defesa de Rafael, o que garantiu a taça para a Raposa.

Aliás, o goleiro permaneceu entre os profissionais do Cruzeiro por várias anos, mas não assumiu a titularidade por conta do ídolo Fábio, que cravou seu nome na história celeste. Por isso, Rafael decidiu mudar de ares e acabou assinando com o arquirrival Atlético-MG. Atualmente, está no próprio São Paulo, onde foi campeão da Copa do Brasil 2023 jogando.

Por outro lado, os jovens celestes que se destacaram no título da Copa São Paulo de Futebol Júnior não atingiram o sucesso esperado entre os profissionais. Os que conseguiram construir uma carreira de relativo sucesso foram o zagueiro Maicon, que rodou pelo futebol brasileiro e Internacional, e hoje defende o Vasco, e o centroavante Jonathas, que jogou algumas temporadas na Europa.

Como foi a campanha na Copinha 2023?

Na última edição da Copa São Paulo, o Cruzeiro foi eliminado nas oitavas de final ao perder para o Sport por 2 x 1. Uma das revelações da Raposa em 2023 que teve chance no time de cima foi Japa. Ruan Índio, que também vai disputar a próxima edição da Copinha, também se destacou no ano passado.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo o futebol. Por mais redundante que seja, ama escrever sobre o que é apaixonado, ficando de olho em tudo o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo