Brasil

Entenda o motivo da reunião entre a diretoria do Corinthians e Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo

Foco principal do encontro entre Corinthians e Ricardo Nunes foi o pedido de concessão do terreno usado há anos como estacionamento do clube

O Corinthians tenta mais uma vez resolver as questões que envolvem o terreno que fica na frente do Parque São Jorge. Hoje, a Avenida Condessa Elizabeth de Robiano é usada como estacionamento pelos sócios e torcedores que frequentam a sede social do clube, tanto para eventos, quanto para atividades diárias.

Há muito tempo o clube e a Prefeitura de São Paula vivem uma queda de braço por conta do espaço. Em 2021, a Gazeta Esportiva noticiou que o Timão havia sido sentenciado a pagar R$ 22 milhões. Na época, o prefeito da cidade era Bruno Covas, que argumentou que o valor não poderia ser “perdoado” porque o processo já tinha sido finalizado pela Justiça.

Na tarde desta terça-feira (20), a diretoria do Corinthians — representada pelo presidente Augsuto Melo, e os seus vices Osmar Stabile e Armando Mendonça — se reuniram com atual prefeito da capital, Ricardo Nunes, e o secretário municipal de Esportes, Felipe Becari. Segundo a nota enviada pelo clube, o encontrou tratou diversos assuntos, inclusive a concessão, por 20 anos, do terreno.

Diretoria do Corinthians se reuniu com o Prefeito da Cidade de São Paulo e com o Secretário de Esportes (Foto: (Edson Lopes Jr/ SECOM)

Entenda o processo entre o Corinthians e a Prefeitura de São Paulo pelo terreno

O torcedor ou qualquer pessoa que já teve a oportunidade de frequentar a sede social do clube na Rua São Jorge, 777, no Tatuapé, já deve em algum momento ter estacionado o carro no espaço que fica na frente do muro da Fazendinha.

O uso do terreno não é de hoje. Desde 1996, o clube utiliza o espaço, e inclusive chegou a colocar um portão na entrada. Na época, a “posse” do terreno aconteceu com base em uma lei, criada em janeiro do mesmo ano, que autorizou o Poder Executivo a conceder ao Corinthians o uso gratuito do local pelo prazo de 99 anos. Porém em 2010, o prefeito Giberto Kassab pediu a devolução.

Av. Condessa Elisabeth de Rubiano, utilizada pelo Corinthians como estacionamento (Foto: Agência Corinthians)

No mesmo ano, a Justiça de São Paulo determinou que o Corinthians desocupasse a área, já que ela era designada para uso exclusivo do clube. Além de parar de usar o local, que tem mais de 18 mil metros quadrados, o alvinegro também foi condenado a pagar uma multa milionária por usar o espaço como “locação”. Apesar da determinação, o espaço continuou sendo explorado pelo clube.

Onze anos depois, o clube pôde voltar a usar o terreno depois da prefeitura ceder o espaço com base no Projeto de Lei 151/2019, aprovado em dezembro daquele ano pela Câmara Municipal, e sancionado pelo Prefeito Bruno Covas. Conforme o documento, o local se encaixa como espaço utilizado por escolas de samba e instituições que promovem atividade que incluem toda a comunidade ao seu redor.

Agora, a nova diretoria do clube tenta junto ao prefeito Ricardo Nunes, que tem mandato estabelecido até dezembro de 2024, uma concessão por mais 20 anos. Segundo apurado pela reportagem da Trivela, a reunião foi bastante proveitosa, e outros assuntos entraram em pauta. Vale lembrar que o Corinthians tem nos seus planos a ampliação da Neo Química Arena, e a reforma depende da aprovação de laudos da prefeita paulista.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo