Brasil

Balanço de Duílio pareceu mais um comício às vésperas da eleição à presidência do Corinthians

Em coletiva anunciada para esclarecer dúvidas sobre o mandato de Duílio, a impressão que ficou foi a de campanha política para a situação

O presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, tem sido alvo dos protestos e questionamentos da torcida desde que assumiu o comando do time em 2021. Porém, a insatisfação se agravou diante da péssima temporada do time em 2023, diante dos resultados não alcançados e agora com pressão na luta contra o rebaixamento na reta final do Campeonato Brasileiro. 

Há menos de um mês para o mandato do Duílio chegar ao fim, o dirigente alvinegro organizou uma entrevista no canal oficial do clube para seis jornalistas, pré-selecionados, com o intuito de fazer um balanço do que foi os três anos da gestão (2021, 2022 e 2023). Entre os assuntos abordados, estiveram pagamento das dívidas, falta de títulos e venda de jogadores.

O atual presidente do Timão fez questão de falar sobre como é dirigir um clube do tamanho do Corinthians. Segundo ele, “administrar o Corinthians é uma loucura, você não dorme”. Outra fala que chamou a atenção, foi sobre as condições em que ele encontrou o clube quando foi eleito:

— Quando eu entrei, o Corinthians ia quebrar. Hoje, a receita é de R$ 1 bilhão. – disse o mandatário

Vale ressaltar que o grupo politico que presidia o Corinthians era da chapa Renovação e Transparência, a mesma que Duílio, e que tenta eleger no dia 25 de novembro mais um candidato.

Assuntos abordados realmente precisavam ser respondidos, mas impressão que ficou para o torcedor foi de campanha política

Sem sombra de dúvidas, os assuntos abordados durante as três horas de entrevista são importantes e também fazem parte das reclamações sofridas pela gestão de Duílio. Ainda assim, em alguns momentos da entrevista, a impressão era de que o presidente estaria usando o “espaço” para fazer campanha politica para André Negão, candidato da situação.

O motivo para isso foram as citações que o atual presidente fez com relação a Augusto Melo, reforçando a polêmica sobre os áudios que vazaram em que é possível ouvir o candidato da oposição com falas machistas e racistas, além de sugerir esquemas envolvendo dinheiro nos bastidores do clube. A informação foi dada pelo Diego Garcia, jornalista do “UOL”. Em outro momento, Duílio voltou a falar sobre os projetos de Melo caso seja eleito, reforçando que é impossível o que ele propõe e ressaltando que o candidato a oposição não conhece o clube, já que nas últimas entrevistas, ele teria citado situações inexistentes em diversas áreas do clube como, por exemplo, o futebol feminino.

Nas últimas semanas foi noticiado que a atual gestão e as anteriores todas do grupo Renovação e Transparência estavam sob investigação do Ministério Publico por conta de denúncias feitas anonimamente sobre lavagem de dinheiro. Segundo apurado pela Trivela, havia uma investigação em cima destas denúncias, depois que houve suspeitas de que teriam partido de opositores.

Na entrevista desta manhã/tarde, o presidente confirmou as suspeitas, disse o processo foi arquivado e que agora ele passará a ser em cima das pessoas que fizeram as denúncias, em seguida o departamento jurídico do clube reforçou o que foi falado por Duílio:

— Primeiro ponto que tem que ser colocado: essa não é a primeira denúncia anônima, é a terceira denúncia anônima do mesmo teor que se faz de forma criminosa contra a diretoria atual e contra pessoas ligadas à diretoria. As anteriores já foram arquivadas e nesta o delegado de polícia já fez um relatório final sugestionando o arquivamento, fazendo referência inclusive sobre a repetição de denúncias anônimas anteriores. Essas pessoas vão ser identificadas, como o presidente muito bem disse. Vai haver uma abertura de inquérito policial. Se alguém acha que o fato dele abrir um e-mail fake ou mandar uma denúncia, alguma página de internet não vai ser encontrado, vai, sim, e a gente sabe que alguns sites e algumas provedoras também estariam envolvidas nisso e a gente vai atrás – disse o advogado do clube;

Ao término da entrevista, Duílio se direcionou ao torcedor corintiano, mas principalmente aos sócios do clube que tem direito a voto, pedindo para que eles pensassem bem antes de ir às urnas no dia 25 de novembro, e analisassem os problemas que o Corinthians pode enfrentar dependendo de quem foi eleito:

— Queria falar para o torcedor e para o sócio que nos erramos em algumas coisas, decisões, acertamos em outras, tentamos fazer o melhor, fizemos o Corinthians precisava que fosse feito. Olhem bem o candidato, é o Corinthians que a gente ta falando, a gente tem que ter responsabilidade, um aventura nesse momento o Corinthians não precisa. Quem tem tempo de clube, que olhe isso, a responsabilidade de escolher o próximo presidente do Corinthians.

No fim das contas o torcedor não sócio não tem muito o que fazer 

Apesar de acompanhar as inúmeras entrevistas e assistir os debates, o torcedor que não é sócio do clube não tem direito a voto, o que é concedido apenas aos sócios patrimoniais e remidos, aqueles que não precisam pagar mensalidade por alguma gratuidade ou benefício, além dos associados ao clube há mais de cinco anos e que se encontrem no “gozo de todos os direitos estatutários”. O número de sócios aptos a votar gira em torno de 4 mil pessoas.

Resta ao torcedor corintiano não sócio fiscalizar e cobrar a diretoria que for eleita diante das ações tomadas para os próximos três anos que podem afetar o time diretamente e indiretamente em vários âmbitos.

Foto de Jade Gimenez

Jade GimenezSetorista

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo