Brasil

Enquanto avalia futuro de António Oliveira, Corinthians demite Danilo, técnico do sub-20

Ídolo do Alvinegro teve divergências com a diretoria, e chegou a questionar número de atletas na categoria publicamente

Ídolo do Corinthians como jogador, o ex-meio-campista Danilo não teve o mesmo sucesso como técnico da equipe sub-20 no Timão e foi demitido nesta quinta-feira (20), dois dias após o clube alvinegro ser goleado por 6 a 0 pelo Cruzeiro, pelo Brasileirão da categoria.

O desligamento do comandante do time de base acontece em um momento em que o trabalho do treinador do elenco principal também é questionado. Com a derrota corintiana para o Internacional, nesta quarta-feira (19), o português António Oliveira passou a balançar ainda mais no cargo.

O intuito da diretoria do Corinthians é segurá-lo, pelo menos, até o próximo compromisso, que será no domingo (23), contra o Athletico-PR, em Curitiba, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O que pensa a diretoria do Corinthians sobre o trabalho de António Oliveira

O trabalho do treinador divide opiniões na diretoria corintiana. Enquanto algumas pessoas acham que a demissão seria a melhor alternativa, o presidente Augusto Melo é o principal defensor da permanência. Foi ele, inclusive, quem confiou na contratação do comandante após a demissão de Mano Menezes em fevereiro.

António não era a primeira opção, mas foi contratado porque Márcio Zanardi, que era o favorito, dirigia o São Bernardo e, por isso, não poderia comandar o Timão no Campeonato Paulista. Hoje, o profissional está à frente do Goiás, que disputa a Série B do Brasileirão.

Atual comandante corintiano, António Oliveira é adorado pelo grupo de jogadores e, no geral, possui boa relação mesmo com os membros da direção. No entanto, há alguns incômodos internos com posturas públicas do treinador, como algumas críticas mais duras ao elenco e cobranças por contratações, que aconteceram, por exemplo, em entrevistas coletivas após resultados ruins.

Os pedidos constantes por reforços também acontecem no dia a dia e, por vezes, irritam algumas pessoas da diretoria que estão trabalhando para que o clube contrate, pelo menos, três nomes de impacto na janela de transferências que abrirá no dia 10 de julho.

Mesmo longe de ser unanimidade no Timão, António deve sobreviver no cargo até a rodada do fim de semana no Campeonato Brasileiro. Porém, no caso de derrota do Corinthians para o Furacão, em Curitiba, a tendência é que o profissional não resista à série de jogos sem vitórias (atualmente são quatro) e seja demitido. Um possível resultado positivo daria sobrevida, pelo menos, até o clássico contra o Palmeiras, no dia 1º de julho, no Allianz Parque.

O duelo contra o rival alviverde, inclusive, será outro jogo chave para a continuidade, ou não, de António Oliveira no Corinthians. Uma derrota no Dérbi voltaria a deixar a situação do treinador instável, podendo até mesmo culminar no desligamento, pelo peso do confronto. Já a vitória, daria a certeza de sequência do português por mais algum tempo.

Não é a primeira vez que António Oliveira balança no Corinthians

Em abril, o Timão perdeu três partidas consecutivas: para Juventude e Red Bull Bragantino, pelo Brasileirão, e Argentinos Júniors, pela Conmebol Sul-Americana. O confronto seguinte, contra o Fluminense, no dia 28 daquele mês, foi crucial para o futuro de António, e a equipe do Parque São Jorge venceu o Tricolor por 3 a 0, na Neo Química Arena, engatando uma série de outros três duelos sem perder (vitórias sobre América-RN e Nacional-PAR, pela Copa do Brasil e Sul-Americana, respectivamente, e empate com o Fortaleza, pelo Brasileiro), algo que deu tranquilidade para o técnico trabalhar.

Agora, a sequência corintiana é ruim. São quatro jogos sem vencer, sendo dois reveses (Botafogo, em casa, e Internacional, fora) e dois empates (Atlético-GO, fora, e São Paulo, em casa) no período.

O que levou Danilo a ser demitido?

A ideia da nova administração corintiana ao assumir o clube, em janeiro, era dispensar Danilo após a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Com nova direção na base, Claudinei Alves (diretor), Walmir Costa (diretor-adjunto) e o ex-zagueiro Chicão (coordenador), o intuito era fazer uma “limpa” no departamento, que era um dos mais visados pela gestão do presidente Augusto Melo.

Porém, o bom resultado do Timão na Copinha, que terminou com o título da equipe alvinegra, deu sobrevida ao ex-meia, campeão da Libertadores e Mundial, em 2012, como atleta.

Não demorou muito, no entanto, para que Danilo começasse a ter algumas divergências internas. A principal delas, pela quantidade de atletas na categoria.

Além de jogadores que já faziam parte do plantel e os que subiram do sub-17, foram feitas 14 contratações para o sub-20. Desta forma, foi necessária a reativação do sub-18, uma espécie de equipe B, que treinava a parte e disputava alguns amistosos. Alguns dos reforços foram, inicialmente, para esse time, o que irritou parte da direção da base corintiana e reforçou o desgaste com Danilo.

No dia 8 de maio, após o sub-20 do clube alvinegro ser goleado por 4 a 0 pelo Cuiabá, em pleno Parque São Jorge, o então treinador falou sobre o alto número de jogadores que o núcleo tinha.

– Não dá para ficar com 50 atletas, é muita gente para trabalhar e treinar. Temos um leque de jogadores para analisarmos quem está melhor. Vamos olhar para todo mundo, neste momento difícil. São muitos jogadores e a transição é normal. A gente perde, se eu não me engano, seis ou sete jogadores após a Copinha. Então, é momento para a gente parar e analisar quem está com a cabeça melhor neste momento – destacou.

Além de Danilo, foram demitidos os auxiliares Vincius Marques e Moisés Campos, e o preparador de goleiros Renan Lima.

O ex-meia estava no clube alvinegro, exercendo a nova função, desde 2021. Inicialmente, ele foi contratado para comandar o sub-23, que foi encerrado em 2022, quando o profissional assumiu o sub-20. Além do título da Copa São Paulo nesta temporada, ele foi vice-campeão brasileiro em 2022, perdendo a final.

Foto de Fábio Lázaro

Fábio LázaroSetorista

Nascido em Santos, criado em São Vicente e entregue à São Paulo. Na Trivela desde junho de 2024, como setorista do Corinthians. Passagem pelo Lance! entre fevereiro de 2020 e maio de 2024, onde cobriu Santos e Corinthians. Por lá, também coordenou pautas e estratégias digitais. Atualmente, também é repórter na rádio 9 de Julho, comentarista no programa Esporte por Esporte, da TV Santa Cecília, e narrador freelancer.
Botão Voltar ao topo