Brasil

Nova tentativa: Corinthians se reúne com diretores da Caixa em busca de acordo por Arena

Ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez voltou a afirmar que as coisas darão certo e o acordo acontecerá

Na segunda-feira (12), a Caixa Econômica Federal informou o Corinthians que a proposta entregue pelo clube em novembro para a quitação dos valores da Neo Química Arena havia sido recusada pelo grupo de análise do banco. A justificativa foi que os dois caminhos colocados como opção para o pagamento, os valores do naming rights e os precatórios, não poderiam ser aceitos.

Segundo o documento de recusa, o valor que o clube recebe da Hypera Pharma (Neo Química) pelo nome do estádio, ao todo R$ 300 milhões, R$ 15 milhões por temporada, não serviam como pagamento, já que o montante não passa pelos cofres do clube, pelo contrário, vão direto para o fundo imobiliário da arena.

Quanto a ideia dos precatórios, onde o clube assumiria dívidas de terceiros, e conforme fosse pagando cada uma delas, o valor seria abatido na dívida em aberto do estádio alvinegro, mas essa possibilidade também foi recusada para a Caixa, já que os valores não servem para a quitação.

A nova reunião com a diretoria da Caixa Econômica Federal

Nesta quinta-feira (15), o presidente Augusto Melo, o diretor Rozallah Santoro e mais dois dirigentes estiveram em Brasília, para encontrar o presidente do banco, Carlos Vieira Fernandes, para tentar achar um novo caminho para que o Corinthians consiga pagar o valor milionário da Neo Química Arena.

Alexandre Padilha, Ministro das Relações Institucionais, que é torcedor corintiano declarado, também esteve presente na reunião. Em postagem em rede social, Padilha citou a vitória do clube diante do Botafogo-SP:

— Feliz demais de receber o novo presidente do Corinthians, Augusto Melo, junto da nova diretoria do Timão e do presidente da Caixa, Carlos Vieira… Ainda mais depois do show de ontem na terra do Doutor Sócrates! A Caixa e o Corinthians sempre buscarão caminhos que sejam tecnicamente e financeiramente boas pra Caixa, como banco público, e pra Nação Corintiana. – disse o Ministro.

Apesar da reunião, a diretoria alvinegra ainda não formalizou nenhuma nova proposta ao banco. Segundo apurado pela reportagem da Trivela, uma das ideias da cúpula do Timão é tentar um novo financiamento. A reportagem do Meu Timão também apurou que outra possibilidade possa ser atrelas produtos que fazem parte do caderno da Caixa para a torcida do Corinthians.

Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians, voltou a fazer promessa sobre pagamento

A Neo Química Arena foi construída para a Copa do Mundo de 2014, na época o presidente do Corinthians era Andrés Sanchez, um dos presidentes do grupo Renovação e Transparência, que dirigiu o clube por 16 anos. Em várias oportunidades, o ex-presidente declarou que a dívida do estádio seria paga:

  • A primeira antes mesmo da construção ficar pronta:

— O estudo de demanda revela que o estádio terá condições de se pagas em menos de três anos, já que a arrecadação total projetada será superior a R$ 100 milhões anuais – disse Andrés em 2010.

  • A segunda no fim de 2023, quando a proposta de quitação foi entregue:

— Este mês fecha. Fiquem tranquilos, ele vai se beneficiar e muito. E nunca falei que mudaria o meu nome, só disse que vai fechar, mas tem o tempo dos órgãos. O tempo vai dizer quem é o Pinóquio – disse Andrés.

Agora, depois da recusa, da Caixa Econômica Federal, o ex-presidente alvinegro usou as redes sociais para “tranquilizar” o torcedor e afirmar que as coisas vão dar certo, e que apenas demoram:

— Tenham calma! As negociações não são simples, mas continuam. Fazer o estádio era difícil, pagar também. Vender o nome da arena? Também. Tirar e fazer um acordo com a Odebrecht também, foi se resolvendo com o tempo. Calma tudo será resolvido – disse o ex-presidente.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo