Brasil

Corinthians: Intermediário diz que usou ChatGPT para achar Vai de Bet; repetimos a busca e este foi o resultado

Alex Cassundé prestou depoimento à Polícia Civil para esclarecer negócio envolvendo a empresa de apostas e o clube paulista

Em depoimento à Polícia Civil, realizado nesta terça-feira (25), Alex Fernando André, conhecido como Alex Cassundé, apontado como intermediário no contrato de patrocínio máster da Vai de Bet com o Corinthians, encontrou a empresa de apostas esportivas após uma busca pelo Chat GPT, plataforma de inteligência artificial. 

O empresário teria buscado informações através de uma pesquisa pelo termo “dicas de como encontrar uma empresa de bet”. 

Usando a versão gratuita (ChatGPT 3.5), disponibilizada pela Open AI, empresa responsável pelo mecanismo de inteligência artificial, a Trivela buscou a resposta e descobriu que não há associação direta entre a pesquisa e a Vai de Bet. 

O que o Chat GPT responde na busca por empresas de bet?

Questionado sobre dicas para encontrar uma empresa de bet, em uma aba anônima, para não influenciar no algoritmo, o resultado apresentado pelo Chat GPT foi o seguinte: 

“Encontrar empresas de apostas pode ser um pouco delicado, dependendo da legislação em vigor no seu país ou região. Aqui estão algumas dicas gerais que podem ajudar:

  1. Pesquise na Internet: A maneira mais fácil de começar é pesquisar online. Use motores de busca para encontrar empresas de apostas conhecidas e respeitáveis. Termos como “empresas de apostas esportivas” ou “empresas de apostas online” podem ser úteis.
  2. Consulte fóruns e avaliações: Existem muitos fóruns e sites dedicados a discutir experiências de apostas online. Pesquise por avaliações e opiniões de outros usuários para ter uma ideia de quais empresas são confiáveis e quais devem ser evitadas.
  3. Verifique a reputação: A reputação é fundamental quando se trata de empresas de apostas. Verifique se a empresa é licenciada e regulamentada por uma autoridade de jogo respeitável. Isso geralmente pode ser encontrado no rodapé do site da empresa.
  4. Compare odds e ofertas: Algumas empresas oferecem melhores odds e promoções do que outras. Compare diferentes empresas para encontrar aquelas que oferecem as melhores condições para você.
  5. Considere métodos de pagamento: Verifique se a empresa oferece métodos de pagamento seguros e convenientes para você. Isso pode incluir cartões de crédito, transferências bancárias ou carteiras eletrônicas.
  6. Atendimento ao cliente: Um bom atendimento ao cliente é crucial. Verifique se a empresa oferece suporte eficiente através de chat ao vivo, telefone ou e-mail, caso você precise de assistência.
  7. Leia os termos e condições: Antes de se inscrever, certifique-se de ler os termos e condições da empresa de apostas. Isso ajudará você a entender as regras e os requisitos associados ao uso do serviço.
  8. Esteja ciente das leis locais: Verifique se as apostas online são legais na sua jurisdição antes de se inscrever em qualquer site. Algumas regiões têm restrições ou proibições específicas em relação ao jogo online.

Lembre-se sempre de jogar de forma responsável e considere seus limites financeiros antes de se envolver em atividades de apostas.”

Em momento algum é apresentada uma listagem de casas de apostas. Ainda assim, atendendo à primeira indicação, a reportagem utilizou os termos sugeridos, além da própria busca usada por Cassundé na plataforma de inteligência artificial, onde foram sugeridas algumas listas com recomendações de casas de apostas, mas em nenhuma delas constava a Vai de Bet. 

Augusto Melo e André Murilo
Acordo entre Corinthians e Vai de Bet durou apenas cinco meses (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)

Por que Cassundé usou o Chat GPT para encontrar empresas de bet?

Contratado por Augusto Melo durante a campanha para presidente do Corinthians, Alex estaria buscando um espaço no departamento de comunicação do clube e usou da relação com Sérgio Moura, diretor de marketing licenciado do Timão, para isso.

Cassundé teria sido comunicado que o Timão estava em busca de patrocinadores e que casas de apostas esportivas online seriam uma bola alternativa, por conta do mercado. 

De acordo com o depoimento dado por Alex Cassundé no 4º Distrito Policial de São Paulo, ele, ao descobrir a Vai de Bet usando a busca via inteligência artificial, entrou em contato com a empresa, que alegou que só negociaria com representantes do Corinthians. Como o empresário nunca teve procuração para falar em nome da equipe alvinegra, procurou Sérgio Moura para falar sobre o contato e foi orientado a repassar a informação para Marcelo Marciano, diretor administrativo corintiano. 

Neste segundo momento, Alex Cassundé não participou mais da conversa, mas, após o negócio ter sido fechado, ele foi comunicado pelo próprio clube sobre o pagamento de 7% de comissão em cima do contrato, o que representaria R$ 25,2 milhões caso o acordo fosse cumprido integralmente, durante os três anos. Como a parceria foi rompida cinco meses após o fechamento, a Rede Social Media Design Ltda, empresa apontada em contrato como intermediária no negócio, e que pertence a Cassundé, recebeu R$ 1,4 milhão. 

Denúncia sobre irregularidades no contrato entre Corinthians e Vai de Bet

A investigação sobre corrupção nas transações financeiras envolvendo o contrato entre Corinthians e Vai de Bet se deu após a descoberta que Cassundé depositou pouco mais de R$ 1 milhão na conta da empresa Neoway Soluções Integradas em Serviço Ltda poucos dias após receber dois depósitos referentes à comissão pela intermediação. 

A Neoway, no entanto, é apontada pela polícia como uma empresa de fachada, com sede sem movimentação localizada na Avenida Paulista, em São Paulo, cuja propriedade é de Edna Oliveira dos Santos, que supostamente seria uma laranja. A mulher vive em um bairro humilde de Peruíbe, município no litoral de São Paulo, e em condições precárias. A única renda dela é o Bolsa Família. 

Alex Cassundé admite ter feito o pagamento à Neoway, mas que teria sido vítima de um golpe ao contratar e não receber serviços de telemedicina para uma outra empresa na qual possui propriedade. Ainda assim, ele não tem contrato assinado em relação a aquisição e não registrou ocorrência. 

Em meio às investigações, a Vai de Bet rompeu o contrato com o Corinthians no dia 7 de junho, acionando uma cláusula anticorrupção. No dia 20, o Timão notificou a empresa alegando que não poderia sofrer consequência pela atitude de terceiros, já que a Rede Social Media Design Ltda é quem está envolvida na denúncia, e ainda cobra R$ 6,3 milhões por resíduos contratuais que vão além o valor da multa rescisória de 10% do valor referente ao período até o fim do vínculo. 

Segundo o clube alvinegro, a casa de apostas esportivas também seguiu utilizando o escudo e outras marcas corintianas em promoções e jogos mesmo após o rompimento do contrato.

Foto de Fábio Lázaro

Fábio Lázaro

Nascido em Santos, criado em São Vicente e entregue à São Paulo. Na Trivela desde junho de 2024, como setorista do Corinthians. Passagem pelo Lance! entre fevereiro de 2020 e maio de 2024, onde cobriu Santos e Corinthians. Por lá, também coordenou pautas e estratégias digitais. Atualmente, também é repórter na rádio 9 de Julho, comentarista no programa Esporte por Esporte, da TV Santa Cecília, e narrador freelancer.
Botão Voltar ao topo