Brasileirão Série A

Relembre outras viradas marcantes do Campeonato Brasileiro nos pontos corridos

Depois da emocionante vitória do Palmeiras sobre o Botafogo, a Trivela revive as viradas mais marcantes do Brasileirão de pontos corridos

A emocionante partida entre Botafogo e Palmeiras, na noite de desta quarta-feira (1º), no estádio Nilton Santos, que resultou na vitória palmeirense por 4 a 3 depois de terminar o primeiro tempo perdendo por 3 a 0, entrou para a história do Campeonato Brasileiro. Diante disso, a Trivela resolveu fazer uma viagem no tempo e relembrar as maiores viradas na competição desde que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) adotou o formato de pontos corridos.

Os confrontos listados podem não ter a mesma importância para o campeonato como foi Botafogo e Palmeiras, que praticamente reabriu a briga pelo título desta temporada, mas levaram todos os apaixonados pelo futebol ao delírio com verdadeiras chuvas de gols.

Santos 4×5 Flamengo em 2011

Com Neymar de um lado e Ronaldinho Gaúcho do outro, Santos e Flamengo pisaram no gramado da Vila Belmiro, em 27 de junho de 2011, para a disputa de uma partida válida pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Obviamente que pelo fato de o presente – já caminhando para a reta final da carreira – e o futuro do futebol brasileiro estarem em campo, a expectativa era de um grande jogo. Mas o que se viu naquela noite foi muito mais do que isso. Foi épico!

Neymar em ação no Santos 4x5 Flamengo
Astro do Santos, Neymar foi o autor de dois gols no confronto contra o Flamengo, sendo um deles premiado pela Fifa (Flickr/SantosFC)

Inspirado, Neymar comandou o Santos na primeira etapa para construir uma vantagem por 3 a 0 com dois gols de Borges e um golaço do astro santista, que, posteriormente, recebeu o prêmio Puskas da Fifa pelo gol mais bonito do mundo naquela temporada.

Diante de tudo que Neymar (que sofreu um pênalti desperdiçado por Elano) vinha fazendo em campo, Ronaldinho resolveu mostrar a sua genialidade. E como nos melhores momentos de sua carreira com a camisa do Barcelona, da Espanha, o craque, ainda no primeiro tempo, conduziu o Flamengo ao empate marcando um gol e dando uma assistência.

Após o intervalo, Neymar recolocou o Peixe em vantagem fazendo 4 a 3. Mas Ronaldinho respondeu. Com uma cobrança de falta por baixo da barreira, ele deixou tudo igual novamente: 4 a 4.

Por fim, o camisa 10 rubro-negro, com uma finalização cruzada, tirando a bola do alcance do goleiro Rafael Cabral, sacramentou a inesquecível vitória do Flamengo na Vila Belmiro, por 5 a 4, em um dos maiores jogos da história do nosso futebol.

Grêmio 4×5 Fluminense em 2019

Encontro tão emocionante quanto o descrito acima pôde ser visto na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, no dia 5 de maio de 2019, entre Grêmio e Fluminense, pela 3ª rodada do Brasileirão daquele ano.

Assim como ocorre atualmente, o Grêmio tinha Renato Gaúcho como treinador e o Fluminense vivia a sua primeira experiência sob o comando de Fernando Diniz. E do mesmo jeito que o Botafogo fez com o Palmeiras e o Santos fez com o Flamengo, o Grêmio também abriu 3 a 0 de vantagem sobre o Fluminense no primeiro tempo. Aliás, em apenas 21 minutos do primeiro tempo André, Everton Cebolinha e Jean Pierry balançaram as redes do Tricolor carioca.

Sob as orientações de Diniz, o Fluminense não esperou o intervalo para começar a reação. Ainda na primeira etapa, Yony Gonzaléz e Luciano descontaram e recolocaram os cariocas no jogo.

No segundo tempo, o Fluminense fez mais. Matheus Ferraz empatou a partida, enquanto Pedro, de pênalti, virou o jogo. Sem desistir do confronto, o Grêmio, com Kannemann, aos 38 minutos, igualou o placar mais uma vez: 4 a 4.

Pedro ainda pelo Flu contra o Gremio
Revelado nas categorias de base do Fluminense, Pedro, atualmente no Flamengo, marcou um dos gols contra o Grêmio (Flickr/Fluminense)

Porém, nos acréscimos, Yony Gonzaléz, pela segunda vez no duelo, balançou as redes gremistas e confirmou a vitória do Fluminense por 5 a 4.

Bahia 2×3 Atlético-MG em 2021

Sem a mesma quantidade de gols, mas com uma gigantesca importância, a vitória de virada do Atlético-MG sobre o Bahia, por 3 a 2, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela 36ª rodada, representou o fim de uma espera de 50 anos para a torcida do Galo. Com a vitória na capital baiana, Hulk e Cia. confirmaram a conquista do Brasileirão de 2021.

Ansiosa para ver a competição terminar, a torcida atleticana precisou ser forte na Arena Fonte Nova. Isso porque o Bahia, que tentava escapar do rebaixamento, fez frente para o Galo e, no segundo tempo, abriu 2 a 0 no placar com gols de Luiz Otávio e Gilberto.

Keno em ação contra o Bahia em 2021
Com dois gols, Keno foi decisivo na virada do Atlético-MG sobre o Bahia para a conquista do título de 2021 (Flickr/Atlético-MG)

O susto despertou o Atlético-MG. Decidido a tirar o grito de campeão da garganta da sua torcida, o Galo foi para o ataque e virou a partida em apenas seis minutos. Hulk, de penalti, e Keno, duas vezes, marcaram os gols atleticanos confirmou a conquista do campeonato.

Internacional 2×3 Botafogo em 2022

No ano passado, com uma arbitragem polêmica e briga entre os jogadores ao final do jogo, Internacional e Botafogo fizeram no Beira-Rio, em Porto Alegre, um duelo marcante na história do nosso principal campeonato nacional.

Árbitro do confronto, Savio Pereira Sampaio expulsou o zagueiro Philipe Sampaio logo aos seis minutos do primeiro tempo por conta de um pênalti controverso, que Edenílson cobrou e converteu.

Edenilson de pênalti contra o Botafogo em 2022
Edenílson, ainda no Internacional, abriu o placar sobre o Botafogo em um jogo cheio de emoções (Flickr/Internacional)

Com um jogador a mais, o Internacional ampliou a vantagem aos 13 minutos do primeiro tempo com o argentino Bustos. Na sequência, aos 18 minutos, o Botafogo, com Erison, descontou.

Após o intervalo, o Botafogo, mais uma vez com Erison, empatou a partida. Com a igualdade, o Colorado foi para o ataque e marcou mais duas vezes. Porém, a arbitragem, com o auxílio do VAR, anulou os dois lances, sendo um deles aos 48 minutos da segunda etapa. O Glorioso não deixou barato e também teve um gol anulado por impedimento.

Mas, sem aceitar o empate, os botafoguenses foram ao delírio, aos 58 minutos do segundo tempo, com o gol da virada marcado por Hugo.

Com o apito final de Savio Pereira Sampaio, David e Cadorini, do Internacional, se irritaram com a comemoração de Lucas Piazon, do Botafogo, e partiram para a agressão. Jogadores dos dois times se envolveram na confusão que precisou ser controlada por seguranças dos dois clubes e da Polícia Militar

Corinthians 4×3 Cruzeiro em 2005

No ano do Campeonato Brasileiro mais polêmico da história dos pontos corridos, que contou, inclusive, com a descoberta de um esquema de arbitragem e anulação de uma série de partidas, Corinthians e Cruzeiro fizeram um duelo emocionante no Pacaembu, em São Paulo, pela 15ª rodada da competição.

Na oportunidade, o encontro teve uma polêmica arbitragem de Weber Roberto Lopes. Mas antes de o juiz aparecer, o Cruzeiro abriu o placar graças a um contra do zagueiro Marinho, que, sozinho, ao tentar passar a bola para o goleiro Fábio Costa de peito, mandou para o fundo das redes.

A resposta corintiana não demorou e veio ainda no primeiro tempo com Róger Flores.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou a ficar em vantagem com um gol de sorte do, ainda jovem, centroavante Fred. O camisa 9 cruzeirense finaliza da entrada da área e acerta a trave. Na sequência, a bola bate nas costas do goleiro Fábio Costa e morre no fundo das redes alvinegras.

Mas a sorte não estava vestida apenas de azul nesta noite. O gol do segundo empate do Corinthians também foi inusitado. Com o intuito de afastar a bola da sua área, o zagueiro Fábio Santos tenta dar um chutão para o ataque, mas acerta a cabeça de Rosinei, que, de fora da área, encobriu o goleiro Fábio.

Dois minutos mais tarde, o próprio Rosinei marca novamente e vira a partida pela primeira vez: 3 a 2. Essa vantagem, contudo, não duraria muito tempo. Moises, de cabeça, tratou de empatar tudo novamente.

Eis, então, que Weber Roberto Lopes começa a querer roubar o brilho da partida. Após ignorar dois pênaltis a favor do Cruzeiro, o árbitro assinalou uma penalidade de Fábio em cima de Carlitos Tévez, que foi para a cobrança e selou a emocionante vitória corintiana.

Mais viradas marcantes no Brasileirão

  • Flamengo 2×1 Internacional – Campeonato Brasileiro de 2020 – Maracanã
  • Corinthians 2×1 Atlético- Campeonato Brasileiro de 2011 – Pacaembu
  • Botafogo 3×4 São Paulo – Campeonato Brasileiro de 2017 – Nilton Santos
  • Atlético-MG 3×2 Fluminense – Campeonato Brasileiro 2012 – Independência
Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna
Botão Voltar ao topo