Brasileirão Série A

São Paulo mostra que jogo direto pode ser útil na vitória sobre Bragantino

Tricolor vence time da Red Bull por 2 a 0 no Morumbis apostando em lançamentos e jogadas de velocidade

Após uma leve instabilidade, o São Paulo já acumula quatro vitórias seguidas. Na mais recente, 2 a 0 sobre o Red Bull Bragantino na noite deste sábado (6), pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Morumbis.

Sem o técnico Luis Zubeldia e o 1º auxiliar Maxi Cuberas, ambos suspensos, Carlos Gruezo, outro membro da comissão, comandou o time à beira do campo em um resultado positivo que ficou marcado por um time bem mais direto que o habitual.

Contra uma equipe que pressiona tão bem como o Massa Bruta, utilizou vários lançamentos do goleiro ou dos zagueiros. No total ao longo dos 90 minutos, só Jandrei tentou 25 bolas longas, acertando 12.

Em uma delas, o São Paulo abriu o placar, aos 19 minutos do 2º tempo.

O lançamento chegou em Lucas, que serviu André Silva. Apesar do atacante não conseguir finalizar a jogada, o ataque são-paulino roubou de novo para que, no fim, o próprio André fizesse em rebote de Cleiton após chute de Luciano.

Melhor na etapa final, o Tricolor ampliou aos 45, quando Nestor sofreu empurrão de Pedro Henrique dentro da área. Luciano até perdeu o pênalti em defesa do goleiro do Bragantino, mas pegou o rebote para marcar.

A ver se a postura tricolor foi situacional ou será mais comum. No fim, ficou claro que o jogo direto pode ser uma arma para sequência da temporada em um time tão acostumado a ser paciente com a bola.

Bragantino e São Paulo alternam bons momentos no 1º tempo

Mesmo mandante, o São Paulo começou um tanto mais vertical que o adversário e não quis saber muito da bola, sempre atacante rápido.

Inicialmente, não deu certo e quem foi mais perigoso nesse comecinho foi o lado visitante. Com apenas 8 minutos, o Bragantino de Pedro Caixinha já obrigava Jandrei a trabalhar.

O contestado goleiro saiu para fechar o ângulo de Sasha após desvio na primeira trava em escanteio e salvou o Tricolor.

Depois, o Massa Bruta chegaria pelos pés de Lincoln, seja em batida de longe sem direção ou falta cobrada que contou com um leve desvio de Juninho Capixaba, impedido, para passar rente à trave.

Aos poucos após os sustos, o São Paulo passou a chegar mais.

Utilizando muito bem Lucas por dentro, acionava toda hora Wellington Rato na direita, onde mostrou dificuldade para cortar para perna boa e sofreu para criar algo com o pé destro.

O ponta também apareceu por dentro na grande chance são-paulina na etapa inicial. Após lindo lançamento de Lucas, saiu na cara do gol, mas dominou mal e, mesmo com Cleiton fora do gol, mandou uma cavadinha para fora.

São Paulo domina e merece os dois gols

O placar de 2 a 0 construído na etapa final foi merecido pela forma que o São Paulo voltou ligado e com vontade de mudar a realidade da partida.

O Braga só criou quando o mandante vacilou, como em um erro de Luiz Gustavo que terminou em finalização de Sasha. No restante, um domínio recompensado na insistência e a pressão são-paulina no campo de ataque.

No momento que Nestor sofre o pênalti, o Bragantino até pressionava mais, buscando o empate, mas permitiu que o Tricolor ampliasse.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius AmorimRedator

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo