Palmeiras e Grêmio disputaram, nesta atípica noite de sexta com Brasileirão, uma prévia da decisão da do Brasil. No entanto, foi um embate importante entre dois clubes que ainda podem almejar o título da Série A e que dependem apenas de si para buscar a liderança. A partida no Allianz Parque valeu o tempo diante da televisão, com 90 minutos de qualidade, apesar da diferença entre suas duas metades. Os palmeirenses pareciam dispostos a refazer a imagem do segundo jogo contra o River Plate e tiveram uma senhora atuação no primeiro tempo, em que a vitória por um gol de diferença era insuficiente à superioridade alviverde. No segundo tempo, os gremistas melhoraram e pressionaram até arrancar o empate no final, por pouco não conseguindo a vitória. O placar de 1 a 1, porém, não é o favorito a ambos os lados em suas ambições pelo topo da tabela.

O Palmeiras vinha com baixas na escalação e realizou algumas mudanças em relação à partida contra o River Plate, também poupando Luiz Adriano e . Pelo Grêmio, continua como a principal ausência, e Thaciano foi a surpresa de Renato Gaúcho para o meio-campo. Quando a bola rolou, contudo, se enganou quem esperava um equilíbrio entre duas equipes. Os palmeirenses estavam muito mais ligados e começaram o jogo em sua aceleração máxima, empilhando chances de gol.

Pelo número de ocasiões, o Palmeiras demorou a anotar o primeiro gol. Logo no primeiro minuto, Vanderlei precisou salvar um lance de . O time de Abel Ferreira encaixava muito bem seus ataques e trocava passes com extrema velocidade. Do outro lado, o Grêmio fazia uma partida apática e bastante vulnerável à aceleração dos anfitriões. Os lances saíam em sequência e, quando Vanderlei não podia aparecer, a trave virava a salvação dos tricolores. O goleiro gremista ia bem para cortar os cruzamentos no início, mas precisaria contar com a sorte.

Centralizado no ataque, teve as melhores oportunidades do Palmeiras. E foi incrível como o jogador não matou logo a partida. Aos 23, Breno Lopes deu um passe açucarado e Rony estava pronto para o gol, mas conseguiu fazer o mais difícil ao acertar a trave. Um minuto depois, Willian caprichou na batida de fora da área e mandou de novo na trave. O Grêmio mal conseguia se infiltrar na área adversária e se expunha à transição rapidíssima dos alviverdes, com as roubadas de bola já resultando em avanços. O bombardeiro se manteria, com Raphael Veiga batendo para fora pouco depois, até que Breno Lopes acertasse a terceira na trave aos 30.

O merecido gol do Palmeiras veio aos 32, num lance que misturou a raça, inteligência e também uma pontinha de sorte desta vez. Willian fez grande parte da jogada ao brigar na esquerda e efetuar o cruzamento rasteiro. Viña passou rápido a Rony, que furou, mas Veiga estava esperto para bater no contrapé de Vanderlei. Quase ainda veio o segundo na sequência, com Vanderlei barrando o chute de Veiga. Só havia um time em campo e, pior que a dificuldade do Grêmio para sair ao ataque, era a sua vulnerabilidade defensiva. O primeiro susto dos tricolores só veio aos 37, num tiro de Alisson que Weverton rebateu para fora. Somente no fim da primeira etapa que os palmeirenses diminuiriam um pouco o ritmo.

O intervalo foi importante para o Grêmio acertar seu posicionamento e aumentar sua intensidade. Ainda não seria uma mudança instantânea, mas a pancada de Pepê defendida por Weverton aos cinco minutos serviria de aviso. O Palmeiras se acomodou e muitos se mostravam menos concentrados, mas o time ainda tinha melhores perspectivas até os 20 minutos e aproveitava sua velocidade. Vanderlei voltou a se agigantar, fazendo uma defesaça em voleio de Willian. Logo depois, em outro bom chute do atacante, o goleiro salvou de novo. Mas aquelas seriam as últimas oportunidades para os alviverdes alargarem a vantagem.

O Grêmio se adiantava em campo, com Matheus Henrique fazendo ótimo papel na criação. A entrada de Pinares também aumentava a capacidade de armação dos tricolores. E empurrando o Palmeiras contra sua área, o time de Renato passou a martelar. Jean Pyerre quase fez de falta, numa bola desviada pela barreira que por pouco não traiu Weverton. Agora a sorte ficava do lado palestrino, com o time de defendendo no limite para travar os gremistas. Nem as entradas de Luiz Adriano, Scarpa e Lucas Lima ajudaram tanto. E o Tricolor não sentiu a saída de Matheus Henrique por lesão, com Maicon no lugar. A mensagem estava expressa aos 37, numa cabeçada de que Weverton pegou com segurança. Logo depois, o centroavante reapareceria livre na área e mandaria uma pancada, parando no goleiro alviverde.

Na terceira tentativa, Diego Souza não perdoou. Aos 43, veio o gol do artilheiro, decretando o empate do Grêmio. Luiz Fernando tabelou com Maicon pela direita e mandou o cruzamento para o meio da área. Diego subiu no meio dos zagueiros e cabeceou firme para estufar as redes, superando Weverton. Neste momento, o Palmeiras parecia temer uma virada, pela maneira como os tricolores cresciam. Só não aconteceu porque Weverton realizou outra defesaça, buscando no ângulo uma falta cobrada por Diego Souza que parecia pronta a entrar. Numa partida tão elétrica, os goleiros fizeram toda a diferença ao placar magro.

Por ter ido de mais a menos, o Palmeiras naturalmente saiu de campo com um sabor amargo. O primeiro tempo serviria para exaltar o time de Abel Ferreira, mas a queda na segunda etapa se acentuou e Weverton de novo foi essencial. O time ocupa a sexta colocação, com 48 pontos, com uma partida a menos que o líder São Paulo. Pareceu uma chance desperdiçada de encurtar as distâncias. Já o Grêmio merece críticas pelo primeiro tempo acomodado, mas soube se reconstruir e terminou a noite em alta. De qualquer maneira, o ponto conquistado vale apenas a quarta colocação, com 50 pontos e o mesmo número de jogos da maioria dos concorrentes. Não é o melhor dos cenários, ainda que o empate pareça um bom negócio dentro do Allianz Parque.

O Palmeiras terá uma semana difícil, com o Dérbi diante do na segunda e a visita ao Flamengo na quinta, antes de encarar o Ceará no Castelão. Já o Grêmio viverá uma sequência ainda mais importante às pretensões na Série A, pegando na sequência Atlético Mineiro e Internacional até o próximo final de semana, antes de medir forças também com o Flamengo.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore